Competências Gerenciais em Gestão de Projetos: Estudo em Grandes Empresas do Setor da Construção Civil, em Minas Gerais.

Reginaldo de Jesus Carvalho Lima, Silvano Aragão, Eloísa Helena Rodrigues Guimarães

Resumo


Este artigo discute as competências requeridas de gerentes de projetos que atuam no setor da Construção Civil. Fundamenta-se em survey que envolveu 27 grandes empresas sediadas na região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Essas empresas foram selecionadas pelo critério de representatividade com o apoio do presidente do Grupo de Intercâmbio da Construção Civil em Recursos Humanos (GICC-RH) vinculado ao Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (SINDUSCON-MG). Os respondentes foram indicados pelos dirigentes das respectivas empresas. Os dados foram coletados, no segundo semestre de 2014, por meio de questionário fundamentado no framework proposto por Quinn et al. (2003). Foram inqueridos 45 gerentes de projetos que atuam na interface com a Área de Recursos Humanos (ARH). O tratamento de dados baseou-se em estatística descritiva. Os resultados sinalizam que, na Construção Civil, a gestão de projetos tem demandado, sobretudo, competências relacionadas aos papéis de Mentor, Produtor e Diretor, predominando os modelos de metas racionais e de relações humanas. 


Palavras-chave


Competências; Gestão de Projetos; Construção Civil; Grandes Empresas.

Texto completo:

PDF

Referências


Antonello, C. S. (2005). A metamorfose da aprendizagem organizacional: uma revisão crítica. In R. L. Ruas, C. S. Antonello, & L. H. Boff (Orgs.). Os novos horizontes da gestão: aprendizagem organizacional e competências (pp.12-33). Porto Alegre: Bookman.

Barbosa, A. C. Q. (outubro, novembro, dezembro, 2003). Um mosaico da gestão de competências em empresas brasileiras. Revista de Administração, 38(4), 285-97.

Bitencourt, C. (2001). A gestão de competências gerenciais: a contribuição da aprendizagem organizacional. Tese de Doutorado em Administração, Departamento de Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Bitencourt, C., & Barbosa, A. C. Q. (2004). A gestão de competências. In C. Bitencourt, (Org.). Gestão contemporânea de pessoas (pp. 240-64). Porto Alegre: Bookman.

Boterf, G. Le. (2003). Desenvolvendo a competência dos profissionais (3a ed., P. C. R. Reuillard, Trad.). Porto Alegre: Bookman.

Boyatzis, R. E. (1982). The competent manager: a model of effective performance. New York: John Wiley.

Brandão, H. P.; Borges-Andrade, J. E., & Guimarães, T. A. (outubro, novembro, dezembro, 2012). Desempenho organizacional e suas relações com competências gerenciais, suporte organizacional e treinamento. Revista de Administração, São Paulo, 47(4), 523-539.

Brandão, H. P., & Guimarães, T. A. (2002). Gestão de competências e gestão de desempenho. In Jr. T. Wood (Coord.). Gestão empresarial: o fator humano (pp. 55-70). São Paulo: Atlas.

Brandão, H. P., & Guimarães, T. A. (2001, janeiro, março). Gestão de competências e gestão de desempenho: tecnologias distintas ou instrumentos de um mesmo constructo? Revista de Administração de Empresas, São Paulo, 41(1), 8-15.

Corrêa. H. L. (2007). Administração da produção e operações, manufatura e serviços: uma abordagem estratégica. (2a ed.). São Paulo: Atlas.

Deluiz, N. (2001 setembro, dezembro). O modelo das competências profissionais no mundo do trabalho e na educação: implicações para o currículo. Revista Boletim Técnico do Senac. Rio de Janeiro. 27(3).

Dutra, J. S. (2004). Competências: conceitos e instrumentos para a gestão de pessoas na empresa moderna. São Paulo: Atlas.

Fleury, M. T., & Fleury, A. C. C. (2004 janeiro, março). Alinhando estratégia e competências. Revista de Administração de Empresas, 44(1), 44-57.

Godoy, A. S., & D’Amelio, M. (2012 outubro, dezembro). Competências gerenciais desenvolvidas por Profissionais de diferentes formações. O&S - Salvador, 19(63), 621-639.

Gramigna, M. R. (2007). Modelo de competências e gestão dos talentos. (2a. ed.). São Paulo: Pearson.

Herzog, L. T. (2001, abril). Aproximación a la ventaja competitiva con base en los recursos. Boletin de estudios económicos. 56(172).

