Gerenciamento de Projetos em Pesquisa e Desenvolvimento

Mauro Maia Laruccia, Plínio Célio Ignez, Gilmar Jonas Deghi, Mamerto Granja Garcia

Resumo


Este trabalho tem por objetivo estudar o gerenciamento de projetos na área de Pesquisa e Desenvolvimento, em um cenário onde os avanços da tecnologia têm influenciado nas mais diversas áreas do conhecimento humano e passaram a exigir abordagens diferenciadas na forma de planejar, executar e controlar os projetos, para assegurar os resultados almejados pelas organizações. Avaliar as formas de conhecimento aplicadas ao gerenciamento de projetos e as interações de suas disciplinas apresenta-se como uma condição oportuna para compreensão e melhoria do processo de gerenciamento de projetos. Considerando que a interdisciplinaridade destaca-se na crítica e na busca de respostas aos limites do conhecimento e que rompe com o paradigma disciplinar de produção do conhecimento particionado, a análise da forma de conhecimento do gerenciamento de projetos pode contribuir para desvelar oportunidades e engendrar melhorias neste processo. Verifica-se que o gerenciamento de projeto tem evoluído continuamente e congrega diversas disciplinas do conhecimento nos modelos praticados. Atualmente, um dos modelos mais consagrados de gerenciamento de projetos é o Project Management Body of Knowledge (PMBOK), publicado pelo Project Management Institute (PMI), que é utilizado em mais de 185 países. Vale ressaltar, que a simples comunicação entre as disciplinas do gerenciamento de projetos não significa que estejamos aplicando necessariamente uma abordagem interdisciplinar. Analisar o gerenciamento de projetos na ótica da interdisciplinaridade pode contribuir para o aperfeiçoamento dos modelos de gerenciamento de projetos e consequentemente para a geração de melhores resultados para as organizações.

DOI:10.5585/gep.v3i3.82


Palavras-chave


Interdisciplinaridade; Gerenciamento de Projetos; Gestão do Conhecimento.

Texto completo:

PDF

Referências


Albrecht, K. (2004). Um Modelo de Inteligência Organizacional. HSM Management, 44(Maio-Junho), 170–174.

Alvarenga, A. T. et ali. (2011). Histórico, fundamentos filosóficos e teórico-metodológicos da interdisciplinaridade. In: Philippi JR., A.; Silva Neto, A. J. (2011). Interdisciplinaridade em Ciência, Tecnologia & Inovação. São Paulo: Manole, p.3-68.

Borg, I., &Groenen, P. J. (2005). Modern multidimensional scaling: theory and applications. Springer series in statistics.New York: Springer.

Campos, V. F. (2004). Gerenciamento da rotina do trabalho do dia-a-dia. Belo Horizonte, MG: INDG Tecnologia e Serviços.

Davenport, T. H., &Prusak, L. (1998). Conhecimento empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Campus.

Fazenda, I. C. A. (1994). Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. Campinas: Papirus.

Harvard Business Review. (2001). Gestão do conhecimento. Rio de Janeiro: Campus.

Jantsch, A. & Bianchetti, L. (1995). Interdisciplinaridade: Para além da Filosofia do Sujeito. Rio de Janeiro: Vozes.

Kerzner, H. (2006). Gestão de projetos as melhores práticas. Porto Alegre: Bookman.

Klein, J. T. (1998). Didática e Interdisciplinaridade. Campinas: Papirus.

Lima, M. C. (2004). Monografia: A Engenharia da Produção Acadêmica. São Paulo: Saraiva.

Malhotra, N. K. (2006). Pesquisa de marketing uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman.

Mcdaniel, C., &Gats, R. (2003). Pesquisa de Marketing. São Paulo: Pioneira.

Morin, E. (2000). Ciência com consciência. 4ª Edição. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Memon, N., & Daniels, T. (2007). Special issue on secure knowledge management.Information Systems Frontiers, 9(5), 449–450. doi:10.1007/s10796-007-9058-z

Nonaka, I. (2001). “A Empresa Criadora de Conhecimento”. In: Harvard Business Review. Gestão do conhecimento (pp. 27–49). Rio de Janeiro: Campus.

Nonaka, I., &Takeuchi, H. (1997). Criação de conhecimento na empresa : como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Elsevier.

Philippi JR., A.; Silva Neto, A. J. (2011). Interdisciplinaridade em Ciência, Tecnologia & Inovação. São Paulo: Manole.

Project Management Institute. (2008). Um guia do conhecimento em gerenciamento de projectos (Guia PMBOK®). Newtown Square, Pa.: Project Management Institute.

Santos, G. S. (2011). Gestão de Projetos em P&D: Contribuição das Melhores Práticas do Mercado. Gestão de Projetos em P&D. Retrieved May 20, 2011, from http://gestaosistemasdeinformacao.blogspot.com.br/2011/05/gestao-de-projetos-em-p-contribuicao.html

Stengers, I. (2002). A Invenção das Ciências Modernas. São Paulo: Editora 34.




DOI: https://doi.org/10.5585/gep.v3i3.82

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 Mauro Maia Laruccia, Plínio Célio Ignez, Gilmar Jonas Deghi, Mamerto Granja Garcia



GeP – Revista Gestão e Projetos
ISSN da versão eletronica: 2236-0972
http://www.revistagep.org