Antropologia Ecológica: Uma Área da Ciência a Serviço da Sustentabilidade

Homero Jorge Mazzola, Bruno Giovanni Mazzola

Resumo


Mudanças ambientais têm despertado a atenção não somente da ciência, mas também de governos e da sociedade civil, em razão dos prognósticos pessimistas sobre o futuro da humanidade. O modelo capitalista tradicional surge como principal responsável por esse status quo, o que tem despertado reações globais, tanto por parte da ciência, como de instituições e movimentos sociais, locais e internacionais, que vêm alertando sobre a necessidade urgente de mudanças na economia, na política e nas ações da sociedade civil. Essas mudanças exigem uma visão multidisciplinar sobre os problemas atuais e as possíveis soluções. A Antropologia se insere nesse esforço possibilitando, a partir do entendimento do homem e de suas relações com o ambiente natural, novos conhecimentos que suportem o esforço planetário de se construir uma nova cultura ecológica coerente com as necessidades da contemporaneidade e com o desenvolvimento de uma sociedade verdadeiramente sustentável. Desenvolvimentos antropológicos das últimas décadas mostram essa possibilidade. Espera-se, com a discussão neste ensaio, contribuir para uma maior conscientização sobre esta problemática.

Palavras-chave


Antropologia ecológica; Cultura ecológica; Desenvolvimento sustentável; Sustentabilidade; relações cultura-natureza

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/geas.v7i1.747

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade



Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional