Gestão estratégica de hospitais: uma análise da produção científica (2008-2018)

Luciano Maldonado Felipe, Sandra Mara Stocker Lago

Resumo


A necessidade de adoção de ferramentas e técnicas já consolidadas em outros setores da economia com foco em uma gestão estratégica, ainda é um grande desafio para as organizações hospitalares. Logo, este estudo busca levantar e analisar a produção científica sobre “gestão estratégica hospitalar” no Brasil e no mundo entre 2008 a 2018, esboçando um panorama das principais ferramentas e técnicas que estão sendo estudadas para o desenvolvimento da gestão hospitalar, por meio de pesquisa de revisão sistemática e bibliográfica da literatura já produzida, aplicando leis da bibliometria (Lotka e Bradford) para análise de dados. Assim, estudos sobre ‘business intelligence’ (16 estudos), ‘avaliação de desempenho’ (15), ‘indicadores de gestão’ (13), ‘administração hospitalar’ (11), ‘administração estratégica’ (5) e ‘business activity monitoring’ (2), realizados por 159 autores e coautores, permearam as discussões sobre “gestão estratégica hospitalar”, especialmente no período de 2015 a 2018 (37 estudos, 60% do total). Contudo, não foi possível observar conexão entre as várias ferramentas e técnicas estudadas, tão pouco, qual o caminho ideal para uma “gestão estratégica hospitalar”. Por fim, este estudo buscou nivelar e organizar os diversos estudos selecionados, fornecendo visualização e compreensão do conhecimento sobre gestão estratégica de hospitais, sobretudo sobre a adoção do ‘business activity monitoring’, técnica que possibilita melhorar a velocidade e a eficácia das suas operações, evidenciando ainda alternativas para estudos e pesquisas futuras.


Palavras-chave


Administração hospitalar; Avaliação de desempenho; Business activity monitoring; Indicadores de gestão.

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, M. A. P. de. (2015). Avaliação do uso de uma ferramenta de inteligência empresarial na gestão hospitalar. Fundação Cesgranrio.

Assis Coelho, F., Paulo, S., José Joaquim do Nascimento, B., José Luis Gomes da Silva, B., & Jorge Luiz Knupp Rodrigues, B. (2013). a Contribuição Da Gestão De Medicamentos E Materiais Médicos Para O Resultado Financeiro De Um Hospital Público the Contribution of Management of Medicines and Medical Supplies for Financial Result of a Public Hospital a Contribuição Da Gestão De Medicame. Jul./Set. Revista FSA, 10(2), 16–35. https://doi.org/10.12819/2013.10.3.2

Blanski, M. B. S. (2015). Gestão De Custos Como Instrumento De Governança Pública: Um Modelo De Custeio Para Os Hospitais Públicos. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Recuperado de http://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&db=fua&AN=121967852〈=pt-br&site=eds-live

Cunha, J. A. C. da. (2011). Avaliação de desempenho e eficiência em organizações de saude: um estudo em hospitais filantrópicos. Tese USP/FEA, 242. https://doi.org/10.11606/T.12.2011.tde-01092011-190122

Falk, J. A. (2001). Gestão de custos para hospitais: conceitos, metodologias e aplicações.

Flores, J. de S. (2011). Características das ferramentas de business intelligence que contribuem para obtenção dos objetivos estratégicos à luz dos princípios de governança corporativa.

Galvão, T. F., & Pansani, T. de S. A. (2015). Principais itens para relatar Revisões sistemáticas e Meta-análises: A recomendação PRISMA *, 24(2), 335–342. https://doi.org/10.5123/S1679-49742015000200017

Garcia, A. E. B. (2016). Business Intelligence Em Tempo Real Utilizando Infraestrutura Em Nuvem. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

Garrick, R., Janet Sullivan, Doran, M., & Keenan, J. (2019). The Role of the Hospital in the Healthcare System. The Modern Hospital. Cham Springer.

Giusti, A. C. C., Fernandes, A. M. da S., Malik, A. M., Machline, C., Carreira, D., Gonçalves, E. L., … Barbusca, C. S. (2017). Gestão Hospitalar. Editora Saraiva.

