NEOTRIBALISMO - O PREDOMÍ­NIO DA ESTÉTICA LOCAL SOBRE A ÉTICA GLOBAL

Rogério Bianchi de Araujo

Resumo


Para iniciar este artigo, é importante salientar que o termo ‘tribos’ nada mais é do que uma metáfora para explicar a existência de agrupamentos tipicamente urbanos, os quais constroem uma identidade própria, identificando-se uns com os outros. Falar em tribo é como falar em pacto. Enquanto, nas sociedades indígenas, tribo tem uma conotação ampla, nas sociedades urbano-industriais representa particularismos, isto é, um recorte dentro da sociedade. A metropolização e a urbanização intensas provocaram a crise das tradições, perdas de identidade e, conseqüentemente, no resgate dessas raízes emergem as tribos urbanas. Diante da impessoalidade e anonimato tão enraizados na sociedade moderna, as tribos permitem a criação de códigos de comunicação e comportamentos particulares, com o intuito de escapar da massificação imposta pelo sistema capitalista e da solidão das metrópoles.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/remark.v2i1.79

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Marketing



Revista Brasileira de Marketing – ReMark

e-ISSN: 2177-5184
https://periodicos.uninove.br/index.php?journal=remark&page=index

Rev. Bras. Mark. - ReMark ©2020 Todos os direitos reservados.