Comunicação, Tecnologia e Subjetividade: Apontamentos Estratégicos

Wilton Garcia

Resumo


Este texto desenvolve uma reflexão crítica sobre comunicação e tecnologia enquanto produção de conhecimento e subjetividade, ao considerar os aspectos socioculturais e políticos. Como atribuir (re)dimensões de valores ideológicos aos tecnológicos? Nesse contexto, privilegia-se uma situação emergente acerca da implantação do Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD). Corpo, experiência e imagem elencam-se como categorias críticas, as quais se inscrevem de modo diluído ao longo dessa pesquisa, a partir da linguagem – estratificada entre cultura e representação. Dos estudos culturais às novas tecnologias, evocam-se os estudos contemporâneos (do corpo, da cultura, da linguagem e das novas tecnologias). Assim, tais estudos (BHABHA, 1998; CANCLINI, 1998; COSTA, 2004; EAGLETON, 2005; GUMBRECHT, 1998; HALL, 2003; HUTCHEON, 2000; LÉVY, 1999; MATURANA, 1997; YÚDICE, 2004), estrategicamente, contextualizam uma abordagem teórico-metodológica para evidenciar noções de atualização e inovação. A metodologia, aqui, constitui-se a partir da descrição de objetos e respectivos contextos a serem investigados de modo multidisciplinar.

Palavras-chave


Comunicação. Estudos contemporâneos. Linguagem. Tecnologia. Subjetividade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/remark.v7i1.938

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Marketing – Remark



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

REMark – Rev. Bras. Mark.
ISSN da versão online: 2177-5184
www.revistabrasileiramarketing.org