A Qualidade do Capital Social com Stakeholders: Fator de Desenvolvimento Espúrio ou Sustentável

Paulo Thiago Nunes Bezerra de Melo, Hans Michael van Bellen, Elise Soerger Zaro

Resumo


A discussão deste ensaio tem o objetivo de apresentar proposições sobre a avaliação da qualidade do capital social constituído entre organizações e seus stakeholders como um fator de desenvolvimento regional. O capital social é o conjunto de ativos relacionais que podem afetar a capacidade produtiva de uma entidade social, possuindo as dimensões estrutural, relacional e cognitiva, que são inter-relacionadas. As relações que uma organização estabelece com seus stakeholders constituem um capital social, cuja qualidade se refere ao potencial de desenvolvimento que elas promovem em uma região. O desenvolvimento de uma região é qualificado de acordo com a lógica predominante das ações realizadas pelas organizações locais, que resultam em um desenvolvimento espúrio ou sustentável. Este estudo apresenta três proposições. A primeira delas afirma que a qualidade do capital social nas relações entre gestores e stakeholders é revelada nas dimensões relacional e cognitiva. As demais proposições afirmam que as relações entre organizações e stakeholders constituem um capital social que promove um desenvolvimento espúrio ou sustentável.

 


Palavras-chave


capital social, stakeholder, desenvolvimento sustentável.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/geas.v4i2.194

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade



Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional