Desenvolvimento de um Instrumento Gerencial de Custo para uma Gestão Estratégica em Empresas de Serviços Contábeis: Um Estudo Multicasos

Zaim Donizete da Silva, Wanderley Ramalho, Ricardo Vinícius Dias Jordão

Resumo


Imersos em um ambiente cada vez mais competitivo, decorrente da globalização, os escritórios de contabilidade têm se ressentido da ausência de um Sistema de Controle Gerencial (SCG), notadamente da falta de um sistema de apuração e controle de custos que possa nortear uma estratégia de precificação adequada dos seus serviços. Este artigo tem como objetivo preencher esta lacuna, desenvolvendo um instrumento gerencial de custos para uma gestão estratégica em empresas contábeis. Em termos metodológicos, procedeu-se a um estudo de multicasos em três escritórios de contabilidade de Belo Horizonte e Contagem em Minas Gerais. Utilizou-se inicialmente uma abordagem quantitativa mediante a aplicação de um modelo de apuração e controle de custos seguidos de uma abordagem qualitativa constituída por entrevistas semiestruturadas e semidiretivas com os gestores desses escritórios. Procedendo-se a uma triangulação, foi possível concluir que o modelo sugerido  contribui efetivamente para a  solução do problema da ausência de uma estratégia de precificação dos serviços contábeis.


Palavras-chave


SCG. Estratégia. Serviços. Precificação. Custos Contábeis.

Texto completo:

PDF

Referências


Alberton, J. R.; Donzelli, L.; Diehl, C. A. & Marquezan, L. H. F. (2012). Custeio baseado em atividades: aplicação em uma empresa prestadora de serviços contábeis na cidade de Marau/RS.. Revista Brasileira de Contabilidade – CFC, 200, 87-99. Recuperado de: http://rbc.cfc.org.br/index.php/rbc/article/view/1056/777.

Ansoff, H. I. & Sanvicente, A. Z. (1977). Estratégia empresarial. São Paulo: McGraw-Hill,

Beuren, I. M., Sousa, M. A. B. & Raupp, F. M. (2003). Um estudo sobre a utilização de sistemas de custeio em empresas brasileiras. Anais do Congresso Internacional de Custos, 8, Punta del Este, Uruguay.

Bruni, A. L. & Famá, R. (2004). Gestão de custos e formação de preços: com aplicações na calculadora HP 12C e Excel. 3ª ed., São Paulo: Atlas.

Carastan, J. T. (1998). Aspectos e características da gestão estratégica como elemento de suporte à competitividade empresarial. Anais do Congresso Brasileiro de Gestão Estratégica de Custos, 5, Fortaleza, CE, Brasil.

Cavalcante, C. H. L. & Silva, C. (2007). Custo da prestação de serviços contábeis. Revista Brasileira de Contabilidade, 165,65-73. Recuperado de: http://rbc.cfc.org.br/ index.php/rbc/article/view/735/473.

Coelho, F. & Monteiro, A. A. S. (2002, maio/julho). Formação de preço para empresas de serviço. Revista Pensar Contábil, 5(16). Recuperado de: http://www.fabianocoelho.com.br/artigos-contabilidade-gestao/Artigo-Formacao-de-preco-para-empresas-de-servico.pdf.

Garcia, E., Casarotto, C. C. W. & Garcia, O. P. G. (2003, abril). Métodos de custeio: uma ferramenta para precificação da produção. Anais do Congresso Internacional de Custos, 8, Punta Del Este, Uruguai.

Kraemer, T. H. (1995). Discussão de um sistema de custeio adaptado às exigências da nova competição global. Dissertação do mestrado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Leone, G. S. G. (2008). Custos: planejamento, implantação e controle. 3ª ed., São Paulo: Atlas.

Martins, E. (2006). Contabilidade de custos. 9ª ed., São Paulo: Atlas.

Melo, E. A. (2014). Estratégia e desenho do sistema de controle gerencial: contributos para a avaliação do desempenho estratégico e operacional em uma indústria calçadista. Dissertação de mestrado, Fundação Pedro Leopoldo, Pedro Leopoldo, MG, Brasil.

Moreira, C. A., Almeida, I., Ferreira, G. A. & Bassan, G. A. (2010). Custo da prestação de serviços contábeis: o caso da Casintep Contabilidade e Assessoria Ltda., uma organização contábil do município de Sinop-MT. Anais da Jornada Acadêmica de Ciências Contábeis, 8, UNEMAT- Universidade do Estado do Mato Grosso.

Perez, J. H. Jr.; Oliveira, L. M. & Costa, R. G. (2009). Gestão estratégica de custos. 6ª ed., São Paulo: Atlas.

Santos, J. J. (2011). Contabilidade e análise de custos: modelo contábil, métodos de depreciação. ABC – custeio baseado em atividades, análise atualizada de encargos sociais sobre salários, custos de tributos sobre compras e vendas. 6ª ed., São Paulo: Atlas.

Schultz, C. A., Silva, M. Z. & Borgert, A. (2010). É o custeio por absorção o único método aceito pela Contabilidade? Revista Brasileira de Contabilidade – CFC, (183), 39-55. Recuperado de: http://rbc.cfc.org.br/index.php/rbc/article/view/895/616.

Shank, J. K. & Govindarajan, V. (1997). Gestão estratégica de custos: a nova ferramenta de vantagem competitiva. Rio de Janeiro: Campus.

Simões, A. M. & Rodrigues, J. A. (2014, janeiro/junho). Relação entre controle de gestão e estratégia: perspectiva histórica. Revista RIGC, 12(23), Lisboa, Portugal.

Simons, R. (1987). Accounting control system and business strategy: na empirical analysis. Accounting, Organizations and Society, 12(4), 357-374.

Stefano, N. M. (2009). Sistemática de gerenciamento de custos fundamentada no método ABC para pequenas organizações de serviços. Dissertação de mestrado da Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil.

Teixeira, A. P., Leal, E. A. & Miranda, G. I. (2008, novembro). Controle de custos: ferramenta para gestão das micro e pequenas empresas. Anais do Congresso Brasileiro de Custos, 15, Curitiba, PR, Brasil.




DOI: https://doi.org/10.5585/gep.v6i2.354

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Zaim Donizete da Silva, Wanderley Ramalho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeP – Revista Gestão e Projetos
ISSN da versão eletronica: 2236-0972
www.revistagep.org