Conflitos Potenciais na Relação entre Franqueadores e Franqueados Soteropolitanos

Marcos Albuquerque, Rodrigo Ladeira, Maria Teresa Larocca

Resumo


Este estudo teve como objetivo avaliar conflitos potenciais que ocorrem na relação entre Franqueadores e Franqueados soteropolitanos, atuantes nas áreas de alimentação, vestuário e calçados e acessórios. A seleção dos segmentos investigados deveu-se não somente pela sua participação representativa na produtividade de varejo, mas também por concentrar grande número de empresas, muitas delas associadas à Associação Brasileira de Franchising (ABS). A pesquisa teve caráter exploratório, utilizando técnicas qualitativas do tipo estudos de casos múltiplos, com aplicação de entrevistas semiestruturadas, análise documental e observação participante. Uma vez identificados os pontos de conflitos entre os participantes investigados - perfil do candidato (falta de critérios específicos, previamente), recursos financeiros (nenhum planejamento financeiro anual acompanhado pelo franqueador junto ao seu franqueado), ponto comercial (as franqueadoras não orientam quanto à melhor escolha do ponto ou quanto aos aspectos que podem e devem ser observados) e comunicação (ponto de amenização de conflitos, quando constante e bem conduzida) – e avaliadas as práticas adotadas, foi possível propor medidas para minimizar o impacto dos conflitos no sistema de franchising.


Palavras-chave


Conflito. Franchising. Teoria da Agência. Teoria da Escassez de Recursos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/remark.v15i4.3428

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Marketing – Remark



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

REMark – Rev. Bras. Mark.
ISSN da versão online: 2177-5184
www.revistabrasileiramarketing.org