Gerenciando Serviços Terceirizados de TI com Base nas Práticas de Gerenciamento de Projetos: Estudo de Múltiplos Casos e Proposição de um Modelo Avaliativo.

Rubens Carlos de Jesus Filho, César Augusto Biancolino, Marcos Cesar Weiss

Resumo


Esse artigo tem como objetivo discutir os aspectos que envolvem a contratação e gestão de serviços terceirizados (outsourcing) de TI. Para tanto, realizou-se uma pesquisa qualitativa, exploratória, baseada em estudos de múltiplos casos, contemplando empresas brasileiras. A análise dos dados apontou que as empresas não estão suficientemente habilitadas para construir relacionamentos consistentes e duradouros com fornecedores de serviços terceirizados, embora tenham ciência que a opção pelo outsourcing não se resume à seleção e contratação de um fornecedor, mas envolve também uma decisão que exige permanente vigilância e adequação à estrutura organizacional e à forma como a TI remanescente deve operar. Propõe-se, como contribuição decorrente da análise e dos resultados obtidos, um modelo de gestão de serviços terceirizados baseado em práticas de gerenciamento de projetos.


Palavras-chave


Outsourcing de TI, Estratégia de TI, Gerenciamento de Projeto em TI, Gestão de TI.

Texto completo:

PDF

Referências


Albertin, A. L., & Sanchez, O. P. (2008). Outsourcing de TI: impactos, dilemas, discussões e casos reais. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Alvarez, M. S. B. (1996). Terceirização – parceria e qualidade (2a ed.). Rio de Janeiro: Campus. Apte, S. (2010). Customers want more than low cost from outsourcer. Cambridge: Forrester Research.

ASM - Applied Scientific Method (2009). Panorama e tendências do outsourcing de TIC no Brasil. In V Seminário de Outsourcing, São Paulo.

Aubert, B. A., Rivard, S., & Patry, M. (2003). A transaction cost model of IT outsourcing. Information & Management, 1-12.

Barthélemy, J. (2003). The hard and soft sides of IT outsourcing management. European Management Journal, 21(5), 539-548.

Bosik, D. (1997). Key recommendation for avoiding problems with outsourcing deals. Stamford: Gartner Group.

Brynjolfsson, E. (1993). The productivity paradox of information technology. Communications of the ACM, 36(12), 67-77.

Business Wire (2003). Outsourcing of finance and accounting functions likely to grow, according to study by Accenture and EIU; executives view outsourcing as strategic weapon for change. Recuperado de http://www.businesswire.com/news/home/20030617005312/en/Outsourcing-Finance-Accounting-Functions-Grow-Study-Accenture

Chabrow, E. (2003). Government IT outsourcing will grow as workforce ages. InformationWeek.

Evans, P. B., & Wurster, T.S. (1999). Getting real about virtual commerce. Harvard Business Review, 77(6), 84-94.

Feeny, D. F., & Willcocks, L. P. (1998). O que não terceirizar. HSM Management, São Paulo, 2(10), 132-138.

Frontini, M. A. (1999). A decision making model for investing in electronic business. Dissertação de mestrado, Massachusetts Institute of Technology, Cambridge, MA, United States of America.

Gardner, D. W. (2003). Outsourcing’s benefits too much to ignore. RechWeb News.

Gartner Group, (2000). Dataquest’s 1999-2004 Market forecast for business process outsourcing (BPO). Recuperado em 12 novembro, 2011, de http://www4.gartner.com/DisplayDocument?id=292181.

Gil, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa (5a ed.). São Paulo: Atlas, 2010.

Godoy, A. S. (2010). Estudo de caso qualitativo. In: Godoi, C. K.; Mello, R. B. & Silva, A. B. Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva.

Guedes, A. L., & Guadagnin, R. V. (2003). A gestão de projetos como aprimoramento da terceirização. Informática Pública, 5(1), 65-78.

Harris, J., et al. (2009). Forecast: outsourcing worldwide forecast database. Stamford: Gartner Group.

Hefley, B., & Loesche, E. A. (2009). eSourcing capability model for client organizations. Zaltbommel: Van Haren Publishing.