Grander, G. (2019). O EFEITO DA GOVERNANÇA DE PROJETOS E GESTÃO DA REALIZAÇÃO DE BENEFÍCIOS NA ESTRATÉGIA DAS ORGANIZAÇÕES: Uma análise multigrupo sob o prisma de indicadores de desempenho. Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Liberati, A., Altman, D. G., Tetzlaff, J., Mulrow, C., Gøtzsche, P. C., Ioannidis, J. P. A., … Moher, D. (2009). The PRISMA statement for reporting systematic reviews and meta-analyses of studies that evaluate health care interventions: Explanation and elaboration. PLoS Medicine, 6(7). https://doi.org/10.1371/journal.pmed.1000100

Longo, A., Giacovelli, S., & Bochicchio, M. A. (2014). Fact – Centered ETL: A Proposal for Speeding Business Analytics up. Procedia Technology, 16, 471–480. https://doi.org/10.1016/j.protcy.2014.10.114

Madakam, S., M. Holmukhe, R., & Kumar Jaiswal, D. (2019). The Future Digital Work Force: Robotic Process Automation (RPA). Journal of Information Systems and Technology Management, 16, 1–16. https://doi.org/10.4301/s1807-1775201916001

Madaleno, J. M. (2015). Uma proposta de sistematização de indicadores de desempenho na área hospitalar. Universidade Federal Fluminense.

Méllo, A. C. L. de O. (2013). A tecnologia da informação como instrumento para gestão estratégica hospitalar: um estudo de caso sobre a contribuição do Prontuário Eletrônico do Paciente - PEP - para a gestão hospitalar do hospital beneficente Maria Vitória - PE. Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas - FGV.

Nunes, F. C. (2009). O Processo da Comunicação Organizacional das Unidades de Enfermagem de um Hospital Universitário – Estudo de Caso. Universidade Federal de Goiás.

Nyland, K., Morland, C., & Burns, J. (2017). The interplay of managerial and non-managerial controls, institutional work, and the coordination of laterally dependent hospital activities. Qualitative Research in Accounting & Management, 14(4), 467–495. https://doi.org/10.1108/QRAM-08-2017-0076

Paim, J., Travassos, C., Almeida, C., Bahia, L., & MacInko, J. (2011). The Brazilian health system: History, advances, and challenges. The Lancet, 377(9779), 1778–1797. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(11)60054-8

Pourshahid, A., Amyot, D., Chen, P., Weiss, M., & Forster, A. (2007). Business Process Monitoring and Alignment: An Approach Based on the User Requirements Notation and Business Intelligence Tools. Wer, 1–12. Recuperado de http://lotos.site.uottawa.ca/ucm/pub/UCM/VirLibWER07BAM/WER07-BAM-final.pdf

Pourshahid, A., Johari, I., Richards, G., Amyot, D., & Akhigbe, O. S. (2014). A goal-oriented , business intelligence-supported decision-making methodology, 1–36.

Ruthes, R. M., & Cunha, I. C. K. O. (2007). Os desafios da administração hospitalar na atualidade. Revista de Administração em Saúde, 9(36), 93–102.

Silva, J. R. da. (2010). Avaliação da Sustentabilidade Financeira de Entidades de Assistência Social. Pontifícia Universidaade Católica de São Paulo.

Silva, M. Z. da S., Moretti, B. R., & Schuster, H. A. (2016). Avaliação da eficiência hospitalar por meio da análisee envoltória de dados. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 5, 100–114.

Takahashi, A. C. D. (2011). Análise do modelo de remuneração hospitar no mercado de saúde suplementar paulistano. Tese de Doutorado.

Vecina Neto, G., & Malik, A. M. (2007). Tendências na assistência hospitalar. Ciência & Saúde Coletiva, 12(4), 825–839. https://doi.org/10.1590/s1413-81232007000400002

Almeida, M. A. P. (2008). Avaliação do uso de uma ferramenta de inteligência empresarial na gestão hospitalar. (Master’s thesis, Brasil).

Amor, E. A. E. H., & Ghannouchi, S. A. (2017). Towards KPI-Based Health Care Process Improvement. Procedia computer science, 121, 767-774.

Araújo, C. A. (2006). Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em questão, 12(1), 11-32.

Avini, F. C. (2017). Indicadores hospitalares para medição de desempenho assistencial e de gestão: proposta de modelo-referência de benchmarking hospitalar.

Azadmanjir, Z., Torabi, M., Safdari, R., Bayat, M., & Golmahi, F. (2015). A map for clinical laboratories management indicators in the intelligent dashboard. Acta Informatica Medica, 23(4), 210.

Bach, M. P., Jaklič, J., & Vugec, D. S. (2018). Understanding impact of business intelligence to organizational performance using cluster analysis: does culture matter?. Decision-making to switch your ERP system: empirical Japanese evidence.

Bamford, D., & Chatziaslan, E. (2009). Healthcare capacity measurement. International Journal of Productivity and Performance Management, 58(8), 748-766.

Blanski, M. B. S. (2015). Gestão de custos como instrumento de governança pública: um modelo de custeio para os hospitais públicos do Paraná (Master’s thesis, Universidade Tecnológica Federal do Paraná).

Bøgsted, M., Olsen, R. L., & Schwefel, H. P. (2010). Probabilistic models for access strategies to dynamic information elements. Performance Evaluation, 67(1), 43-60.

Borba, V. R., & Lisboa, T. C. (2006). Teoria geral de administração hospitalar. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Borgatti, S. P., Everett, M. G., & Freeman, L. C. (2002). Ucinet for Windows: Software for social network analysis.

Bradley, E., Hartwig, K. A., Rowe, L. A., Cherlin, E. J., Pashman, J., Wong, R. E. X., ... & Abebe, Y. (2008). Hospital quality improvement in Ethiopia: a partnership–mentoring model. International Journal for Quality in Health Care, 20(6), 392-399.

CCS/CAPES (2017). Avaliação da CAPES aponta crescimento da pós-graduação brasileira. Ministério da Educação – CCS/CAPES. Recuperado em 01 jan. 2019, de http://www.capes.gov.br/sala-de-imprensa/noticias/8558-avaliacao-da-capes-aponta-crescimento-da-pos-graduacao-brasileira

Chiareto, J., Hamilton, L. C., & da Cunha, J. A. C. (2018). Organizational Performance Measurement: A Study in a Pubic University Hospital. Revista Ibero-Americana de Estratégia, 17(1), 112.

Çınar, F., & Vardarlıer, P. (2014). Establishment of individual performance evaluation system in a health business and a pilot practice. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 150, 384-393.

Correia, J. M. (2002). BAM: A Composite Market Changing the Way Enterprises Work. Gartner Research.

Costello, C., & Molloy, O. (2009). A process model to support automated measurement and detection of out-of-bounds events in a hospital laboratory process. Journal of theoretical and applied electronic commerce research, 4(2), 31-54.

Côté, G., Roberge, G., Archambault, É (2016). Bibliometrics and Patent Indicators for the Science and Engineering Indicators. Retrieved March, 30.

Cunha, J. A. C. D. (2011). Avaliação de desempenho e eficiência em organizações de saúde: um estudo em hospitais filantrópicos (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo).

Da Cunha, J. A. C., & Corrêa, H. L. (2013). Avaliação de desempenho organizacional: um estudo aplicado em hospitais filantrópicos. RAE-Revista de Administração de Empresas, 53(5), 485-499.

da Silva, M. Z., Moretti, B. R., & Schuster, H. A. (2016). Avaliação da eficiência hospitalar por Meio da Análise Envoltória de Dados. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 5(2), 100-114.

de Andrade Lira, C., da Silva, G., de Lima, C. R. M., & de Lima, M. A. (2017). Governança corporativa em um hospital privado: um estudo de caso sobre o impacto no desempenho hospitalar. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 6(3), 229-244.

de Assis Lahoz, M., & Camarotto, J. A. (2012). Performance indicators of work activity. Work, 41(Supplement 1), 524-531.

de SOUZA, A. A., da SILVA, O. F., AVELAR, E. A., & LAMEGO, L. F. (2016). ANÁLISE DE EFICIÊNCIA DOS HOSPITAIS: UM ESTUDO COM FOCO EM INDICADORES OPERACIONAIS. Caderno de Administração, 24(2), 45-59.

de Souza, A., Guerra, M., Guerra, C. O., Gomide, P. L. R., Pereira, C. M., & Freitas, D. A. (2009). Controle de gestão em organizações hospitalares. REGE Revista de Gestão, 16(3), 15-29.

