As despesas Municipais em Saúde Impactam as Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária (ICSAP)? Uma Análise em Municípios de Minas Gerais

Lucas Maia dos Santos, Márcio Augusto Gonçalves, Cleopatra Charles

Resumo


O objetivo deste artigo foi avaliar o efeito das despesas municipais de saúde, com foco na atenção básica, na porcentagem de Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária (ICSAP). Por meio de um modelo de efeitos fixos, analisamos a população de 853 municípios do Estado de Minas Gerais, durante os anos de 2004 a 2013. Os resultados mostraram que as despesas municipais em saúde são importantes para a variação da porcentagem de ICSAP, juntamente com variáveis relacionadas a saneamento básico e grupos de indivíduos específicos, especialmente, crianças e gestantes. Os resultados nos remetem à hipótese de que aumentar o investimento municipal em saúde não seria alternativa eficaz, dado que para obter uma redução mínima unitária das ICSAP seria necessário um aumento, relativamente elevado, no nível de investimentos per capita em saúde.

Palavras-chave


Saúde. Atenção Básica. Municípios. Minas Gerais. ICSAP. PNAB.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/rgss.v5i1.185

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista de Gestão em Sistemas de Saúde – RGSS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

 

Revista de Gestão em Sistemas de Saúde (RGSS)
e-ISSN: 2316-3712
www.revistargss.org.br

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.