A teoria da justiça revisitada pela teoria da injustiça: democracia e direito para se falar em justiça hoje

Gabriela Samrsla Moller, Paulo Junior Trindade dos Santos, Cristhian Magnus De Marco

Resumo


As filosofias sobre a justiça preocupam-se em descrever os contornos de uma sociedade justa e os  caminhos para alcançá-la, desconsiderando os complexos contextos sociais. Em contraponto, o objetivo da pesquisa é apresentar uma “teoria das injustiças”, priorizando elementos desconsiderados pelas tradicionais filosofias da justiça, no sentido de evidenciar disparidades defendidas em nome da tradicional visão sobre justiça, como a pobreza multidimensional. As injustiças devem ser objeto de constante debate público, para que possam vir à tona, o que justifica por que grupos desconsiderem injustiças e diminuam o caráter participativo da democracia. O direito é discurso capaz de dar voz aos injustiçados, atentando-se à realidade histórico-concreta. A hipótese é a de que uma teoria da injustiça é capaz de delinear as misérias da sociedade, de forma a se definir prioridades políticas. A metodologia utilizada é desconstrutivista.


Palavras-chave


Teoria da Justiça. Teoria da Injustiça. Pobreza Multidimensional. Desigualdades. Direitos.

Texto completo:

pdf

Referências


ABRAMOVICH, Victor; COURTIS, Christian. Los derechos sociales como derechos exigibles. Madrid: Editorial Trotta, 2002.

BOBBIO, Norberto. Igualdade e Liberdade. Ediouro: Rio de Janeiro, 1996.

BOURGUIGNON, François. La Globalización de la Desigualdad. Ciudad de México: Fondo de cultura económica, 2017.

DUBET, François. La préférence pour l’inégalité. Comprendre la crise des solidarités. Paris: Seuil, 2014.

DUBET, François. Repensar la justicia social. Buenos Aires: Siglo XXI Editores, 2011.

FERRAJOLI, Luigi. Constitucionalismo más allá del Estado. Madrid: Editorial Trotta, 2018.

FRASER, Nancy. Reenquadrando a justiça em um mundo globalizado. Lua Nova, São Paulo,2009, n.º 77, pp.11-39.

FURTADO, Celso. O Mito do Desenvolvimento Econômico. 3ª Edição. São Paulo: Paz e terra, 2000.

GARGARELLA, Roberto. As teorias da justiça depois de Rawls. Um breve manual de filosofia política. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

HESPANHA, António Manuel. O Caleidoscópio do Direito. O direito e a justiça nos dias e no mundo de hoje. Coimbra: Almedina, 2009.

KLIKSBERG, Bernardo. Desigualdade na América Latina. O debate adiado. São Paulo: Cortez, 1999.

KLIKSBERG, Bernardo; SEN, Amartya. Primero la gente. Una mirada desde la ética del desarrollo a los principales problemas del mundo desarrollado. Barcelona: Deusto, 2007.

MOTA, Camilla Veras. Brasil é o segundo pior em mobilidade em ranking de 30 países. BBC Brasil, São Paulo, 15/06/2019. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-44489766. Acessado em 08/08/2019.

NERI, Marcelo C. A Escalada da Desigualdade – Qual foi o impacto da crise sobre a distribuição de renda e pobreza? Rio de Janeiro: FGV Social, Agosto de 2019. Disponível em: https://cps.fgv.br/desigualdade. Acessado em: 26/08/2019.

OXFAM. Brasil dá vexame em pesquisa sobre mobilidade social no mundo. Disponível em: https://www.oxfam.org.br/noticias/brasil-da-vexame-em-pesquisa-sobre-mobilidade-social-no-mundo . Acessado em 08/08/2019.

PERELMAN, Chaim. De la Justicia. México: Centro de Estudios Filosóficos UNAM, 1964.

PIKETTY, Thomas. O Capital no século XXI. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014.

PISARELLO, Gerardo. Los derechos sociales y sus garantías. Elementos para una reconstrucción. Madrid: Editorial Trotta, 2007.

RANCIÈRE, Jacques. El odio a la democracia. Tradução Eduardo Pellejero. Morelia:

Jitanjáfora, 2007.

RANCIÈRE, Jacques. O Desentendimento Político e a Filosofia. São Paulo: Editora 34, 1996.

RAVALLION, Martin. The Economics of Poverty. History, Measurement, and Policy. New York: Oxford University Press, 2016.

ROSANVALLON, Pierre. La Contrademocracia. La politica en la era de la desconfianza.

Buenos Aires: Manantial, 2006.

ROSANVALLON, Pierre. La sociedad de los iguales. Madrid: Rba, 2011.

ROUSSEAU, Dominique. Radicalizar a democracia. Proposições para uma refundação. São Leopoldo: Unisinos, 2019.

SACHS, Jeffrey D. O fim da pobreza. Como acabar com a miséria mundial nos próximos 20 anos. São Paulo: Companhia das letras, 2005.

SANDEL, Michael. El liberalismo y los límites de la justicia. Barcelona: Gedisa, 2000.

SEN, Amartya. A ideia de justiça. São Paulo: Companhia das Letras, 2011a.

SEN, Amartya. Capacidad y bienestar. In: SEN, Amartya; NUSSBAUM, Martha C. (org). La Calidad de vida. México: Fondo de Cultura Económica, 2004.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como Liberdade. São Paulo: Companhia de Bolso, 2010.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SEN, Amartya. El valor de la democracia. Barcelona: El viejo topo, 2006.

SEN, Amartya. Response. In: GOTOH, Reiko; DUMOUCHEL, Paul (org.). Agains Injustice. The New Economics of Amartya Sen. Cambridge: Cambridge University Press, 2011b.

SEÑA, Jorge Malem. Pobreza, corrupción, (in)seguridad jurídica. Madrid: Marcial Pons, 2017.

SHKLAR, Judith. Los rostros de la injusticia. Barcelona: Herder, 2013.

SILVA, Camila da. Quando nem bolsa integral basta para a faculdade: ‘Será que vou sobreviver?’. BBC Brasil, 08/08/2019. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-49273096. Acessado em 08/08/2019.

STIGLITZ, Joseph E. El precio de la desigualdad. El 1% de la población tiene lo que el 99% necesita. Barcelona: Taurus, 2012.

SUPIOT, Alain. La pobreza bajo el prisma del derecho. Universitas, n.º 20, 2014, pp.78-87.

TOURRAINE, Alain. Democracia: una idea nueva. Mexico: Fondo de Cultura Económica, 2001.

VILLEY, Michel. Filosofia do direito. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

WORLD BANK GROUP. Gini indicator. Disponível em: https://data.worldbank.org/indicator/si.pov.gini?end=2017&start=2017&view=bar . Acessado em: 08/08/2019.

YOUNG, Iris Marion. Responsabilidad por la justicia. Madrid: Morata, 2011.




DOI: https://doi.org/10.5585/rtj.v8i2.14832

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Thesis Juris

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista Thesis Juris

e-ISSN: 2317-3580
http://revistartj.org.br

Revista Thesis Juris ©2020 Todos os direitos reservados.