Duas décadas da política nacional de educação ambiental: uma leitura sobre o panorama atual da realidade brasileira

José Fernando Vidal de Souza, Daiane Vieira Melo Costa

Resumo


A pesquisa objetiva averiguar a Política Nacional de Educação Ambiental prevista na Lei Federal nº 9.795/99, ao longo de duas décadas de sua promulgação. Para tanto, num primeiro momento, contextualiza-se o que se entende por educação ambiental, seus atores, princípios e sua importância para a preservação do meio ambiente. Em seguida, examinam-se os valores destinados à educação ambiental nas leis orçamentárias anuais da União. Utiliza-se do método hipotético-dedutivo para as considerações finais e o auxílio do método estatístico para a análise dos dados orçamentários, consultando-se material bibliográfico e a legislação. Ao final, demonstra-se que para a implantação de política pública nesta área é fundamental não apenas a destinação de recursos públicos, mas o planejamento público para o estímulo da educação ambiental como mudança de hábitos e comportamentos, o que não está acorrer como dita a legislação vigente, ensejando, assim a ideia originária de ecodesenvolvimento.


Palavras-chave


Política Nacional de Educação Ambiental; Educação Ambiental; Política Pública Ambiental

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 16. Nov. 2019.

BRASIL. Declaração de Brasília para a Educação Ambiental. Disponível em: http://www.mma.gov.br/informma/item/8069. Acesso em: 06. Nov. 2019.

BRASIL. Decreto nº 4.281, de 25 de junho de 2002. Regulamenta a Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999, que institui a Política Nacional de Educação Ambiental, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/D4281.htm. Acesso em: 10. Nov. 2019.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9795.htm. Acesso em: 10. Nov. 2019.

BRASIL. Portal do Ministério da Economia, Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Orçamentos Anuais. (2004-2020). Disponível em: http://www.planejamento.gov.br/assuntos/orcamento-1/orcamentos-anuais. Acesso em 23. Mar. 2020.

BRASIL. Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global. Disponível em: . Acesso em 20. Mar 2020.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Em direção ao mundo da vida: interdisciplinaridade e educação ambiental. Brasília: IPÊ: Instituto de Pesquisas Ecológicas, 1998.

COMISSÃO MUNDIAL SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Nosso futuro comum. 2. ed., Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1991.

DERANI, Cristiane. Direito Ambiental Econômico. São Paulo: Max Limonad, 1997.

DIAS, Genebaldo Freire. Educação Ambiental. Princípios e Práticas. São Paulo: Editora Gaia, 1991.

DURÃES, Cintya Maria Nishimura; FACHINI; Elaine Cristina Sotelo; RIBEIRO, Maria de Fátima. Desenvolvimento sustentável e tecnologia: análise à luz da teoria da complexidade. Meritum, Belo Horizonte – v. 14 – n. 2 – p. 858-878 – Jul./Dez. 2019. Disponível em: http://www.fumec.br/revistas/meritum/article/view/7061. Acesso em 24. Mar. 2020.

FIORILLO, Celso Antonio Pacheco. Curso de direito ambiental brasileiro. 14. ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

FREITAS, Juarez. Sustentabilidade Direito ao Futuro. 3. ed. Belo Horizonte: Fórum, 2016.

FREITAS, André Luis Castro de; FREITAS, Luciane Albernaz de Araujo. Retomando a educação ambiental crítica a partir dos pressupostos de Paulo Freire e Enrique Dussel. Horizontes, v. 38, n. 1 (2020), p. 1-16 Disponível em: https://revistahorizontes.usf.edu.br/horizontes/article/view/757. Acesso em: 27. Mar. 2020. DOI: https://doi.org/10.24933/horizontes.v38i1.757.

GARRARD, G. Ecocrítica. Brasília: Universidade de Brasília, 2006.

GASPI, Suelen; MAGALHÃES JÚNIOR, Carlos Aberto de Oliveira. Ensino híbrido e educação ambiental: uma intersecção possível. Revista Contexto & Educação, v.35, n. 110 (2020), p. 142-162. Disponível em: https://revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoeducacao/article/view/9234. Acesso em: 23. Mar. 2020. DOI: https://doi.org/10.21527/2179-1309.2020.110.142-162.

GRAU, Eros Roberto. A ordem econômica na Constituição de 1988. 17. ed. São Paulo: Malheiros Editores, 2015.

HOFSTETTER, Rita. Saberes constitutivos comuns para as profissões da formação e do ensino. In: Saberes em (trans)formação: tema central da formação de professores. HOFSTETTER, Rita; VALENTE, Wagner Rodrigues (org.). São Paulo: Livraria da Física, 2017.

