O “pós-positivismo” como um conceito erguido sobre compreensões reducionistas acerca do positivismo jurídico

Lúcio Grassi de Gouveia, Plínio Pacheco Clementino de Oliveira

Resumo


O presente artigo pretende responder à seguinte pergunta: o uso da expressão pós-positivismo envolve, ordinariamente, uma caracterização reducionista e equivocada do positivismo jurídico? Veremos que sim e que o positivismo não foi superado, mas transformado por desenvolvimentos que o tornaram um campo teórico que não é o mesmo da primeira metade do século XX. Justifica-se a presente pesquisa diante necessidade de efetuar um aprofundamento desse tema de grande complexidade e de promover esse intercâmbio de conhecimentos.  A cientificidade da pesquisa está diretamente relacionada à determinação dos métodos de estudo. Tendo em vista seu caráter teórico, será utilizado material preponderantemente bibliográfico, com ampla pesquisa em monografias, teses e artigos científicos, de forma a coletarmos as informações mais relevantes acerca do tema suscitado.

 


Palavras-chave


Pós-positivismo; Concepção reducionista; Positivismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/rtj.v8i1.493

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Thesis Juris

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Revista Thesis Juris
ISSN da versão eletronica: 2317-3580
http://revistartj.org.br