Entre o bem estar social e o poder público: uma análise das estratégias de marketing social em prol da doação sanguínea

Helena Belintani Shigaki, Jefferson Rodrigues Pereira, Caissa Veloso e Sousa, José Edson Lara

Resumo


Objetivo: o presente estudo tem por objetivo analisar como as ações governamentais em prol da doação de sangue são percebidas por doadores, não doadores e potenciais doadores.

Método: Foi desenvolvida uma pesquisa descritiva com duas abordagens: quantitativa e qualitativa. A etapa quantitativa compreendeu uma amostra composta por 641 indivíduos, cujos dados foram analisados por meio da Análise Fatorial Exploratória. A etapa qualitativa foi realizada com 31 indivíduos e a entrevistas foram analisadas pela técnica de Análise de Conteúdo.

Originalidade/ Relevância: enquanto temática de estudo, é uma questão recorrente no âmbito da saúde pública brasileira e cada vez mais analisada à luz do marketing social.

Resultados: como principais resultados identificou-se que as campanhas não são realizadas como forma de modificar o comportamento do sujeito, e, sim, como uma ação emergencial para suprir uma necessidade eminente dos bancos de sangue.

Contribuições teóricas/ metodológicas: a etapa quantitativa permitiu a identificação de uma estrutura subjacente de uma matriz de dados, determinou o número de construtos e suas respectivas naturezas. Já a etapa qualitativa objetivou a categorização e a busca pelos seus significados.

Contribuições sociais/ para a gestão: verificou-se uma precariedade das estratégias relacionadas à doação de sangue que empreendidas pelo governo, uma vez que estas vão de encontro à proposta educativa presente na teoria de marketing social.


Palavras-chave


Doação de Sangue; Estratégia; Políticas Públicas; Marketing Social; Governo

Texto completo:

PDF-en (English) PDF

Referências


Andreasen, A.R. (1994). Social marketing: its definition and domain. Journal of Public Policy & Marketing, 13(1), 108-114.

Barboza, S.I.S., & Costa, F.J. (2014). Marketing social para doação de sangue: análise

da predisposição de novos doadores. Cadernos de Saúde Pública, 30(7), 1463-1474.

Bardin, L. (2006). Análise de conteúdo. Lisboa/Portugal: Edições 70.

Belch, G.E., & Belch, M.A. (2004). Advertising and Promotion: An Integrated Marketing Communication Perspective. New York: McGraw-Hill.

Brasil. Portal Brasil. (2014ª). Recuperado de: http://www.brasil.gov.br/saude/2012/05/ ministerio-alerta-para-reducao-no-estoque-de-sangue.

Brasil. Caderno de informação: sangue e hemoderivados. (2014b). Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde. Desafios da hematologia e hemoterapia para os próximos anos. (2015a). Recuperado de: http://gciamt2015.com.br/uploads/pagina/arquivos/123_sala-b-170415-tarde---joao-paulo-baccara---desafios-da-hematologia-e-hemoterapia-para-os-proximos-anos---gciamt2015.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde. Brasil sedia solenidade em comemoração ao dia mundial. (2015b). Recuperado de: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/secretarias/sas/sas-noticias/18191-brasil-sedia-solenidade-em-comemoracao-ao-dia-mundial.

Brown, T.A. (2006). Confirmatory factor analysis for applied research. New York: The Guilford Press.

Carins, J.E., & Rundle-Thiele, S.R. (2013). Eating for the better: a social marketing review (2000–2012). Public Health Nutrition, 17(7), 1-12.

Carú, A., & Cova, B. (2003). Revisiting Consumption Experience: a more humble but complete view of the concept. Marketing Theory, 3(2), 267-286.

Castro, I.M., & Santos, P.M.F. (2014). O Efeito de Campanhas de Marketing Social com Apelos Negativos no Comportamento de Risco das Pessoas que Ingerem Bebidas Alcoólicas. In Encontro de Administração Pública e Governança. Belo Horizonte.

Collis, J., & Hussey, R. (2005). Pesquisa em Administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. Porto Alegre: Bookman.

Costa, S.A., & Bezerra Neto, L. (2016). Políticas públicas/estatais: contribuição para o estudo da relação estado-sociedade. Acta Scientiarum Education, 38(2), 165-172.

Denzin, N.K., & Lincoln, Y.S. (2006). O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed.

Dias, R.G. (2015). O uso de metáforas na análise da eficácia das campanhas de marketing social sobre a prevenção aos acidentes de trânsito: um estudo com condutores habilitados. (Dissertação de Mestrado). Faculdade Novos Horizontes, Belo Horizonte, Brasil.

Duailibi, S., Pinsky, I., & Laranjeira, R. (2009). Prevalência do beber e dirigir em diadema, estado de São Paulo. Revista de Saúde Pública, 41(6), 1058-1061.

Field, A. (2009). Descobrindo a estatística usando o SPSS. Porto Alegre: Artmed.

France, J.L., France, C.R, & Himawam, L.K. (2008). Re-donation intentions among experienced blood donors: does gender make a difference? Transfusion and Apheresis Science, 38, 159-166.

Fundação Hemominas. (2014). Saiba mais sobre o sangue. Recuperado de: http://www.hemominas.mg.gov.br/doacao/aprenda/saiba-mais-sobre-o-sangue.

Gil, A.C. (2008). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Hair, J.F., Black, W., Babin, B.J., Anderson, R., & Tathan, R.L. (2009). Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman.

Kotler, P., & Lee, N. (2008). Marketing no setor público. Porto Alegre: Bookman.

Kotler, P., & Levy, S.J. (1969). Broadening the concept of marketing. Journal of Marketing, 33, 10-15.

Kotler, P., & Roberto, E.L. (1989). Social marketing: strategies for changing public behavior. New York: Free Press.

Kotler, P., & Zaltman, G. (1971). Social Marketing: an approach to planned social change. Journal of Marketing, 35(3), 3-12.

Kotler, P. (1972). Generic Concept of Marketing. Journal of Marketing, 36(2), 46-54.

Lazer, W. (1972). Dimensions of Social Marketing. World Congress of Sales and Marketing Executives Internacional. Puerto Rico.

Malhotra, N.K. (2012). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Bookman.

Mesquita, J.M.C. (2010). Estatística multivariada aplicada à administração: guia prático para utilização do SPSS. Curitiba: CRV.

Organização Mundial da Saúde. (2013). La OMS recomienda aumentar el número de donantes voluntarios de sangre. Recuperado de: http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2012/blood_donation_20120614/es/.

Paulo, R.R.D., & Malik, A.M. (2014). O Uso do Facebook na Comunicação de Marketing para Promover a Doação de Medula no Brasil. In XXXVIII EnAnpad. Rio de Janeiro.

Pereira, J.R., Sousa, C.V., Matos, E.B., Rezende, L.O.B., Bueno, N.X., & Dias, A.M. (2016). To donate or not donate, that is the question: an analysis of the critical factors of blood donation. Ciência & Saúde Coletiva, 21(8), 2475-2484.

Pykett, J., Jones, R., Welsh, M., & Whitehead, M. (2012). The art of choosing and the politics of social marketing. Policy Studies, 35(2), 97-114.

Rego, F.G.T. (1985). Marketing político e governamental: um roteiro para campanhas políticas e estratégias de comunicação. São Paulo: Summuns.

Rezende, L.B.O., Sousa, C.V., Pereira, J.R., & Rezende, L.O. (2015). Doação de órgãos no Brasil: uma análise das campanhas governamentais sob a perspectiva do marketing social. Revista Brasileira de Marketing, 14(3), 362-376.

Schwartz, G. (1971). Marketing: the societal marketing concept. University of Washington Business Review, 31(3), 31-38.

Sewak, A., & Singh, G. Integrating Social Marketing Into Fijian HIV/AIDS Prevention Programs. Lessons from Systematic Review, 32(1), 2017.

Silva, E.C., & Mazzon, J.A. (2015). Plano de marketing social para a promoção da saúde: desenvolvimento de políticas de saúde pública orientada ao “cliente”. Revista Brasileira de Marketing, 15(2), 164-176.

Silva, S.L., Oliveira, I.L., Pego, Z.O., Pereira, J.R., & Sousa, C.V. (2016). Condicionantes da motivação para a doação de órgãos: uma análise à luz do marketing social. Teoria e Prática em Administração, 6(5), 69-96.

Smith W.A. (2002). Social marketing and its potential contribution to a modern synthesis of social change. Social Marketing Quartely, 8(2), 46-58.

Souza, C. (2006). Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, 8(16), 20-44.

Terence, A.C.F., & Escrivão Filho, E. (2006). Abordagem quantitativa, qualitativa e a utilização da pesquisa-ação nos estudos organizacionais. In XXVI ENEGEP. São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.5585/remark.v18i1.3842

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Marketing – Remark

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

REMark – Rev. Bras. Mark.
ISSN da versão online: 2177-5184
www.revistabrasileiramarketing.org