Dieste, O., & Padua, A. G. (2007, September). Developing search strategies for detecting relevant experiments for systematic reviews. In First International Symposium on Empirical Software Engineering and Measurement (ESEM 2007) (pp. 215-224). IEEE.

Dwivedi, R., & Chakraborty, S. (2015). Development of an activity based costing model for a government hospital. Uncertain Supply Chain Management, 3(1), 27-42.

Falk, J. A. (2001). Gestão de custos para hospitais: conceitos, metodologias e aplicações.

Ferreira, L. C. M., & Garcia, F. C. (2008). O poder nas organizações hospitalares: administradores hospitalares fantoches da hegemonia hierárquica médica (Doctoral dissertation, Dissertação (Mestrado em Administração). Faculdade Novos Horizontes, Belo Horizonte).

Flores, J. D. S. (2011). Características das ferramentas de business intelligence que contribuem para obtenção dos objetivos estratégicos à luz dos princípios de governança corporativa.

Gaardboe, R. (2018). The Relationship Between System User’s Tasks and Business Intelligence (BI) Success in a Public Healthcare Setting. Electronic Journal of e-Government, 16(2).

Gaardboe, R., Sandalgaard, N., & Nyvang, T. (2017). An assessment of business intelligence in public hospitals. IJISPM-International Journal of Information Systems and Project Management, 3, 5-18.

Gaardboe, R., & Svarre, T. A. N. J. A. (2018). BUSINESS INTELLIGENCE SUCCESS FACTORS: A LITERATURE. Journal of Information Technology Management, 29(1), 1.

Garcia, A. E. B. (2016). Business intelligence em tempo real utilizando infraestrutura em nuvem.

Gasparetto, V., & Dornelles, T. S. (2015). Gerenciamento de processos: estudo em uma organização hospitalar catarinense. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 4(2), 57-72.

Gastaldi, L., Pietrosi, A., Lessanibahri, S., Paparella, M., Scaccianoce, A., Provenzale, G., ... & Gridelli, B. (2018). Measuring the maturity of business intelligence in healthcare: Supporting the development of a roadmap toward precision medicine within ISMETT hospital. Technological Forecasting and Social Change, 128, 84-103.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Ediitora Atlas SA.

Govekar, M., McCoy, D., Dresner, H., & Correia, J. (2002). Turning the Theory of BAM into a Working Reality. Gartner, COM-14-9785. Article sent via email by Professor Dr. Richard J. Welke.

Govekar, M., & Schulte, R. (2002). BAM Architecture: More Building Blocks Than You Think. Gartner, AV-15, 5070.

Guedes, V. L., & Borschiver, S. (2005). Bibliometria: uma ferramenta estatística para a gestão da informação e do conhecimento, em sistemas de informação, de comunicação e de avaliação científica e tecnológica. Encontro Nacional de Ciência da Informação, 6(1), 18.

Han, J. M., Chae, Y. M., Boo, E. H., Kim, J. A., Yoon, S. J., & Kim, S. W. (2012). Performance analysis of hospital information system of the national health insurance corporation ilsan hospital. Healthcare informatics research, 18(3), 208-214.

Hulshof, P. J., Kortbeek, N., Boucherie, R. J., Hans, E. W., & Bakker, P. J. (2012). Taxonomic classification of planning decisions in health care: a structured review of the state of the art in OR/MS. Health systems, 1(2), 129-175.

Jacsó, P. (2010). Metadata mega mess in Google Scholar. Online Information Review, 34(1), 175-191.

Jahangirian, M., Taylor, S. J., Young, T., & Robinson, S. (2017). Key performance indicators for successful simulation projects. Journal of the Operational Research Society, 68(7), 747-765.

Jin, D. H., & Kim, H. J. (2018). Integrated Understanding of Big Data, Big Data Analysis, and Business Intelligence: A Case Study of Logistics. Sustainability, 10(10), 3778.

