Avaliação de Maturidade em Gestão de Projetos na Universidade Federal de Alagoas utilizando o Método Prado-MMGP

Marina Costa Campos, Anderson de Barros Dantas, Luciana Santos Costa Vieira da Silva, Cláudia Maria Milito

Resumo


A Universidade Federal de Alagoas (UFAL) utiliza projetos para alcance de seus objetivos institucionais. Evidencia-se, portanto, a necessidade de amadurecer essa competência e estabelecer uma metodologia de gerenciamento de projetos eficaz. Assim, esta pesquisa teve como objetivo avaliar a maturidade da capacidade organizacional da UFAL em gerenciar projetos utilizando a metodologia Prado-MMGP indicando onde se deve investir para obter melhores resultados. A contribuição teórica dessa pesquisa se dá em função de ser o primeiro trabalho no contexto universitário a fazer o uso dessa ferramenta, o que se constitui em uma lacuna a ser explorada, além de servir de incentivo a adoção dessa metodologia por parte de outras Instituições de Ensino Superior. A pesquisa classifica-se como estudo de caso de caráter descritivo com uma abordagem quantitativa realizada a partir de uma survey. Foram alvo do levantamento a Pró-reitoria de Gestão Institucional (Proginst), o Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI) e a Superintendência de infraestrutura (Sinfra) localizados nos campi Maceió e Arapiraca. Os resultados apontam que os setores onde há melhor avaliação em gestão de projetos são o NTI Arapiraca, seguido da Sinfra, NTI Maceió e Proginst. Foram identificados esforços iniciais, porém sem uma metodologia institucionalizada. A nota final da organização foi 1,64 em uma escala ordinal de 1 até 5, classificando-a como nível 2 de maturidade, o que indica que se deve investir em treinamento, na implantação de uma plataforma informatizada e na padronização de suas práticas.


Palavras-chave


Gestão de Projetos; Maturidade em Gestão de Projetos; Prado-MMGP.

Texto completo:

pdf

Referências


Andersen, E. S., & Jessen, S. A. (2003). Project maturity in organisations. International journal of project management, 21(6), 457-461.

Andrade, M. M. D., & Gabillaud, A. M. P. (2014). Maturidade em gerenciamento de projetos: estudo de caso em construtoras do estado de Sergipe. In: Encontro nacional de engenharia de produção, 34, Curitiba, 2014. Anais eletrônicos XXXIV Encontro Nacional De Engenharia De Produção. Curitiba, ABEPRO.

Berssaneti, F. T., Carvalho, M. M. D., & Muscat, A. R. N. (2012). Impacto dos modelos de referência e maturidade no gerenciamento de projetos: estudo exploratório em projetos de tecnologia da informação. Production, 22(3), 404-435.

Catelli, A., & Santos, E. S. (2004). Mensurando a criação de valor na gestão pública. Revista de Administração Pública, 38(3), 423-450.

Cooke-Davies, T. J., & Arzymanow, A. (2003). The maturity of project management in different industries: An investigation into variations between project management models. International Journal of Project Management, 21(6), 471-478.

Cooke‐Davies, T. (2004). Project management maturity models. The Wiley guide to managing projects, 1234-1255.

Costa, T. M., de Araujo, R. M., & Popoff, C. E. G. Avaliação do Nível de Maturidade de Setores de Apoio e Execução da Polícia Militar do Estado do Rio Grande Norte. Gestão Pública: Práticas e Desafios, 7(1).

Costa, S. R., & Ramos, A. F. B. (2013). Modelo de Maturidade em gerenciamento de projeto: um estudo de caso aplicado a projetos de petróleo e energia. Sistemas & Gestão, 8(3), 234-243.

