Dilemas em torno da socioeducação: a execução de medidas socioeducativas em meio aberto no município de Arcoverde, Pernambuco

Marcos José da Silva Júnior, Fernando da Silva Cardoso

Resumo


A socioeducação surgiu com o advento do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), instituído em 1990, para ser aplicada na execução das medidas socioeducativas. Como o seu conceito é algo novo e ainda em construção, sua sistematização torna-se complexa. Assim, no presente estudo são analisados os dimensionamentos da socioeducação a partir de medidas cumpridas em meio aberto no município de Arcoverde, Pernambuco. O estudo, de caráter dedutivo, de abordagem mista, é organizado a partir da coleta de dados documentais, analisados com base na técnica de análise de conteúdo. Os dados estatísticos foram extraídos de arquivos do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS) do município de Arcoverde, Pernambuco. Os resultados apontam que no município mencionado as medidas socioeducativas cumpridas em meio aberto dimensionam o caráter pedagógico e social das atividades realizadas, inclusive para além do CREAS. No entanto, o atendimento intersetorial das ações ainda é tímido e necessita de uma melhor sistematização, a fim de que o conceito de socioeducação seja plenamente considerado na execução de tais medidas.


Palavras-chave


Medida socioeducativa; Socioeducação; Arcoverde; Pernambuco

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Paulo Gonçalves de; CARDOSO, Fernando da Silva. Marcadores de vulnerabilidade presentes no trajeto social de jovens em cumprimento de liberdade assistida em decorrência do tráfico de drogas. Revista Direitos Sociais E Políticas Públicas - UNIFAFIBE, v. 6, p. 445-485, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.25245/rdspp.v6i2.466.

ARANZEDO, Alexandre Cardoso. “Meninas”: os conflitos com a lei e as representações das medidas socioeducativas. Psicologia e Saber Social – UERJ, v. 4, n. 2, p.265 – 276. 2015. ISSN 2238-779X. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/psi-sabersocial/article/view/16413. Acesso em: 15 jun. 2019.

BARBOSA, Janilson Pinheiro. Pedagogia socioeducativa - Repensando a socioeducação: um encontro entre educação libertadora e justiça restaurativa. 2013. 237 f. Tese (Doutorado em Educação), Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, 16 de julho de 1990.

BRASIL. Lei nº 12.594, de 18 de janeiro de 2012. Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo - SINASE. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, 19 de janeiro de 2012.

BRASIL. Resolução nº 106, Secretaria Especial dos Direitos Humanos (SDH) - Conselho Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente. Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo - SINASE. Brasília: Presidência da República, 2006.

BRITO, Leila M. T. Liberdade Assistida no Horizonte da Doutrina de Proteção Integral. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Rio de Janeiro, v. 23, n. 2, p. 133-138, abr./jun. 2007.

CARDOSO, Fernando da Silva; SILVA, Maria Alba da. Efetivação de direitos de crianças e adolescentes em um município do agreste de Pernambuco: um estudo empírico. Revista Eletrônica de Direito do Centro Universitário Newton Paiva, Belo Horizonte, n. 35, p. 88-108, maio/ago. 2018. Disponível em: http://blog.newtonpaiva.br/direito/wp-content/uploads/2018/12/DIR35-06.pdf. Acesso em: 19 mar. 2018.

COSTA, Antonio Carlos Gomes da (Coord.). Socioeducação: estrutura e Funcionamento da Comunidade Educativa. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2006.

COSTA, Cândida da. Dimensões da medida socioeducativa: entre o sancionatório e o pedagógico. Revista Textos e Contextos – PUC/RS, v. 14, n. 1, p.62 - 73, jan./jun. 2015. ISSN 1677-9509. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fass/article/view/16858. Acesso em: 29 mai. 2019.

GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo (Org.). Métodos de pesquisa; coordenado pela Universidade Aberta do Brasil – UAB/UFRGS e pelo Curso de Graduação Tecnológica – Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural da SEAD/UFRGS. 1. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

JULIÃO, Elionaldo; OLIVEIRA, Vivian; GODOI, Renan. Sistema de Garantia de Direitos: Novas concepções para o atendimento socioeducativo. Revista Pedagogia Social UFF, v. 1, n. 01, june. 2017. Disponível em: http://www.revistadepedagogiasocial.uff.br/index.php/revista/article/view/40. Acesso em: 6 jul. 2018.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MACEDO, Marcos. A fabricação da reincidência do ato infracional pelo sistema socioeducativo: adolescentes privados de liberdade, de educação e de profissionalização. 2018. 234 f. Tese (Doutorado em Educação), Universidade Federal Fluminense, Niterói.

MACHADO, Isadora Vier. Adolescentes institucionalizadas: um estudo sobre proteção integral e gênero no Centro de Socioeducação da região de Ponta Grossa-PR. 2010. 192 f. Dissertação (Mestrado em Direito) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário - MDS. Caderno de Orientações Técnicas: Serviço de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto. Secretaria Nacional de Assistência Social. Brasília, Distrito Federal: 2016. Disponível em: https://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/caderno_MSE_0712.pdf. Acesso em: 16 jun. 2019.

Ministério do Desenvolvimento Social - MDS. Relatório da Pesquisa Nacional das Medidas Socioeducativas em Meio Aberto. Secretaria Nacional de Assistência Social. Brasília, Distrito Federal: 2018. Disponível em: http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/relatorios/Medidas_Socioducativas_em_Meio_Aberto.pdf. Acesso em: 16 jun. 2019.

NEVES, Carla Malinowski. A intersetorialidade no sistema nacional de atendimento socioeducativo: experiências no município de Porto Alegre-RS. 2014. 167 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) - Universidade Federa do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

PAES, Paulo C. Duarte; AMORIM, Sandra M. Francisco (Org.). Formação continuada de socioeducadores, caderno 1. Campo Grande, MS: Programa Escola de Conselhos, 2008.

PAES, Paulo C. Duarte; AMORIM, Sandra M. Francisco; PEDROSSIAN, Dulce R. dos Santos (orgs.). Formação continuada de socioeducadores, caderno 2 – Campo Grande, MS: Ed. UFMS, 2010.

PAES, Paulo C. Duarte; ADIMARI, Maria Fernandes; COSTA, Ricardo Peres (Org.). Socioeducação e intersetorialidade: formação continuada de socioeducadores: [caderno 6] – Campo Grande, MS: Ed. UFMS, 2015.

RANIERE, Édio. A invenção das medidas socioeducativas. 2014. 196 f. Tese (Doutorado em Psicologia Social e Institucional) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

VIANNA, Carlos Eduardo Souza. Evolução histórica do conceito de educação e os objetivos constitucionais da educação brasileira. Revista Janus – UNIFATEA, v. 3, n. 04, 2006. Disponível em: http://publicacoes.fatea.br/index.php/janus/issue/view/4. Acesso em: 7 jul. 2018.

VIDAL, Alex da Silva. Adolescentes em medida socioeducativa: um estudo sobre estigma. 2014. 160 f. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

ZANELLA, Maria Nilvane. Bases teóricas da socioeducação: análise das práticas de intervenção e metodologias de atendimento do adolescente em situação de conflito com a lei. 2011. 210 f. Dissertação (Mestrado em Adolescente em conflito com a lei) – Universidade Bandeirante de São Paulo, São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.5585/prismaj.v19n1.14273

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Prisma Juridico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Prísma Jurídico

e-ISSN: 1983-9286

ISSN: 1677-4760
www.revistaprisma.org.br

Prísma Jurídico ©2020 Todos os direitos reservados.