Análise da qualidade do ar interno sob a abordagem da manutenção preditiva e da inovação

André Marques Cavalcanti, André Marques Cavalcanti filho, Gustavo Passos Fortes, Janaína Karla de Souza Neto, Leydiana de Sousa Pereira

Resumo


A qualidade do ar em interiores tem influência direta no bem-estar das pessoas que ocupam ou transitam nesses locais. A climatização surge da necessidade em oferecer condições de conforto para seus ocupantes, bem como dispor de sistemas que os protejam de impurezas contidas no ar. Em alguns ambientes com climatização artificial, os ocupantes podem desenvolver enfermidades, como: fadiga, infecções, irritação nos olhos e mucosas, náuseas, tonturas etc. Estes sintomas caracterizam, segundo a OMS, a “Síndrome do Edifício Doente”. Este artigo, por uma metodologia descritiva e exploratória, trata da avaliação da qualidade do ar interior, indicando a manutenção preditiva e seus aspectos de inovação como minimizadores dos agentes causadores de enfermidades que podem desenvolver-se nesses ambientes. Para tal, analisaram-se dez clientes de uma empresa especializada em climatização. Como resultado, encontraram-se inconformidades em alguns aspectos analisados, possibilitando a confecção de um plano de ação para adequação aos parâmetros legais.

Palavras-chave


Climatização. Inovação. Qualidade do ar interior. Manutenção preditiva.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/exactaep.v13n1.5259

Direitos autorais



Tempo médio entre a submissão e primeira resposta de avaliação: 120 dias

Exacta – Engenharia de Produção

e-ISSN: 1983-9308
ISSN: 1678-5428
www.revistaexacta.org.br

Exacta  ©2020 Todos os direitos reservados.