Crawford, L. (2006). Developing organizational project management capability: theory and practice. Project Management Journal, 37(3), 74-86.

de Araújo Silveira, G., Sbragia, R., & Kruglianskas, I. (2013). Fatores condicionantes do nível de maturidade em gerenciamento de projetos: um estudo empírico em empresas brasileiras. Revista de Administração, 48(3), 574-591.

de Oliveira, E. L., & de Oliveira, E. A. D. A. (2015). Estudo exploratório sobre os métodos OPM3 e KPMMM para avaliação de maturidade organizacional no gerenciamento de projeto. Revista Gestão Industrial, 11(4).

de Sena Abrahão, P. V., & Oliveiva, E. A. D. A. Q. (2016). Avaliação da Maturidade em Gestão de Projetos em um Departamento de Desenvolvimento de Novos Produtos. Revista Gestão Industrial, 12(2).

de Souza, T. F., & Gomes, C. F. S. (2015). Assessment of maturity in project management: a bibliometric study of main models. Procedia Computer Science, 55, 92-101.

de Souza Scotelano, L., da Conceição, R. D. P., da Costa Leonídio, U., & de Jesus, C. S. (2017). Project management maturity model: the case in an automotive industry in Brazil. Brazilian Journal of Operations & Production Management, 14(4), 500-507.

de Vasconcelos, D. C., & de Vasconcelos, A. M. C. (2012). A maturidade em gerenciamento de projetos logísticos aplicada a uma indústria automotiva cearense. Revista de Gestão e Projetos-GeP, 3(1), 159-180.

Fink, A. (2003). The survey handbook. Sage.

Freitas, H., Oliveira, M., Saccol, A. Z., & Moscarola, J. (2000). O método de pesquisa survey. Revista de Administração-RAUSP, 35(3).

Gewandsznajder, F., & Alves–Mazzotti, A. J. (1998). O método nas Ciências Naturais e Sociais. São Paulo: Pioneira.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (Vol. 4, p. 175). São Paulo: Atlas.

Júnior, J., da Silva, A., Conforto, E. C., & Amaral, D. C. (2010). Maturidade em gestão de projetos em pequenas empresas desenvolvedoras de software do Polo de Alta Tecnologia de São Carlos. Gestão & Produção, 17(1), 181-194.

Hartono, B., Wijaya, D. F., & Arini, H. M. (2019). The impact of project risk management maturity on performance: Complexity as a moderating variable. International Journal of Engineering Business Management, 11, 1847979019855504.

Kipper, L. M., Nara, E. O. B., & Mendes, F. I. (2013). Gestão por processos aplicada à gestão de projetos: uma metodologia para gerenciamento de projetos na indústria. Sistemas & Gestão, 8(4), 402-414.

Kolotelo, J. L. G. (2008). Nível de maturidade em gerenciamento de projetos: Levantamento nas indústrias do Estado do Paraná (Master's thesis, Universidade Tecnológica Federal do Paraná).

Kuo, T., & Tsai, G. Y. (2019). The effects of employee perceived organisational culture on performance: the moderating effects of management maturity. Total Quality Management & Business Excellence, 30(3-4), 267-283.

Lopes, R. C. S. (2011). Proposta de instrumento de avaliação da maturidade em gestão de projetos de órgãos e entidades do setor público. Brasília: Instituto Serzdello Correa-ISC/TCU.

Matias-Pereira, J. (2010). A governança corporativa aplicada no setor público brasileiro. Administração Pública e Gestão Social, 2(1), 109-134.

Miranda, S. S., & Barbosa, M. W. (2016). Uma análise da maturidade da gestão de projetos de Extensão Universitária com auxílio de um modelo de maturidade. Anais do V SINGEP, São Paulo.

Nascimento, T. C. (2011). Percepções de maturidade em gerenciamento de projetos à luz da nova gestão pública: uma investigação com gestores das secretarias estaduais do Rio Grande do Norte (Master's thesis, Universidade Federal do Rio Grande do Norte).

Patah, L. A., & de Carvalho, M. M. (2012). Métodos de gestão de projetos e sucesso dos projetos: um estudo quantitativo do relacionamento entre estes conceitos. Revista de Gestão e Projetos-GeP, 3(2), 178-206.