MACHADO, Paulo Affonso Leme. Direito ambiental brasileiro. 23. ed. São Paulo: Malheiros Editores, 2015.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 8. ed. São Paulo: Cortez; Brasília-DF: UNESCO, 2003.

MONTIBELLER FILHO, Gilberto. Ecodesenvolvimento e Desenvolvimento Sustentável – conceitos e princípios. Textos de Economia (TEC). v. 4. n. 1 (1993), p. 131-142. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/economia/article/viewFile/6645/6263%3E. Acesso em: 24. Mar. 2020.

NALINI, José Renato. Ética ambiental. Campinas: Millennium Editora, 2001.

NÓVOA. Antonio. A escola e as mutações sociais. In: NÓVOA, Antonio (org.). Profissão Professor. 2. ed. Porto: Editora Porto, 2014.

OLIVEIRA, Chrizian Karoline; SAHEB, Daniele; RODRIGUES, Daniela Gureski. A Educação Ambiental e a Prática Pedagógica: um diálogo necessário. Educação, v. 45, 2020 – Jan./Dez - Publicação contínua, p. 1-26. Disponível em: . Acesso em: 25. Mar. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1984644433540.

PEZARINI, Agnaldo Ronie; MACIEL, Maria Delourdes. Educação Ambiental pelo viés da argumentação: o panorama e as possibilidades desta relação. REnCiMa -Revista de Ensino em Ciências e Matemática, Edição Especial, v. 11, n.2, p. 127-143, 2020. Disponível em: < http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/2711 > Acesso em: 25. Mar. 2020. DOI: https://doi.org/10.26843/rencima.v11i2.2558.

SACHS, Ignacy. Desenvolvimento includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Editora Garamond Ltda, 2008.

SACHS, Ignacy. Rumo à Ecossocioeconomia – Teoria e Prática. Paulo Freire Vieira (org.). São Paulo: Cortez. 2007.

SACHS, Ignacy. Desenvolvimento, um conceito transdisciplinar por excelência. Revista Tempo Brasileiro. n. 113, Rio de Janeiro, abr-jun., 2003, p. 13-20.

SACHS, Ignacy. Estratégias de transição para o século XXI. Desenvolvimento e meio ambiente. Tradução Magda Lopes. São Paulo: Studio Nobel, 1993.

SACHS, Ignacy. Ecodesenvolvimento - crescer sem destruir. Tradução. Eneida Araújo. São Paulo: Vértice, 1986.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. Tradução por Motta, Laura Teixeira. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

SORRENTINO, Marcos. Educação ambiental e pedagogia da complexidade. In: DOURADO, Juscelino; BELIZÁRIO, Fernanda, (org.). Reflexão e prática em educação ambiental: discutindo consumo e geração de resíduos. São Paulo: Oficina de Textos, 2012.

SOUZA, José Fernando Vidal de. Responsabilidade ambiental e a ocupação desordenada do solo: um olhar sobre os reservatórios da Região Bragantina. Santa Catarina: Revista Sequência, 2007.

SOUZA, José Fernando Vidal de. Água: fator de desenvolvimento e limitador de empreendimento. São Paulo: Modelo, 2011.

SOUZA, José Fernando Vidal de, MEZZAROBA, Orides. Desenvolvimento Sustentável: em busca de um conceito em tempo de globalização e sociedade de risco. Coleção Justiça, Empresa e Sustentabilidade.V.4. Curitiba: Clássica, 2013. Disponível em: . Acesso em: 6. Nov. 2019.

VEIGA, José Eli da. A desgovernança mundial da sustentabilidade. São Paulo: Editora 34, 2013.

TONSO, Sandro. Educadores ambientais: às vezes mais “educação”, às vezes mais “ambiental. In: DOURADO, Juscelino; BELIZÁRIO, Fernanda, (org.). Reflexão e prática em educação ambiental: discutindo consumo e geração de resíduos. São Paulo: Oficina de Textos, 2012.

YOSHIOKA, Caio César de Sousa; FRENEDOZO, Rita de Cássia. A educação ambiental para o desenvolvimento sustentável no novo currículo da cidade de São Paulo. REnCiMa - Revista de Ensino em Ciências e Matemática , Edição Especial, v. 11, n.2, p. 64-83, 2020. Disponível em: http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/2558 Acesso em: 25. Mar. 2020. DOI: https://doi.org/10.26843/rencima.v11i2.2558.




DOI: https://doi.org/10.5585/rtj.v9i1.10346

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Thesis Juris

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista Thesis Juris

e-ISSN: 2317-3580
http://revistartj.org.br

Revista Thesis Juris ©2020 Todos os direitos reservados.