Viabilidade da Compra com Custo de Aquisição Maior e Prazo Menor de Estocagem: Estudo Intervencionista em Empresa de Pequeno Porte

Rodney Wernke, Marluce Lembeck, Ivone Junges

Resumo


O objetivo do estudo foi verificar se é viável economicamente pagar mais caro para adquirir lote menor de insumos no âmbito de frigorífico de pequeno porte. Para essa finalidade foi utilizada metodologia classificável como qualitativa de intervenção. Como resultado foi possível confrontar o aumento no custo de compra de uma carcaça de suíno entre as duas opções dadas pelo fornecedor do insumo, com a alteração respectiva gerada no custo financeiro da estocagem das mesmas, o que proporcionaria a economia de R$ 2,84 se adotada a segunda opção de compra (preço unitário de compra maior para lote com quantidade menor de unidades). Este resultado considera que ao manter estoque para 60 dias (mesmo se comprado por preço inferior), a empresa teria custo financeiro da estocagem de R$ 6,54. Porém, se optasse por comprar lote com quantidade menor, o custo financeiro da estocagem seria de R$ 0,42 e viabilizaria esta modalidade de compra, pois supera o valor do aumento no custo de compra unitário entre a situação inicial e a simulada.

Palavras-chave


Custo de compra; Custo financeiro de estocagem; Estudo Intervencionista.

Texto completo:

pdf

Referências


Ahrens, T., & Chapman, C. S. (2007). Management accounting as practice. Accounting, Organizations and Society, v.37, n.1-2, p.1-27.

Antunes, M. T. P., Mendonça Neto, O. R. de, & Vieira, A. M. (2016). Pesquisa intervencionista: uma alternativa metodológica para os mestrados profissionais em Contabilidade e Controladoria. Atas - Investigação Qualitativa em Educação, CIAIQ2016, v.1. Disponível em: . Acesso em 16/04/2018.

Assaf Neto, A. (2017). Matemática financeira: edição universitária. São Paulo: Atlas.

Assaf Neto, A., & Lima, F. G. (2009). Curso de administração financeira. São Paulo: Atlas.

Assef, R. (1999). Administração financeira: pequenas e médias empresas. Rio de Janeiro: Campus.

Baldissera, C., Novak, R. A., Selenko, O., & Andruchechen, A. P. B. (2015). Análise

do ciclo operacional e financeiro: um estudo de caso em uma empresa do ramo moveleiro de

São Bento do Sul – SC. XXII Congresso Brasileiro de Custos. Anais... Foz do Iguaçu, PR, Brasil.

Baldvinsdottir, G., Mitchell, F., & Norreklit, H. (2010). Issues in the relationship between theory and practice in management accounting. Management Accounting Research, v. 21, n. 2, p. 79-82.

Bartunek, J. M., & Rynes, S. L. (2014). Academics and practitioners are alike and unlike: the paradoxes of academic–practitioner relationships. Journal of Management, v.40, n.5, p.1181-1201.

Coleman, L. (2014). Why finance theory fails to survive contact with the real world: a fund manager perspective. Critical Perspectives on Accounting, v.25, n.3, p.226-236.

Cunha, M. F. da., Cruz, A. F. da., Rech, I. J., & Pereira, E. M. (2013). Custo de capital médio ponderado na avaliação de empresas no Brasil: uma investigação da aderência acadêmica e a prática de mercado. Revista Ambiente Contábil, v.5, n.2, p.20-36.

Domingues, O. G. D., Tinoco, J. E. P., Yoshitake, M., Paulo, W. L. de, & Claro, J. A. C. dos. (2017). Gestão de capital de giro e formação do preço de venda praticado pelas micro e pequenas empresas. Revista Ambiente Contábil, v.9, n.1, p.77-96.

Faria, A. C. de, & Costa, M. de F. G. da. (2005). Gestão de custos logísticos. São Paulo: Atlas.

Ferreira, C. C., Macedo, M. A. S., Sant'anna, P. R., Longo, O. C., & Barone, F. M. (2011). Gestão de capital de giro: contribuição para as micro e pequenas empresas no Brasil. Revista de Administração Pública, v. 45, n. 3, p. 863-884.

Gronhaug, K., & Olson, O. (1999). Action research and knowledge creation: merits and challenges. Qualitative Market Research: an International Journal, v.2, n.1, p.6–14.

Heymann, H. G. & Bloom, R. (1990). Opportunity cost in finance and accounting. Westport: Quorum Books.

Jönsson, S., & Lukka, K. (2007). There and back again: doing interventionist search in management accounting. In: Chapman, C. S., Hopwood, A. G., & Shields, M. D. Handbook of Management Accounting Research. v.1, p. 373-397.

Kieschnick, R., Laplante, M., & Moussawi, R. (2012). Working capital management and shareholder wealth. (April). Disponível em: . Acesso em: 04 maio 2018.

Lemes Júnior, A. B., Rigo, C. M., Cherobim, A. P. M. S. (2005). Administração financeira:

princípios, fundamentos e práticas trabalhistas. Rio de Janeiro: Elsevier.

Lukka, K. (2010). The roles and effects of paradigms in accounting research. Management Accounting Research, v. 21, n. 2, p. 110-115.