Javidan, M. (1998). Core competence: what does it mean in practice? Long Range Planning, 31(1), 66-71.

Kerzner, H. (2002). Gestão de Projetos: As Melhores Práticas. São Paulo: Artmed Editora.

Klein, M. J., & Bitencourt, C. (2012, outubro, dezembro). A emergência das competências coletivas a partir da mobilização de diferentes grupos de trabalho. Organização & Sociedade, Salvador, 19 (63), 599-619.

Leboyer, C. L. (1997). Gestión de las competências. Barcelona: Adiciones Gestión 2000.

Malhotra, N. (2006). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. (4a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Manfredi, S. M. (1999, setembro). Trabalho, qualificação e competência profissional: das dimensões conceituais e políticas. Educação & Sociedade, Campinas, v. 19, n. 64, p. 13-49.

McClelland, D. C. (1973). Testing for competence rather than intelligence. American Psychologist, 28, pp. 1- 4, Washington: D.C.

Mertens, L. (1996). Competencia laboral: sistemas, surgimiento y modelos. Montivideo: Cinterfor.

Nonaka, I., & Takeuchi, H. (1997). Criação de conhecimento na empresa (12a ed.). Rio de Janeiro: Elsevier.

Parente, C. C. R. (2003). Construção social das competências profissionais: dois estudos de caso em empresas multinacionais do sector metalomecânico. Tese de Doutorado em Sociologia, Faculdade de Letras, Universidade do Porto, Porto, Portugal.

Prahalad, C. K., & Hamel, G. (1990, may, june). The core competence of the corporation. Harvard Business Review, 68(3), 79-91.

Project Management Institute, Inc. (2008). Um Guia do Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos (5a ed.). Project Management Institute, Inc. Newtown Square, Pensilvânia, EUA.

Quinn, R. E., Faerman S. R., Thompson, M. P., & McGrath M. (2003). Competências gerenciais: princípios e aplicações. (3a ed.). Rio de Janeiro: Elsevier.

Rabechini, R. Jr. (2001, janeiro, março). A importância das habilidades do gerente de projetos. Revista de Administração. São Paulo, 36(1), 92-100.

Ruas, R. L. (2005). Gestão por competências: uma contribuição à estratégia das organizações. In R. L. Ruas, C. S. Antonello, & L. H. Boff, (Orgs.). Os novos horizontes da gestão: aprendizagem organizacional e competências. Porto Alegre: Bookman, 34-54.

Russo, R. S. F. M., & Sbragia, R. (2007, setembro, dezembro). Tendência empreendedora do gerente: uma análise de sua relevância para o sucesso de projetos inovadores. Revista Gestão e Produção. UFSCAR. São Carlos, 14(3), 581-593.

Sandberg, J. (1996). Human competence at work: an interpretative approach (2a ed.). Gotebork: BAS.

Senge, P. M. (2002). A quinta disciplina: arte e prática da organização que aprende (13a ed.). São Paulo: Best Seller.

Shenhar, A. J., & Dvir, D. (2007). Reinventing Project Management: The Diamond Approach to Successfull Growth and Innovation. Harvard Business School Press. Massachusetts.

Spencer, L. M., & Spencer, S. M. (1993). Competence at work. New York: John Wiley Sons.

Van Maanen, J. (2009). Processando as pessoas: estratégias de socialização organizacional. In M. T. L. Fleury, & R. M. Fischer, (Orgs.). Cultura e poder nas organizações (2a ed.). São Paulo: Atlas, 45-62.

Vasconcelos, F. C., & Cyrino, A. B. (2000, outubro, dezembro). Vantagem competitiva: os modelos teóricos e a convergência entre estratégia e teoria organizacional. Revista de Administração de Empresas, 40(4), São Paulo.

Wernerfelt, B. (1997). A resource-based view of the firm. In N. J. Foss, (Ed.). Resources firms and strategie - A reader in the resource-based perspective Oxford University Press, Oxford. 117-132.

Zarifian, P. (2003). O modelo da competência: trajetória histórica, desafios atuais e propostas. São Paulo: Senac.

Zarifian, P. (2001). Objetivo competência: por uma nova lógica. (M. H. C. V. Trylinski, Trad.), São Paulo: Atlas.




DOI: https://doi.org/10.5585/gep.v7i2.445

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Reginaldo de Jesus Carvalho Lima, Silvano Aragão

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

GeP – Revista Gestão e Projetos
ISSN da versão eletronica: 2236-0972
http://www.revistagep.org