Efeitos agudos da eletroestimulação no membro superior espástico e associação com variáveis respiratórias

Franciele Minuzzi Niederauer, Carla Roberta Nunes Polachini, Ana Lúcia Cervi Prado, Luis Ulisses Signori, Antônio Marcos Vargas da Silva

Resumo


Introdução: Eletroestimulação funcional (EEF) é um recurso valioso no tratamento de padrões espásticos. Objetivos: Avaliar o efeito agudo da EEF sobre variáveis físico-funcionais do membro superior espástico e a associação destas com variáveis respiratórias. Métodos: Dezenove pacientes receberam intervenção placebo (no limiar sensitivo) e EEF (f=30 Hz, largura de pulso= 0,3 ms, 30 min) no membro espástico (secundário a AVE) em dias diferentes. Antes das intervenções, foram avaliadas as atividades de vida diária pelo Índice de Barthel (IB), função pulmonar e força muscular respiratória. Antes e após as intervenções foram avaliadas função sensório-motora pela Escala de Fugl-Meyer (EFM) e amplitude de movimento. Resultados: A EEF aumentou a abdução e rotação interna de ombro, extensão de cotovelo e EFM. A pressão expiratória máxima se correlacionou com IB e flexão de ombro. Conclusões: A aplicação de EEF melhorou variáveis físico-funcionais do membro espástico, que estiveram associadas com a força muscular expiratória.

Palavras-chave


Acidente vascular encefálico; Espasticidade muscular; Estimulação elétrica; Membro superior.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v13n3.4526

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.