Influência do tratamento do câncer na rotação pélvica avaliada por baropodometria

Iago Henrique Silva Malta, Ricardo da Silva Alves, Denise Hollanda Iunes, Adriano Prado Simão, Leonardo César Carvalho

Resumo


Introdução: O câncer tem sido um crescente problema de saúde pública no Brasil. Comumente, a pessoa com câncer pode apresentar diversas alterações posturais, como a rotação da pelve, ocasionadas pela doença e por efeitos adversos secundários às formas de tratamento. Objetivo: Analisar a influência do posicionamento rotacional da pelve de pessoas com câncer por meio da baropodometria. Métodos: Foram incluídos 45 indivíduos, divididos em: Grupo Quimioterapia e/ou Radioterapia (GQR), Grupo Câncer em Acompanhamento (GCA) e Grupo Controle sem Câncer (GCS). Todos os voluntários foram avaliados quanto ao posicionamento da pelve por meio da baropodometria. Resultados: Não foram encontradas alterações significativas no posicionamento rotacional da pelve nas comparações entre os grupos com câncer e grupo controle (p: 0,112; Poder: 0,838; f2: 1,121). Conclusão: Os resultados sugerem que o câncer e suas formas de tratamento não exerceram influência sobre a postura rotacional da pelve.

Palavras-chave


Neoplasias; Postura; Pelve; Reabilitação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v16n2.6983

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Conscientiae Saúde
ISSN da versão impressa: 1677-1028
ISSN da versão online: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br