Aquecimento e umidificação dos gases inspirados na ventilação mecânica e sua relação com a secreção

Brena Costa de Oliveira, Angelo Eduardo Vasconcelos Guimarães, Francisco Maurilio da Silva Carrias, Hengrid Graciely Nascimento Silva, Samara Martins de Oliveira Souza, Valéria Monteiro Beserra da Silva, Daisy Satomi Ykeda

Resumo


Introdução: A ventilação mecânica (VM) requer cuidados especiais, pois em situações inadequadas torna-se deletéria. Objetivo: Verificar se os sistemas ativos de aquecimento e umidificação da Unidade de Terapia Intensiva de um Hospital Público estão sendo realizados de forma adequada e se eles possuem relação com as secreções. Métodos: Foram incluídos 30 pacientes que estavam em VM, com umidificadores ativos, sem restrições de idade e sexo. Observou-se os parâmetros da VM, características das secreções, nível de aquecimento e de água nos copos de umidificação, além da presença de água nos circuitos. Resultados: em 65,8% das vezes, o aquecimento estava abaixo do esperado; em 87,5% das ocasiões, a quantidade de água nos copos umidificadores foram inadequadas; em 53,3%, havia água nos circuitos. As secreções apresentaram relação com a umidificação (r=0,014) e a frequência respiratória com as secreções (p<0,05). Conclusão: O aquecimento do ar inspirado e os sistemas ativos de umidificação não estão sendo realizados de forma adequada e eles possuem relação com a viscosidade das secreções. 


Palavras-chave


Respiração Artificial; Secreção; Umidificadores; Aquecedores; Temperatura

Texto completo:

PDF

Referências


Carvalho CRR, Toufen Jr, C, Franca, SA. III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica. Ventilação mecânica: princípios, análise gráfica e modalidades ventilatórias. J Bras Pneumol. 2007; 33(2): 54-70.

Nepomuceno RDM, Silva LD. Pesquisa bibliográfica dos sistemas de vigilância em ventilação mecânica: o estado da arte na enfermagem. Rev. Eletrônica Enferm. 2007; 09(01): 191-199.

Ashry HSA; Modrykamien AM. Humidification during mechanical ventilation in the adult patient. Biomed Res Int. 2014; 2014: 715434. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2018.

Galvão AM, Galindo Filho VC, Marinho PEM, França EET, Gomes R, Santos BEM, et al. Estudo comparativo entre os sistemas de umidificação aquoso aquecido e trocador de calor e de umidade na via aérea artificial de pacientes em ventilação mecânica invasiva. Rev. bras. Fisioter. 2006; 10(3): 303-308.

Ferreira EL. Sistema de aquecimento e umidificação de ar para ventilação mecânica de pacientes de unidades de terapia intensiva [dissertação]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2006.

Guyton AC; Hall JE. Tratado de fisiologia médica. 10. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

Nyssen SM. Comparativo entre os sistemas de umidificação e aquecimento: HME e Umidificador Aquecido na ventilação mecânica. 2010. 31f. Monografia (Graduação em Fisioterapia), Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.

Lucato JJJ. Avaliação e comparação de diferentes tipos de trocadores de calor e umidade [Doutorado em Ciências Médicas]. São Paulo: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, 2005.

Oliveira ACS. Escalas de umidificação de vias aéreas durante ventilação mecânica: tradução, validação e avaliação da confiabilidade [dissertação]. São Paulo: Fundação Antônio Prudente, 2008.

Bonassa J. Umidificação na Ventilação Mecânica. In: Carvalho WB et al. Atualização em Ventilação Pulmonar Mecânica. São Paulo: Atheneu; 1997. p. 17-29.

Branson RD. Humidification of respired gases during mechanical ventilation: mechanical considerations. Respir Care Clin Am. 2006; 12(2): 253-256.

Shelly MP. The humidification and filtration functions of the airways. Respir Care Clin N Am. 2006; 12(2): 139-148.

Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia e Associação de Medicina Intensiva Brasileira. II Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica. J Bras Pneumol. 2000; 26(Suppl2): 1-68.

Gatiboni S, Piva JP, Garcia PCR. Umidificação dos gases inspirados na ventilação mecânica em crianças. Scientia Medica. 2008; 18(2): 87-91.

Restrepo RD, Walsh BK. Humidification During Invasive and Noninvasive Mechanical Ventilation: 2012. Respir Care: 2012; 57(5): 782–788.

Danin PE, Girou E, Legrand P, Louis B, Fodil R, Christov C, et al. Description and microbiology of endotracheal tube biofilmin mechanically ventilated patients. Respir Care. 2015; 60(1): 21-9.

Cerpa F, Cáceres D, Romero-Dapueto C, Giugliano-Jaramillo C, Pérez R H. Budini1, Hidalgo V, et. al. Humidification on Ventilated Patients: Heated Humidifications or Heat and Moisture Exchangers? Open Respir Med J. 2015; 9 (Suppl 2: M5) 104-111.

McNamara DG, Asher MI, Rubin BK, Stewart A, Byrnes CA. Heated Humidification Improves Clinical Outcomes, Compared to a Heat and Moisture Exchanger in Children With Tracheostomies. Respir. Care. 2014; 59(1): 46-53.

Sottiaux TM. Consequences of Under- and Overhumidification. Respir Care Clin N Am. 2006; 12(2): 233–252.

Solomita M, Palmer LB, Daroowalla F, Liu J, Miller D, LeBlanc DS, et al. Humidification and Secretion Volume in Mechanically Ventilated Patients. Respir Care. 2009; 54(10): 1329-35.

Gross JL, Park GR. Humidification of inspired gases during mechanical ventilation. Minerva Anestesiol. 2012; 78(4): 496-502.

Lellouche F, Taille S, Lefrancois F, Deye N, Maggiore SM, Jouvet P, et al. Humidification performance of 48 passive airway humidifiers: comparison with manufacturer data. Chest. 2009; 135(2): 276-86.




DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v18n2.10985

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN da versão impressa: 1677-1028
ISSN da versão online: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.