Produto Sustentável: Equipamento de Proteção Individual Fabricado com Plástico Verde

Hamilton Aparecido Boa Vista, Mário Roberto dos Santos, Fábio Ytoshi Shibao

Resumo


Este estudo analisa a fabricação de equipamentos de proteção individual (EPI) com matéria-prima a partir de biopolímeros do etanol da cana-de-açúcar, conhecido como polipropileno verde e fabricados desde 2008 pela Braskem. Estuda o EPI de proteção à cabeça do usuário, denominado capacete pela NR 6, utilizado nas situações de exposição a agentes meteorológicos e em locais onde há risco de impactos provenientes de queda ou projeção de objetos, queimaduras, choques elétricos e irradiação solar. A MSA, empresa fabricante do denominado capacete sustentável, efetuou um inventário das emissões de gás carbônico para a atmosfera, comparando o processo de fabricação do casco do capacete a partir de biomassa com o de derivados de petróleo, no período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2011. Segundo os dados coletados, o capacete “verde” (polietileno verde e pigmentos) sequestra 231g de CO2 da atmosfera por unidade, enquanto na produção do capacete com as matérias-primas tradicionais (polietileno petroquímico e pigmentos), são emitidos 1.029 g de CO2 na atmosfera para cada unidade produzida. Este estudo conclui que a substituição da matéria-prima levou à redução do impacto gerado na produção de capacetes.

Palavras-chave


Avaliação do Ciclo de Vida (ACV), Ecoeficiência, Equipamento de Proteção Individual (EPI), Plástico Verde, Produto Sustentável.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/geas.v4i1.137

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade



Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional