Repercussões do tratamento de câncer de mama sobre a funcionalidade de membro superior

Luana Paula Nava, Bibiana Ferrari Barroso, Alexandre Simões Dias, Amanda Sachetti

Resumo


Introdução: As terapêuticas utilizadas para o controle do câncer de mama envolvem cirurgia, tratamentos sistêmicos e radioterapia, com isso, um aglomerado de complicações pode impactar a funcionalidade do membro superior.

Objetivo: Avaliar a força muscular e a amplitude de movimento de mulheres com câncer de mama em tratamento radioterápico e analisar a influência destas variáveis na funcionalidade do membro homolateral a cirurgia.

Métodos: Assim, foram incluídas 57 mulheres e realizada avaliação da amplitude de movimento e força muscular comparando membro superior homolateral e contralateral a cirurgia e, após aplicado o questionário de desabilidades do ombro, braço e mão.

Resultados: Os resultados mostraram escore satisfatório de funcionalidade do membro superior. A força muscular mostrou-se inalterada, porém houve redução na amplitude de movimento em flexão e abdução. Foi verificada correlação entre amplitude de movimento, força muscular e funcionalidade principalmente em abdução.

Conclusão: A força muscular afeta diretamente a funcionalidade do membro superior.


Palavras-chave


Neoplasias da Mama, Radioterapia, Complicações pós-operatórias, Incapacidade funcional.; Extremidade Superior.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências

Quinto SMG, Mejia DPM. Benefícios da fisioterapia no tratamento de linfedema pós-mastectomia radical: uma revisão literária [Monografia]. Goiânia(GO): Faculdade Ávila; 2012.

Rett MT, Santos AKG, Mendonça ACR, Oliveira IA, DeSantana JM. Efeito da fisioterapia no desempenho funcional do membro superior no pós-operatório de câncer de mama. Rev Ciência & Saúde. 2013;6(1):18-24.

Instituto Nacional de Câncer (INCA). [homepage na internet; 2015]. Estimativa 2016| Incidência de Câncer no Brasil [acesso em 20 de agosto 2017]. Disponível em: http://www.inca.gov.br/estimativa/2016/estimativa-2016-v11.pdf.

Assis MR, Marx AG, Magna LA, Ferrigno ISV. Late morbidity in upper limb function and quality of life in women after breast cancer surgery. Braz J Phys Ther. 2013;17(3):236-46.

Sousa E, Carvalho FN, Bergmann A, Fabro EAN, Dias RA, Koifman RJ. Funcionalidade de membro superior em mulheres submetidas ao tratamento do câncer de mama. Revista Brasileira de Cancerologia. 2013;59(3):409-17.

Hayes SC, Johansson K, Stout NL, Prosnitz R, Armer JM, Gabram SI et al. Upper-Body Morbidity After Breast Cancer. Wiley Online Library. 2012;118(8):2237-49.

Marques AP. Manual de goniometria: ângulos articulares dos membros superiores. 2ª ed. São Paulo: Manole; 2003.

Kendall F, Mccreary E, Provance P. Provas de função muscular. 4ª ed. São Paulo: Manole; 1995

Orfale AG, Araújo PMP, Ferraz MB, Natour J. Translation into brazilian portuguese, cultural adaptation and evalution of the disabilities of the arm, shoulder and hand questionnaire. Braz J Med Biol Res. 2005;38(2): 293-302.

Dancey CP, Reidy J. Estatística sem matemática para psicologia: usando SPSS para windows. 5ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2013.

Internacional Agency for Research on Cancer. Estimated number of new cancers. [acesso em 26 de novembro de 2017]. Disponível em: http://globocan.iarc.fr/Pages/burden_sel.aspx.

Magalhães G, Souza CB, Fustitoni SM, Matos JC, Schirmer J. Perfil clínico, sociodemográfico e epidemiológico da mulher com câncer de mama. J.res.:fundam.care.online. 2017;9(2):473-79.

Rechia TL, Prim AC, Luz CM. Upper limb functionality and quality of life in women with five-year survival after breast cancer surgery. Rev Bras Ginecol Obstret. 2017;39(3):115-21.

Ellingjord-Dale M, Vos L, Hjerkind KV, Hjartaker A, Russnes HG. Alcohol, physical activity, smoking and breast cancer subtypes in a large nested case-control study from the Norwegian Breast Cancer Screening Program. Cancer Epidemiol Biomarkers Prev. 2017:1-23.

Gaudet MM, Gierach G, Carter B, Luo J, Milne R, Weiderpass E et al. Risk factors by molecular subtypes of breast cancer: a pooled analysis of nine cohorts. American Association for Cancer Research. 2017;77(13):1-5.

Wadasadawala T, Nair N, Lewis A, Budrukkar A, Parmar V, Gupta S et al. Clinical profile and outcome of various stages of breast cancer treated at a Tertiary Cancer Centre. Clinical Oncology. 2017;29(3):72-83.

Veiga DF, Campos FSM, Ribeiro LM, Junior IA, Filho JV, Juliano Y et al. Mastectomy versus conservative surgical treatment: the impact on the quality of life of women with breast cancer. Rev. Bras. Saúde Matern. Infant. 2010;10(1):51-7.

Winters-Stone KM, Dobek J, Bennett JA, Nail LM, Leo MC, Schawartz A. The effect of resistance training on muscle strength and physical function in older, postmenopausal breast cancer survivors: a randomized controlled trial. J Cancer Surviv. 2012;6(2):189-99.

Velloso FSB, Barra AA, Dias RC. Functional performance of upper limb and quality of life after sentinel lymph node biopsy of breast cancer. Rev Bras Fisioter. 2011;15(2):146-153.

Gois MC, Furtado PR, Ribeiro SO, Lisboa LL, Viana ESR, Micussi MTABC. Amplitude de movimento e medida de independência functional em pacientes mastectomizadas com linfadenectomia axilar. Rev. Ciênc. Med. 2012;21(6):111-18.

Bregagnol RK, Dias AS. Alterações funcionais em mulheres submetidas a cirurgia de mama com linfadenectomia axilar total. Revista Brasileira de Cancerologia. 2010;56(1):25-33.

Thomas-Maclean RL, Hack TF, Kwan WB, Towers A, Miedema B, Tilley A. Arm morbidity and disability after breast cancer: new directions for care. Oncol Nurs Forum. 2008;35(1):65-71.

Boquiren VM, Hack TF, Roanne L, Towers A, Kwan WB, Tilley A. A longitudinal analysis of chronic arm morbidity following breast cancer surgery. Breast Cancer Research and Treatment. 2016;157(3):413-25.

Moraes A, Battaglini C, Schimidt LF, Rafael AD, Roussenq SC, Dias M et al. Treinamento de força e câncer de mama: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. 2014;9(49):664-73.




DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v18n3.11016

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.