Jorge, M. J., de Carvalho, F. A., de Carvalho, M. P., & Jorge, M. F. (2013). Gestão por Avaliação de Desempenho: uma aplicação ao serviço de saúde da Marinha do Brasil. Revista de Ciências da Administração, 15(36), 69-84.

Khalifa, M., & Khalid, P. (2015). Developing strategic health care key performance indicators: a case study on a tertiary care hospital. Procedia Computer Science, 63, 459-466.

Kim, H., & Lee, C. W. (2018). Efficiency analysis for nonprofit organizations using DEA: Focused on humanitarian assistance organizations in South Korea. Asia Pacific Journal of Innovation and Entrepreneurship, 12(2), 165-180.

Kolár, J. (2009). Business activity monitoring. Unpublished Master Thesis. Masaryk University.

Kupferman, M., & Hardonag, I. (2011). U.S. Patent No. 7,962,616. Washington, DC: U.S. Patent and Trademark Office.

La Forgia, G. M., & Couttolenc, B. F. (2009). Desempenho hospitalar no Brasil. São Paulo: Singular.

Liberati, A., Altman, D. G., Tetzlaff, J., Mulrow, C., Gøtzsche, P. C., Ioannidis, J. P., ... & Moher, D. (2009). The PRISMA statement for reporting systematic reviews and meta-analyses of studies that evaluate health care interventions: explanation and elaboration. PLoS medicine, 6(7), e1000100.

Longaray, A., Ensslin, L., Ensslin, S., Alves, G., Dutra, A., & Munhoz, P. (2018). Using MCDA to evaluate the performance of the logistics process in public hospitals: the case of a Brazilian teaching hospital. International Transactions in Operational Research, 25(1), 133-156.

Madaleno, J. M. (2015). Uma proposta de sistematização de indicadores de desempenho na área hospitalar.

McCoy, D. W. (2002). Business activity monitoring: Calm before the storm. Gartner Research.

Méllo, A. C. L. D. O. (2013). A tecnologia da informação como instrumento para gestão estratégica hospitalar: um estudo de caso sobre a contribuição do Prontuário Eletrônico do Paciente-PEP-para a gestão hospitalar do hospital beneficente Maria Vitória-PE (Doctoral dissertation).

Muntean, M. (2018). Business intelligence issues for sustainability projects. Sustainability, 10(2), 335.

Nagy, J., Oláh, J., Erdei, E., Máté, D., & Popp, J. (2018). The Role and Impact of Industry 4.0 and the Internet of Things on the Business Strategy of the Value Chain—The Case of Hungary. Sustainability, 10(10), 3491.

Nassi-Calò, L. (2014). Estudo propõe uma taxonomia de razões para citar artigos em publicações científicas. SciELO em Perspectiva.

Neto, G. V., Malik, A. M. (2007). Tendências na assistência hospitalar. Ciência saúde coletiva, 12(4), 825-39.

Noce, C. A. M. (2017). Análise da aplicação dos indicadores hospitalares de eficiência da ANS nos hospitais universitários federais brasileiros via Business Intelligence.

Nunes, F. C. (2009). O Processo da Comunicação Organizacional das Unidades de Enfermagem de um Hospital Universitário Estudo de Caso.

Nyland, K., Morland, C., & Burns, J. (2017). The interplay of managerial and non-managerial controls, institutional work, and the coordination of laterally dependent hospital activities. Qualitative Research in Accounting & Management, 14(4), 467-495.

Oliveira, A. L. M. (2013). Administração estratégica em organizações filantrópicas: um estudo de caso em um hospital beneficente (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo).

Oliveira, A. A. L. T. C., & Moreira, M. G. C. (2010). Indicadores de desempenho econômico-financeiro para hospitais: um estudo teórico. RAHIS, (3).

Cunha, A. B. O., & Vieira-da-Silva, L. M. (2010). Acessibilidade aos serviços de saúde em um município do Estado da Bahia, Brasil, em gestão plena do sistema. Cadernos de Saúde Pública, 26, 725-737.

Pieket Weeserik, B., & Spruit, M. (2018). Improving Operational Risk Management Using Business Performance Management Technologies. Sustainability, 10(3), 640.

Porter, M. E., & Teisberg, E. O. (2007). Repensando a saúde: estratégias para melhorar a qualidade e reduzir os custos. Bookman Editora.

