Direitos humanos fundamentais das pessoas com deficiência

Vladmir Oliveira da Silveira

Resumo


Este artigo versa sobre os direitos humanos fundamentais das pessoas com deficiência, sob a perspectiva do processo de dinamogenesis de direitos. Por se tratar de um estudo descritivo e exploratório, será realizado com base na pesquisa bibliográfica e histórica, utilizando-se por vezes do método dedutivo e, outras vezes, do indutivo, principalmente nas críticas e reflexões acerca dos textos normativos. A terminologia “direitos humanos fundamentais” se justifica na ideia de complementariedade entre as tutelas nacional, regional e universal desses direitos, constatado o fato de que há direitos humanos que são constitucionalizados e direitos humanos fundamentais que são internacionalizados, podendo-se afirmar a primazia dos direitos humanos fundamentais, tanto no âmbito nacional quanto no internacional. Nesse sentido, este artigo analisa a tutela jurídica das pessoas com deficiência em três níveis: internacional, regional e nacional, traçando um diálogo entre os níveis de proteção, à luz da teoria do Estado Constitucional Cooperativo, de Peter Häberle. Em relação ao nível nacional de proteção das pessoas com deficiência, discutem-se os fundamentos e as consequências em se conferir hierarquia normativa infraconstitucional, supralegal ou constitucional, bem como problematiza a hipótese da não aprovação das novas convenções sobre direitos humanos segundo o rito previsto no artigo 5º, § 3º, da Constituição Federal.

Palavras-chave


Direitos Humanos Fundamentais; Pessoas com deficiência; Processo de dinamogenesis de direitos; Estado Constitucional Cooperativo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/prismaj.v12n2.4575

Direitos autorais



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Prisma Jurídico
ISSN da versão impressa: 1677-4760
ISSN da versão eletronica: 1983-9286
revistaprisma.org.br