Atividades Marcárias como Recursos de Elaboração da Face em Comunidades Virtuais de Marca: Análise de uma Comunidade Virtual de Consumidores Da Coca-Cola

André Luiz Maranhão de Souza Leão

Resumo


As relações interpessoais sofreram mudanças expressivas após a inserção da internet na vida social. Deste contexto, podemos destacar as comunidades virtuais e, mais especificamente, comunidades virtuais de marcas. Assumindo que o “eu” seja uma construção social promovida nas interações sociais, este estudo objetiva analisar o comportamento verbal de participantes de comunidades virtuais de marcas em relação a estas como meio de elaboração de suas faces (Goffman, 2006). Neste sentido, assumimos a noção de o que e como dizemos as coisas são comportamentos sociais (Austin, 1990) e utilizamos o conceito de “atividades marcárias”, desenvolvido por Leão e Mello (2009). Para tal, selecionamos uma comunidade de consumidores da Coca-Cola como terreno investigativo, onde realizamos uma “netnografia da comunicação”, suportada por uma análise de discurso funcional. Por fim, aspectos teóricos e práticos são considerados. 

DOI: 10.5585/remark.v9i2.2168


Palavras-chave


marcas, comunidades virtuais, atividades marcárias, netnografia, face.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/remark.v9i2.2168

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Marketing – Remark



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

REMark – Rev. Bras. Mark.
ISSN da versão online: 2177-5184
www.revistabrasileiramarketing.org