Qualidade de vida em idosos ativos e sedentários

Renata Selvatici Borges Januário, Hélio Serassuelo Junior, Mateus Calabresi Liutti, Diogo Decker, Mário Molari

Resumo


Objetivo: Analisar a qualidade de vida de idosos participantes e não participantes de programas de exercícios e determinar os fatores que predizem essa participação. Métodos: A amostra foi composta por 102 idosos (média de idade 69,1 ± 6,7), sendo dividida em: grupo atividade física (GAT), constituída por idosos praticantes de exercícios a mais de seis meses e o controle (GC), composto por não praticantes de atividade física sistematizada nos últimos seis meses precedentes ao experimento. O instrumento SF-36, versão curta, foi utilizado para conhecer a percepção da qualidade de vida. As diferenças entre os dois grupos foram analisadas pelo teste Mann Whitney e, por regressão logística, estimaram-se a influência dos domínios do SF-36 e as variáveis socioculturais (p 0,05). Resultados: Observou-se que as pontuações obtidas pelo GC foram inferiores em praticamente todos os domínios do SF-36. Conclusão: Idosos participantes de programas de exercícios têm melhor percepção de qualidade de vida, principalmente quando analisados os componentes relacionados à capacidade funcional e aspectos sociais.

Palavras-chave


Exercício físico; Idoso; Qualidade de vida.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN da versão impressa: 1677-1028
ISSN da versão online: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br