Gestão inovadora e dinâmica de projetos: uma abordagem sobre gamificação

Waldelino Duarte Ribeiro, Luana Fernandes dos Santos Montenegro, Manoel Veras de Sousa Neto

Resumo


O objetivo da pesquisa é analisar o uso da gamificação para o engajamento motivacional das equipes e partes interessadas fundamentais na gestão de projetos. A pesquisa também tem o propósito de ampliar o conhecimento para um possível uso da ferramenta de forma adequada a atender as necessidades gerenciais do projeto. Fez-se uma revisão bibliográfica, descritiva e qualitativa, onde foram analisados os conceitos envolvidos no processo de uso da gamificação no contexto de gerenciamento de projetos. Foi considerado o uso das dimensões intrínsecas e extrínsecas, defendidas na teoria da autodeterminação. Além do uso de um questionário, on-line, em busca de melhores resultados, aderentes a estratégia para o alcance das metas e propósitos nos projetos organizacionais. Os resultados encontrados foram que o uso de uma tecnologia inovadora e dinâmica como a gamificação, contribui para o sucesso do projeto. Através de atividades com o intuito de alcançar metas e objetivos definidos e alinhados com a estratégia, é possível acompanhar os indicadores, em tempo real, na fase de execução e monitoramento do projeto. A pesquisa, também mostra, que o uso da gamificação pode acarretar em uma melhoria da comunicação e a interação entre os participantes, além de permitir uso da motivação extrínseca e intrínseca, através de estratégias de bonificações. Isto faz com que as pessoas consigam seus próprios objetivos e, por consequência, os das organizações. Tais atitudes elevam os indicadores de sucesso dos projetos com o propósito de eliminar desperdícios e criar valor para o negócio, superando limitações pessoais e culturais dos seus colaboradores. 


Palavras-chave


Gestão de Projetos. Inovação. Gamificação. Engajamento. Motivação.

Texto completo:

PDF

Referências


Anderson, J., & Rainie, L. (2012). The future of gamification. Pew Research Center. Recuperado em abril de 2018 de: http://www.pewinternet.org/2012/05/18/the-future-of- gamification/

Bartle, R. (1996). Hearts, clubs, diamonds, spades: players who suit MUDs. The Journal of Virtual Environments, 1. Recuperado em março de 2019 de: http://www.arise.mae.usp.br/wp-content/uploads/2018/03/Bartle-player-types.pdf

Biloch, A., & Löfstedt, A. (2013). Gamification and performance management: A tool for driving competitiveness through employee Engagement.

Burke, B. (2015). Gamificar: Como a gamificação motiva as pessoas a fazerem coisas extraordinárias. São Paulo: DVS.

Carvalho, M. M. de, & Rabechini JR., R. (2015). Fundamentos em gestão de projetos: construindo competências para gerenciar projetos. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Cavalcante, M. M., Siqueira, M. M. M., & Kuniyoshi, M. S. (2014). Engajamento, bem-estar no trabalho e capital psicológico: um estudo com profissionais da Área de gestão de pessoas. Revista Pensamento e Realidade, 29, 42-63.

Cerasoli, C. P., Nicklin, J. M., & Ford, M. T. (2014). Intrinsic Motivation and Extrinsic Incentives Jointly Predict Performance: A 40-Year Meta-Analysis. Psychological Bulletin, 140, 980-1008.

Chartered Institute of Personnel and Development. (2012). Managing for sustainable employee engagement - Guidance for employers and managers. Recuperado em julho de 2018 de: https://www.cipd.co.uk/Images/managing-for-sustainable-employee-engagement-guidance- for-employers-and-managers_2012_tcm18-10753.pdf

Cohen, R. (2017). Gamification em help desk e service desk: promovendo engajamento e motivação no século 21 em centros de suporte, help desk e service desk. São Paulo: Novatec.

Deterding, S., Dixon, D., Khaled, R., & Nacke, L. (2011). From game design elements to gamefulness: defining gamification. In: Proceedings of the 15th International Academic MindTrek Conference: Envisioning Future Media Environments, Tampere, Finlândia.

ESA. (2017). Essential Facts About the Computer and Video Game Industry. Entertainment Software Association. Recuperado em novembro de 2017 de: http://www.theesa.com/wp-content/uploads/2017/09/EF2017_Design_FinalDigital.pdf

Gallup. (2013). State of The American Workplace Report. Recuperado em julho de 2018 de: https://www.gallup.com/file/services/176708/State_of_the_American_Workplace_ .

Google Trends. (2018a). Consulta da palavra Gamification no Google Trends. Recuperado em 22 de abril de 2018 de: https://trends.google.com/trends/explore?date=all&q=gamification

Google Trends. (2018b). Consulta da palavra Gamificação no Google Trends. Recuperado em 22 de abril de 2018 de: https://trends.google.com/trends/explore?date=all&q=gamificação

Gray, D., Brown, S., & Macanufo, J. (2012). Gamestorming: jogos corporativos para mudar, inovar e quebrar regras. Rio de Janeiro: Alta Books.

Joslin, R., & Müller, R. (2015). Relationships between a project management methodology and project success in different project governance contexts. International Journal of Project Management, 33(6), 1377-1392.

Marconi, M. J., Lakatos, E. M. (1999). Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Pink, D. (2010). Motivação 3.0: os novos fatores motivacionais que buscam tanto a realização pessoal quanto profissional. Rio de Janeiro: Elsevier.

PMI. Project Management Institute. (2017). A guide to the project management body of knowledge - PMBok. 6. ed. Pennsylvania: Project Management Institute.

Prodanov, C.C. & Freitas, E.C. (2013). Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico (2a. ed.). Novo Hamburgo: Universidade Fee Vale.

Ryan, R. M., & Deci, E. L. (2000). Self-determination theory and the facilitation of intrinsic motivation, social development, and wellbeing. American Psychologist, 55, 68-78.

SCRUMstudy. (2013). A guide to the scrum body of knowledge - SBOK. 3. ed. Phoenix: SCRUMstudy.

Severino, A. J. (2017). Metodologia do trabalho científico. Cortez editora.

Silva, F. B. (2016). Gerenciamento de Projetos fora da caixa: fique com o que é relevante. Rio de Janeiro: Alta Books.

Veras, M. (2016). Gestão Dinâmica de Projetos: Life Cycle Canvas. Rio de Janeiro: Brasport.

Veras, M. (2017). Negócio baseado em projetos. Rio de Janeiro: Brasport.

Veras, M., & Campelo, B. (2016). Life Cycle Canvas: gestão dinâmica de projetos. Revista Mundo PM, 70.

Vianna, Y.; Vianna, M.; Tanaka, S. (2013). Gamification, Inc.: como reinventar empresas a partir de jogos. 1. ed. Rio de Janeiro: MJv Press.




DOI: https://doi.org/10.5585/gep.v10i2.11008

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista de Gestão e Projetos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

GeP – Revista Gestão e Projetos
ISSN da versão eletronica: 2236-0972
www.revistagep.org