Distribuição de Equipamentos Públicos de Lazer Para Análise da Qualidade de Vida Urbana: Proposta Metodológica e Aplicação à Cidade de Montes Claros–MG

Isabela Veloso Lopes Versiani

Resumo


Objetivo do estudo: apresentar a metodologia empregada e aplicação de indicadores adaptados de Sistemas de Indicadores de Qualidade de vida Urbana ao campo do lazer, com análise a partir da distribuição de equipamentos públicos de lazer em uma cidade média, no caso Montes Claros-MG.

 Metodologia/abordagem: natureza descritiva, com base no levantamento de dados quantitativos por meio da aplicação de um conjunto de indicadores para analisar a relação do lazer com a qualidade de vida urbana, complementada por visitas de campo e produção de mapas temáticos georreferenciados.

 Originalidade/Relevância: embora o lazer seja reafirmado nos instrumentos da Política Urbana no Brasil como um direito social essencial à melhoria da qualidade de vida, sua efetivação ainda encontra-se distante. Ao aproximar essa discussão dos recentes Sistemas de Indicadores de Qualidade de Vida Urbana, evidencia-se o potencial dessa compreensão e aplicação para ações de planejamento e políticas públicas específicas.

 Principais resultados: foram identificadas carências e disparidades entre as regiões de renda mais baixa e alta da cidade, principalmente no que se refere à distribuição, fator de diversidade e estado de conservação dos equipamentos.

 Contribuições teóricas/metodológicas:  a pesquisa aproxima a discussão da relação do lazer com a qualidade de vida urbana ao campo empírico, ainda escasso de estudos mais específicos.

 Contribuições sociais / para a gestão: ressalta-se o potencial desse tipo de levantamento no direcionamento de ações mais efetivas para democratização do lazer e melhoria da qualidade de vida urbana, colaborando para o aprimoramento constante de indicadores e novas possibilidades de estudos.


Palavras-chave


Lazer; Qualidade de Vida Urbana; Equipamentos Públicos

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. (2001). Congresso Nacional. Lei n. 10.257 de 10 de julho de 2001 (Estatuto da Cidade). Disponível em: Acesso em: 10 maio 2008.

Belo Horizonte. (2006). Texto: Indicadores e resultados do IQVU 2006 – Nova Metodologia. Disponível em: < http://portalpbh.pbh.gov.br/pbh/ >. Último acesso em: Janeiro, 2010.

Bogotá Como Vamos. (2010). Colômbia. Disponível em: . Acesso em 15 jan. 2010.

Castells, M. (2006). A questão urbana. Tradução de Arlene Caetano. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Damiani, A. (2009). Urbanização Crítica e Produção do Espaço. In: CIDADES: Revista Científica/ Grupo de Estudos Urbanos. Vol.6, n.10: 307-339.

Dumazedier, J. (1980). Valores e conteúdos culturais do lazer. São Paulo: SESC.

Global City Indicators. (2002). Indicadores Urbanos Globais: Uma Abordagem Integrada para a Mensuração e Monitoramento do Desempenho das Cidades. Disponível em: < http://cityindicators.org>. Último acesso em: Out. 2010.

Gomes, C. (2006). Lazer e Cidade: reflexões. In: BRANDÃO, Carlos (Org.) As Cidades da Cidade, pp. 171-184. Belo Horizonte: Ed. UFMG.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2010). Censo Demográfico de 2010: primeiros resultados População e Domicílios recenseados.

Lefèbvre, H. (2008). Espaço e Política. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Leite, M. (2006). Geoprocessamento aplicado ao estudo do espaço urbano: o caso da cidade de Montes Claros. 106f. Dissertação (Mestrado em Geografia). Programa de Pós-Graduação em Geografia. Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, 2006.

Leva, G. (2005). Indicadores de calidad de vida urbana: teoría y metodología. Argentina: Universidad Nacional de Quilmes.

Lojkine, J. (1997). O Estado capitalista e a questão urbana. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes.

Marcellino, N. (2006). O lazer e os espaços na cidade. In YSAYAMA, Helder; LINHALES, Meily (Orgs.) Sobre lazer e política: maneiras de ver, maneiras de fazer, pp. 65-92. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Nahas, M. (2008). Qualidade de vida urbana em números. ComCiência (UNICAMP), v.96: 96.

Nahas, M. (2009). Indicadores Intra-Urbanos como instrumentos de gestão da qualidade de vida urbana em grandes cidades: uma discussão teórico-metodológica. In: VITTE, Claudete; (Orgs.) Qualidade de Vida, Planejamento e Gestão Urbana: discussões teórico-metodológicas, pp. 123-153. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil.

Padilha, W. (2006). Introdução. In Padilha, W. (Org.). Dialética do Lazer, pp.9-18. São Paulo: Cortez,

Porto (2018). Câmara Municipal. Sistema de Monitorização de Qualidade de Vida Urbana. Disponível em: < http://www.cm-porto.pt/paginas_extra/smqvu- >. Acesso em: 15 jan. 2018.

Rede Nossa São Paulo (2016). Disponível em: . Acesso em: Out. 2016.

Santos, E. (2009). Avaliação de Espaços destinados ao lazer esportivo: notas sobre uma proposta metodológica. In ARQUIVOS EM MOVIMENTO - UFRJ. V. 5, N. 1: 135-152.

Schwartz, G. (2003). O conteúdo virtual: contemporizando Dumazedier. Licere, Belo Horizonte, v.2, n.6: 23-31.

Souza, M. (2008). Mudar a cidade: uma introdução crítica ao planejamento e à gestão urbanos. 5.ed. Rio de Janeiro: Bertrand.

The Quality Of Life Project (2010). Nova Zelândia. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2010.

Véras, M. (2000). Trocando Olhares: uma introdução à construção sociológica da cidade. São Paulo, Studio Nobel: EDUC.

Vitte, C. & Keinert, T. (2009). Apresentação. In Vitte, C. & Keinert, T (Orgs.) Qualidade de Vida, Planejamento e Gestão Urbana: discussões teórico-metodológicas, pp. 09-11. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.




DOI: https://doi.org/10.5585/podium.v8i3.13185

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review e-ISSN: 2316-932X
 
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.