Malmi, T., & Granlund, M. (2009). In search of management accounting theory. European Accounting Review, v.18, n.3, p.597-620.

Maqbool, M. Q., & Farooq, U. (2016). Liquidity risk, performance and working capital relationship of cash conversion cycle: an empirical study of the firms in Pakistan. International Journal of Information Research and Financial Review, v. 3, p. 1946-1951.

Oyadomari, J. C. T., Cardoso, R. L., Mendonça Neto, O. R., Antunes, M. T. P., & Aguiar, A. B. (2013). Criação de conhecimento em práticas de controle gerencial: análise dos estudos internacionais. Advances in Scientific and Applied Accounting, v.6, n.1, p.4-30.

Oyadomari, J. C. T., Silva, P. L. da, Mendonça Neto, O. R. de, & Riccio, E. L. (2014). Pesquisa intervencionista: um ensaio sobre as oportunidades e riscos para pesquisa brasileira em contabilidade gerencial. Advances in Scientific and Applied Accounting, v.7, n.2, p. 244 -265.

Pindyck, R. S., & Rubinfeld, D. L. (2009). Microeconomia. 5ª ed. São Paulo: Prentice Hall.

Rauen, F. J. (2015). Roteiros de iniciação científica: os primeiros passos da pesquisa científica desde a concepção até a produção e a apresentação. Palhoça: Ed. Unisul.

Redivo, R. B. (2004). Considerações sobre o cálculo da margem de contribuição: uma

proposta para inclusão do custo de reposição e do custo de oportunidade. Revista de

Ciências da Administração, v. 6, n. 11, p. 87-102.

Santos, N. S. (2007). Uma avaliação do custo de oportunidade de estocagem de produtos agroindustriais: o caso do arroz. Custos e @gronegócio On-line, v. 3, n. 2, p. 39-58.

Santos, L. M. D., Ferreira, M. A. M., & Faria, E. R. (2009). Gestão financeira de curto prazo: características, instrumentos e práticas adotadas por micro e pequenas empresas. Revista de Administração da Unimep, v. 7, n. 3, p. 70-92.

Scapens, R. W. (2006). Understanding management accounting practices: a personal journey. The British Accounting Review, v.38, n.1, p. 1-30.

Seal, W. (2010). Managerial discourse and the link between theory and practice: from ROI to value based management. Management Accounting Research, v.21, n.2, p.95-109.

Silva, E. C. da. (2018). Como administrar o fluxo de caixa das empresas: guia de sobrevivência empresarial. 10ª ed., São Paulo: Atlas.

Sousa, T. F. de. (2016). Uma análise sobre a relação entre o retorno de empresas brasileiras e os componentes do ciclo de conversão de caixa. Dissertação (Mestrado Profissional em Finanças e Economia) - FGV - Fundação Getúlio Vargas, São Paulo.

Suomala, P.; Lylyvrjänäinen. (2010). Interventionist management accounting research: lessons learned. Research Executive Summaries, v.6, n.1.

Vieira Sobrinho, J. D. (2018). Matemática financeira. 8ª ed., São Paulo: Atlas.

Weerasinghe, A., & Zhu, C. (2015). Optimal inventory control with path-dependent cost criteria. Stochastic Processes and their Applications, v. 125, Dec.

Wernke, R., & Vargas, C. C. (2014). Mensuração do custo financeiro do estoque de matérias-primas de pequena fábrica. Iberoamerican Journal of Industrial Engineering, Florianópolis, v. 6, n. 11, p. 219-244.

Wernke, R., Santos, A. P. dos, Schlickmann, L., & Zanin, A. (2018). Custo financeiro da estocagem: estudo de caso em indústria de grande porte. RACE, Revista de Administração, Contabilidade e Economia, Joaçaba: Ed. Unoesc, v.17, n.1, p.79-102.

Wernke, R. (2014). Custos logísticos: ênfase na gestão financeira de distribuidora de mercadorias e transportadoras rodoviárias de cargas. Maringá: Editora MAG.

Wernke, R., Gomes, J. M., & Lembeck, M. (2014). Custo financeiro de estocagem: estudo de caso em ferrovia. Revista do Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, n. 155, p. 28-52.

Wernke, R., Lembeck, M., & Nascimento, F. A. (2011). Gestão financeira de estoques: estudo de caso em indústria têxtil de médio porte. Revista Brasileira de Contabilidade, n. 190, p. 65-81.

Wescinski, J. W., Wernke, R., & Zanin, A. (2016). Custo financeiro de estocagem: estudo de caso em universidade comunitária. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 36, 2016, João Pessoa. Anais... João Pessoa: ENEGEP: ABEPRO.

Westin, O., & Roberts, H. I. (2010). Interventionist research – the puberty years: an introduction to the special issue. Qualitative Research in Accounting & Management, v.7, n.1, p.5-12.




DOI: https://doi.org/10.5585/exactaep.v18n1.8743

Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Tempo médio entre a submissão e primeira resposta de avaliação: 120 dias

Exacta – Engenharia de Produção

e-ISSN: 1983-9308
ISSN: 1678-5428
www.revistaexacta.org.br

Exacta  ©2020 Todos os direitos reservados.