WEBER E O CONSUMO DE LUXO: UMA DISCUSSÃO SOBRE A OBRA A ÉTICA PROTESTANTE E O ESPÍ­RITO DO CAPITALISMO

Priscilla Schramm Portugal

Resumo


A importância do trabalho do sociólogo Max Weber é inegável na história das Ciências Sociais, mas será que a partir de sua obra, intitulada A ética protestante e o espírito do capitalismo, é possível explicar o consumo de luxo atual? Neste artigo, serão apresentadas algumas críticas feitas ao livro por estudiosos que acreditam que o seu autor tenha desprezado fatos importantes que influenciaram a sociedade no século XVII, tais como a moda, a valorização do amor romântico e a mentalidade européia de modo geral. Campbell, por exemplo, afirma que esse recorte histórico faz com que Weber não leve em consideração mudanças sociais importantes. Se na época em que foi escrito, o livro já não era suficiente para explicar o consumo de luxo, tal fato se torna mais evidente na atualidade, em que o ascetismo já não predomina nas sociedades ocidentais, e até países em desenvolvimento se renderam ao consumo de artigos de luxo.

Palavras-chave


Consumo. Luxo. Max Weber.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/remark.v6i1.143

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Marketing – Remark



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

REMark – Rev. Bras. Mark.
ISSN da versão online: 2177-5184
www.revistabrasileiramarketing.org