Henderson, J. C., & Venkatraman, N. (1993). Strategic alignment: leveraging information technology for transforming organizations. IBM Systems Journal, 32(1), 4-16.

Hinssen, P. (2010). The new normal: explore the limits of the Digital World. Mach Media NV.

IAOP - International Association of Outsourcing Professional. (2008). Outsourcing Standards Board (OSB). Outsourcing Professional Standards, Version 8.0.2, Poughkeepsie: IAOP.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2012). Gerenciamento de projetos: uma análise da importância da estrutura de gerenciamento de projetos no alcance dos objetivos estratégicos. Recuperado em 15 julho, 2012, de http://www.administradores.com.br/informe-se/producao-academica/gerenciamento-de-projetos-uma-analise-da-importancia-da-estrutura-de-gerenciamento-de-projetos-no-alcance-dos-objetivos-estrategicos/4779/.

Ikenaga, C. Y. (2008). Gestão da terceirização de serviços em TI: um estudo de caso. Dissertação de Mestrado, Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, São Paulo, SP, Brasil.

Kerzner, H. (2006). Gestão de Projetos: as melhores práticas (2a. ed.). Porto Alegre: Bookman.

Leiria, J. S. (1992). Terceirização: uma alternativa de flexibilidade empresarial (5a. ed.). Porto Alegre: Sagra.

Leite, J. C. (1994). Terceirização em informática. São Paulo: Makron Books.

Martins, G. A., & Theóphilo, C, R. (2007). Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas.

O’Brien, J. A., & Marakas, G. M. (2007). Administração de sistemas de informação: uma introdução (13a ed.). São Paulo: McGraw-Hill.

Oliveira, R. T. F, & Mangolini, J. L. (2010). Tecnologia da informação: estudo da terceirização do departamento de TI embasado em metodologias e conjuntos de melhores práticas. São Paulo: UNIP.

Oshri, I., Kotlarsky, J., & Willcocks, L. P. (2009). The handbook of global outsourcing and offshoring. Basingstoke: Palgrave Macmillan.

Pagnoncelli, D. (1993). Terceirização e parceirização: estratégias para o sucesso empresarial. D. Pagnoncelli: Rio de Janeiro.

Porter, M. E. (2001). Strategy in the internet. Harvard Business Review, 79(1), 62-78.

Prado, D. (2000). Gerenciamento de projetos nas organizações (vol. I). Belo Horizonte: FDG.

Prado, E. P. V. (2005). Tecnologia de informação e sistemas: uma avaliação da terceirização de serviços em organizações do setor privado. Tese de Doutorado em Administração, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Quinn, J. B. (1999). Strategic outsourcing: leveraging knowledge capabilities. Sloan Management Review, 40(4), 9-21.

Quint – Quint Wellington Redwood. (2006). Outsourcing and innovation 2006: a happy couple? Recuperado em 12 novembro, 2011 de http://www.quintgroup.com/br/research-papers/Outsourcing-and-innovation-2006-a-happy-couple/.

Rigby, D., & Bilodeau, B. (2007). Bain’s global 2007 management tools and trends survey. Strategy & Leadership. 35(5), 9-16.

Strassman, P. A. (1990). The business value of computers. New Canaan: The Information Economic Press.

Vargas, R. V. (2005). Gerenciamento de projetos: estabelecendo diferenciais competitivos (6a ed.). Rio de Janeiro: Brasport.

Willcocks, L. P., & Lester, S. (1997). In search of information technology productivity: assessment issues. Journal of the Operational Research Society, 48, 1082-1094.

Xavier, C. M. S. (2009). Gerenciamento de projetos: como definir e controlar o escopo do projeto (2a ed.). São Paulo: Saraiva.

Yin, R. K. (2005). Estudo de caso – planejamento e métodos (3a. ed.). Porto Alegre: Bookman.




DOI: https://doi.org/10.5585/gep.v6i3.302

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Rubens Carlos de Jesus Filho, César Augusto Biancolino, Marcos Cesar Weiss

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeP – Revista Gestão e Projetos
ISSN da versão eletronica: 2236-0972
http://www.revistagep.org