Educação dos corpos e esportivização da vida: racionalidades e tecnologias da governamentalidade neoliberal presentes no site Eu Atleta

Maria Simone Vione Schwengber, Rodrigo Saballa de Carvalho

Resumo


O artigo é decorrente de uma pesquisa que, a partir das contribuições dos estudos foucaultianos sobre governamentalidade, problematiza o processo de invenção do atleta amador de corrida. Toma-se como materialidade investigativa o site Eu Atleta, enquanto artefato difusor de uma pedagogia cultural, pautada em uma racionalidade neoliberal implicada no governamentodos indivíduos. Metodologicamente, a discussão centra-se na análise da racionalidade que fundamenta a existência do site e das tecnologias operadas por ele. Por meio da análise, é possível destacar a incidência marcante de três aspectos: 1) o estabelecimento de uma relação intrínseca entre as tecnologias em funcionamento no site e o governamento dos corpos; 2) a promoção de incentivos para que os usuários do site se tornem ativos em seu próprio gerenciamento; 3) a difusão de discursos de experts da área da saúde para recomendar orientações sobre vida saudável e ratificar a sobreposição entre saúde e prática de exercícios físicos.


Palavras-chave


Governamentalidade. Site. Corpos. Esportivização. Pedagogia cultural.

Texto completo:

PDF

Referências


BAGRICHVSKY, Marcos; ESTEVÃO, Adriana; PALMA, Alexandre (Orgs.). A saúde em debate na Educação Física. Ilhéus: Editora da UESC, 2007.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BENTO, Jorge Olímpio. O outro lado do desporto. Porto: Campo das Letras, 1998.

CAMOZZATO, Viviane Castro. Habitantes da cibercultura: corpos ‘gordos’ nos contemporâneos modos de produzir a si e aos ‘outros’. 2007. 182 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. Historia de la Gubernamentalidad I: razón de Estado, liberalismo y neoliberalismo en Michel Foucault. Bogotá: Siglo del Hombre, 2015.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DEAN, Mitchell. Governamentality: power and rule in modern society. London: Sage, 1999.

FARHI NETO, Leon. Biopolítica em Foucault. 2007. 147 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008a.

______. O governo de si e dos outros. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

______. Segurança, território e população. São Paulo: Martins Fontes, 2008b.

GADELHA, Sylvio. Biopolítica, governamentalidade e educação: introdução e conexões a partir de Michel Foucault. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

______. Desempenho, gestão, visibilidade e tecnologias como vetores estratégicos de regulação e controle de condutas na contemporaneidade. Educar em Revista, Curitiba, v. 33, n. 66, p. 113-139, out./dez. 2017.

GLOBO.COM. Eu Atleta. 2018. Disponível em: . Acesso em: 20/07/2017.

GONZÁLEZ, Fernando Jaime. Esportivização. In: ______; FENSTERSEIFER, Paulo Evaldo. Dicionário crítico da educação física. Ijuí: Editora Unijuí, 2008. p. 170-174.

GORDON, Colin. Governmental rationality: an introduction. In: BURCHELL, Graham; GORDON, Colin; MILLER, Peter (Orgs.). The Foucault effect: studies in governamentality. Chicago: The University of Chicago, 1991. p. 1-50.

HINE, Christine. Etnografía virtual. Barcelona: UOC, 2012.

LARROSA, Jorge. Tecnologias do eu e educação. In: SILVA, Tomaz Tadeu (Org.). O sujeito da educação: estudos foucaultianos. Petrópolis: Vozes, 1994. p. 35-86.

LAZZARATO, Maurizio. O governo do homem endividado. São Paulo: N-1 Edições, 2017.

MARÍN-DÍAZ, Dora. Autoajuda e educação: uma genealogia das antropotécnicas contemporâneas. 2012. 491 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

MILLER, Peter; ROSE, Nikolas. Governando o presente: gerenciamento da vida econômica, social e pessoal. São Paulo: Paulus, 2012.

O’MALLEY, Pat. Risk and responsability. In: BARRY, Andrew; OSBORNE, Thomas; ROSE, Nikolas (Ed.). Foucault and political reason: liberalism, neoliberalism and rationalities of government. Chicago: The University of Chicago Press, 1996. p. 189-207.

ORTEGA, Francisco. O corpo incerto: corporeidade, tecnologias médicas e cultura contemporânea. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

ROSE, Nikolas. Governando a alma: a formação do eu privado. In: SILVA, Tomaz Tadeu (Org.). Liberdades reguladas: a pedagogia construtivista e outras formas de governo do eu. Petrópolis: Vozes, 1998. p. 30-45.

SÁNCHEZ, Lucía Gómez; MARTÍNEZ, Luz M. Martínez; RICO, Francisco Jódar. Psicologia, identidade e política nas tecnologias de governo neoliberais. Psicologia e Sociedade, v. 18, n. 1, p. 7-14, jan./abr. 2006.

SANT’ANNA, Denise Bernuzzi. Transformações do corpo: controle de si e uso dos prazeres. In: RAGO, Margareth; ORLANDI, Luiz Lacerda; VEIGA-NETO, Alfredo (Orgs.). Imagens de Foucault e Deleuze: ressonâncias nietzschianas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 99-110.

SOARES, Carmem Lúcia. A educação do corpo e o trabalho das aparências: o predomínio do olhar. In: ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval M.; VEIGA-NETO, Alfredo; SOUZA FILHO, Alípio (Orgs.). Cartografias de Foucault. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008. p. 75-87.

STEINBERG, Shirley R. Kindercultura: a construção da infância pelas grandes corporações. In: SILVA, Luiz Heron da; AZEVEDO, José Clóvis de; SANTOS, Edmilson Santos dos (Orgs.). Identidade Social e a Construção do Conhecimento. Porto Alegre: SMED, 1997. p. 98-145.

VEIGA-NETO, Alfredo. Coisas de governo. In: RAGO, Margareth; ORLANDI, Luiz Lacerda; VEIGA-NETO, Alfredo (Orgs.). Imagens de Foucault e Deleuze: ressonâncias nietzschianas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 9-12.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n49.8657

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica 

ISSN da versão online: 1983-9278
ISSN da versão impressa: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.