Modelo para Construção de Base de Conhecimentos sobre Projetos Suportado por Ferramentas Colaborativas

Douglas Paulesky Juliani, Jordan Paulesky Juliani, Janine da Silva Alves Bello, João Artur de Souza

Resumo


A utilização de ferramentas de colaboração para o gerenciamento de bases de conhecimento permite que as organizações possam armazenar e disseminar o conhecimento produzido nos projetos de maneira efetiva Aliar modernas soluções de tecnologia de informação a conceitos de gestão do conhecimento e gerenciamento de projetos, beneficiando com a manutenção e utilização da memória organizacional através da utilização de modelos especificados possibilitaa obtenção de vantagens competitivas.Este artigo tem por objetivo apresentar um modelo para a construção de uma base de conhecimentos, com basenas lições aprendidas no gerenciamento de projetos baseado no guia PMBOK (Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos), suportado por ferramentas colaborativas e fundamentos de gestão do conhecimento.

DOI:10.5585/gep.v3i3.128


Palavras-chave


Gestão do Conhecimento; Gerenciamento de Projetos; Base de Conhecimento; Memória Organizacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, R. T (2005).“Introdução de Práticas de Reflexão para a Coleta de Lições Aprendidas em Projetos de Software”. Seminário de Pesquisa SPQ 2005.1, MGCTI/UCB, Brasília, DF, Brasil.

Becerra-Fernandez, I., Gonzales, A.; Sabherwal, R. (2004). Knowledge Management: Challenges, Solutions and Technologies. Pearson Education, Upper Saddle River, NJ.

Biancolino, C. A; Kniess, C. T.; Maccari, E.A; RabechiniJr, R. (2012) ProtocoloparaElaboração de Relatos de Produção Técnica. Revista de Gestão e Projetos - GeP, São Paulo, v. 3, n. 2, p 294-307, mai./ago.

Boff, L. H. (2000). Conhecimento: fonte de riqueza das pessoas e das organizações. Banco do Brasil: Fascículo Profissionalização, n. 22, Abril.

BohH, W. F. (2008). Reuse of knowledge assets from repositories: A mixed methods study. Information & Management, vol. 45, p. 365–375.

Castro, R. C. F. (2006). Impacto da Internet no fluxo da comunicação científica em saúde. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 40.

Davenport, T. H; Prusak, L. (1998).Conhecimento empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. 4a ed. Rio de Janeiro: Campus.

Fichter, D. (2005). Intranets, wikis, blikis, and collaborative working.

Jashapara, A. (2009). Knowledge Management: An Integrated Approach. Pearson Education, Harlow.

Jasimuddin, S. M. (2005). Storage of transferred knowledge or transfer of stored knowledge: which direction? If both, then how? Proceedings of the 38th Hawaii International Conference on System Sciences.

Kankanhalli, A., TAN, B.C.Y., WEI, K.K. (2005). Contributing knowledge to electronic knowledge repositories: an empirical investigation. MIS Quarterly, vol. 29, n. 1, p. 113–143.

King, W.R.; Marks, P.V.; Mccoy, S. (2002).The most important issues in knowledge management, Communications of The Acm, vol. 45, n. 9, p 93-97.

Lara, (2004). Consuelo Rocha Dutra de. A atual Gestão do Conhecimento: a importância de avaliar e identificar o capital humano nas organizações. São Paulo: Nobel.

Lemon, M.; Sahota, P. S. (2004).Organizational culture as a knowledge repository for increased innovative capacity, Technovation, vol. 24, p. 483-498.

Nonaka, I.; Takeuche, H. (1997). Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. 16a ed. Rio de Janeiro: Campus.

Oliveira, F. (2000). Memory systems in organizations: an empirical investigation of mechanisms for knowledge collection, storage and access. Journal of Management Studies, vol. 37, p. 811-832.

Palmisano, Angelo; Rosini, Alessandro Marco. (2006). Administração de Sistemas de Informação e a Gestão do conhecimento. São Paulo: Pioneira Thomsom Learning,.

PMBOK – Um guia do conjunto de conhecimentos em gerenciamento de projetos. [Project Management Institute]. - 4. ed. (2007). - Newtown Square : PMI.

Probst, G.; Raub, S.; Romhart, K. (2002).Gestão do Conhecimento - Os elementos construtivos do sucesso. São Paulo: Bookman.

Saito, A.; Umemoto, K; Ikeda, M. A (2007). Strategy-based ontology of knowledge management technologies. Journal of Knowledge Management.vol. 11, n.1, p. 97-114.

Silva, Arleide Rosa Da. (2011). Análise Da Relação Entre A Gestão Do Conhecimento E O Ambiente De Inovação Em Uma Instituição De Ensino Profissionalizante. Tese. Universidade Federal de Santa Catarina.

Valeriano, D. (1998). Gerência em projetos de pesquisa, desenvolvimento e engenharia. São Paulo: Makron Books.

Van Aken, J. E. (2007). Developing organization studies as an applied science using a triple learning approach. Disponívelem: http://www.egosnet.org/organization_studies/summer_workshops/2007?page=3. Acesso em 22/12/2012.

Vargas, Ricardo. (2003). Manual Prático do Plano de Projeto. Rio de Janeiro: Brasport.

Weggeman, M. (1997). Knowledge Management. Schiedam: Scriptum.




DOI: https://doi.org/10.5585/gep.v3i3.128

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 Douglas Paulesky Juliani, Jordan Paulesky Juliani, Janine da Silva Alves Bello, João Artur de Souza



GeP – Revista Gestão e Projetos
ISSN da versão eletronica: 2236-0972
http://www.revistagep.org