Peci, A., Pieranti, O. P., & Rodrigues, S. (2008). Governança e New Public Management: convergências e contradições no contexto brasileiro. Organizações & Sociedade, 15(46), 39-55.

Pietrobon, F. (2009). Proposta de um modelo para identificação do nível de maturidade de aglomerados produtivos (Doctoral dissertation, Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção)-Universidade Tecnológica do Paraná, Ponta Grossa).

PMI - Project Management Institute. (2013). OPM3 – Organizational project management maturity model. (3a ed.). Project Management Institute.

PMI - Project Management Institute. (2014). Implementing Organizational Project Management. Project Management Institute.

PMI - Project Management Institute. (2017). Guia PMBOK. (6a ed.). Project Management Institute

PMI - Project Management Institute. (2018). Success in disruptive times – Expanding the value delivery landscape to address the high cost of low performance. Retirado de: https://www.pmi.org/-/media/pmi/documents/public/pdf/learning/thought¬leadership/pulse/pulse-of-the-profession-2018.pdf

Pontes, T. B., & Junior, V. G. T. (2017). Análise do Nível de Maturidade em Gerenciamento de Projetos em uma Agência de Publicidade da Região do Cariri. Revista Gestão em Análise, 5(2), 82-99.

Prado, D. (2015). Maturidade em gerenciamento de projetos. (3a. ed.). Nova Lima: FALCONI Editora.

Rampazzo, L. (2005). Metodologia científica. Edições Loyola.

Rodrigues, I.; Rabechini Junior, R.; Csillag, J. M. (2006). Os escritórios de projetos como indutores de maturidade em gestão de projetos. Revista de Administração-RAUSP, 41(3), 273-287.

Schlichter, J., Friedrich, R., & Haeck, B. (2003, September). The history of OPM3. In PMI’s Global Congress Europe.

Silva, R. R. D. (2011). Análise comparativa de modelos de maturidade em gerenciamento de projetos: uma contribuição ao estudo da maturidade organizacional em setores de engenharia (Master's thesis, Universidade Federal do Rio Grande do Norte).

Team, S. C. P. (2010). CMMI for Development v1. 3. Lulu. com.

Tiossi, F. M., & Gasparato, F. (2017). Gestão de projetos e seus modelos de maturidade. Organizações e Sociedade, 5(4), 104-115.

Ventura, M. M. (2007). O estudo de caso como modalidade de pesquisa. Revista SoCERJ, 20(5), 383-386.

VICTORA, C. G., Knauth, D. R., & Hassen, M. N. A. (2000). Metodologias qualitativas e quantitativas. Pesquisa qualitativa em saúde: uma introdução ao tema. Porto Alegre: Tomo Editorial, 33-44.

Vinuto, J. (2014). A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, Campinas, 22(44), 203-220.

Voropaeva, L. N., Yurieva Т.V. (2017). Project Management and Main Methods of its Implementation. Economic Systems Management: electronic science journals. 6 (100). p. 47.

Voropaeva, L. N., & Yurieva, T. V. (2019). PROJECT FINANCE: PRINCIPLES AND EFFICIENCY. Project Management Development–Practice and Perspectives, 104.

Weber, K. C., Rocha, A. R., Alves, Â., Ayala, A. M., Gonçalves, A., Paret, B., & Araújo, E. (2004, September). Modelo de Referência para Melhoria de Processo de Software: uma abordagem brasileira. In XXX Conferencia Latinoamericana de Informatica (CLEI2004), Sesión (Vol. 13, pp. 20-10).

Zaguir, N. A., & Martins, M. R. (2007). Revisão Crítica do OPM3: um estudo de redundâncias. Revista Gestão Industrial, 3(1).




DOI: https://doi.org/10.5585/gep.v11i1.15870

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista de Gestão e Projetos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

GeP – Revista Gestão e Projetos
ISSN da versão eletronica: 2236-0972
www.revistagep.org