Portulhak, H., Bragueto Martins, D., & dos Santos Bortolocci Espejo, M. M. (2017). Business performance management in university hospitals: a diagnosis in Brazilian institutions. Revista de Salud Pública, 19, 697-703.

Pourshahid, A., Johari, I., Richards, G., Amyot, D., & Akhigbe, O. S. (2014). A goal-oriented, business intelligence-supported decision-making methodology. Decision Analytics, 1(1), 9.

Pritchard, A. (1969). Statistical bibliography or bibliometrics. Journal of documentation, 25(4), 348-349.

Ramos, M. C. D. A., Cruz, L. P. D., Kishima, V. C., Pollara, W. M., Lira, A. C. O. D., & Couttolenc, B. F. (2015). Performance evaluation of hospitals that provide care in the public health system, Brazil. Revista de saude publica, 49, 43.

RF, S. (2007). Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica.

Rodrigues, S. L., & de Oliveira Sousa, J. V. (2015). Modelagem de processos de negócios: um estudo sobre os processos de gestão de compras farmacêuticas em hospital da rede privada de Teresina-PI. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 4(1), 83-99.

Rorato Junior, C. (2012). Uma contribuição para o entendimento do uso das ferramentas de Corporate Performance Management (CPM) no sistema de contabilidade gerencial.

Safwan, E. R., Meredith, R., & Burstein, F. (2016). Business Intelligence (BI) system evolution: a case in a healthcare institution. Journal of Decision Systems, 25(sup1), 463-475.

Salu, E. J. (2013). Administração hospitalar no Brasil. Editora Manole.

Santos, C. D. P. Estudo dos fatores influenciadores da intenção de uso da informação dos sistemas de Business Intelligence em empresas brasileiras (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo).

Sarka, P., & Pavla, S. (2016). Horizontal Integration of Hospitals–Does it have an Impact on their Effectiveness?. Procedia Economics and Finance, 39, 553-561.

Silva, D. M., de Oliveira Carvalho, T., Amaro, B., & de Assis, T. B. (2016). O retrato situacional das revistas científicas brasileiras. Cadernos BAD, (2), 116-124.

Silva, J. R. D. (2010). Avaliação da sustentabilidade financeira de entidades de assistência social.

Simões, A., Azevedo, A., & Gonçalves, S. (2017). Hospital centre performance dimensions and internal stakeholder valuation: a case study. International Journal of Productivity and Performance Management, 66(8), 983-1001.

Souza, P. D. R. (2017). Gestão do conhecimento: análise e proposição de portfólio de ferramentas e práticas no Hospital Universitário Onofre Lopes (Master’s thesis, Brasil).

Souza, S. de L. e. (2013). Programa de apoio a gestão dos hospitais filantrópicos do estado de São Paulo: estudo dos resultados do programa em dez hospitais. (Master’s thesis, Brasil).

Turban, E., Sharda, R., Aronson, J. E., & King, D. (2009). Business intelligence: um enfoque gerencial para a inteligência do negócio. Bookman Editora.

Vainieri, M., Ferrè, F., Giacomelli, G., & Nuti, S. (2017). Explaining performance in health care: How and when top management competencies make the difference. Health Care Management Review, doi, 10.

Van Looy, A., & Shafagatova, A. (2016). Business process performance measurement: a structured literature review of indicators, measures and metrics. SpringerPlus, 5(1), 1797.

Vieira, E. R. F. D. C. Características da medição de desempenho organizacional: um estudo descritivo nos hospitais do Estado do Rio Grande do Norte.

Vignochi, L., Gonçalo, C. R., & Lezana, Á. G. R. (2014). Como gestores hospitalares utilizam indicadores de desempenho?. RAE-Revista de Administração de Empresas, 54(5), 496-509.

Zaman, M. (2005). Predictive analytics: The future of business intelligence. Technology Evaluation Centers.




DOI: https://doi.org/10.5585/rgss.v8i3.13912

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista de Gestão em Sistemas de Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

 

Revista de Gestão em Sistemas de Saúde (RGSS)
e-ISSN: 2316-3712
www.revistargss.org.br

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.