Treinamento muscular inspiratório melhora a força muscular respiratória e o pico de fluxo expiratório em idosas hipertensas

Andreia Durante, Alessandra Rodigheri, Carla Wouters Franco Rockenbach, Gilnei Lopes Pimentel, Camila Pereira Leguisamo, Leonardo Calegari

Resumo


Introdução: O processo de envelhecimento promove alterações no sistema cardiorrespiratório, aumentando a prevalência de hipertensão arterial e reduzindo a força da musculatura respiratória. Objetivos: Avaliar os efeitos de um programa de treinamento muscular inspiratório domiciliar (TMID) sobre a função pulmonar, força muscular respiratória e distância percorrida no teste de caminhada de 6 minutos (TC6min) em idosas hipertensas. Métodos: Dezesseis mulheres com diagnóstico de hipertensão arterial foram divididas em dois grupos. Oito participaram do grupo intervenção (GI) e foram submetidas ao TMID durante seis semanas, e as demais compuseram o grupo controle (GC). Resultados: Ao final do TMID, constatou-se aumento da PImáx, -47±13 cmH20 para -92±32 cmH20 (p<0,001), e PEmáx, 45±6 cmH20 para 84±24 cmH20 (p<0,001), do Pico de Fluxo Expiratório (PFE), 211,6±60 L/min para 248,8±58 L/min (p=0,004). Conclusões: O TMID realizado diariamente durante seis semanas proporciona melhora na força muscular respiratória e no pico de fluxo expiratório em idosas hipertensas.

Palavras-chave


Envelhecimento; Espirometria; Exercícios respiratórios; Hipertensão. Músculos respiratórios.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v13n3.4703

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.