Comparação do efeito da terapia laser de baixa potência e irradiação ultra-sônica pulsada de baixa intensidade in vitro

Deise A. A. Pires Oliveira, Rodrigo Franco de Oliveira, Cristina Pacheco Soares

Resumo


Vários métodos, como laser e ultra-som, são utilizados para processos de cicatrização e reparo tecidual. O objetivo foi comparar o efeito da terapia a laser e ultra-som em cultura celular de fibroblastos. As culturas irradiadas com laser foram divididas em três grupos: I- controle; II- 6 J/cm2, e III- 50 mJ/cm2, as irradiadas com ultra-som, divididas em cinco grupos: 1- controle; 2- 0,2 W/cm2, no modo pulsado a 10% (1:9 ciclo); 3- 0,6 W/cm2, a 10% (1:9 ciclo); 4- 0,2 W/cm2, a 20% (2:8 ciclo), e 5- 0,6 W/cm2, a 20% (2 : 8 ciclo). Cada grupo foi irradiado com intervalos de 24 horas de incubação pós-irradiação (24, 48 e 72 horas). Depois de cada irradiação, as culturas foram analisadas por meio do teste de citotoxicidade MTT. A análise dos resultados demonstrou que o efeito do laser em cultura celular foi maior que o ultra-som (p < 0,05). Concluiu-se que o laser aumentou significativamente a atividade fibroblástica em relação ao ultra-som. Assim, na primeira e segunda fases da reparação tecidual, o tratamento a laser pode ser mais eficaz que com ultra-som.

Palavras-chave


Cultura celular; Fibroblasto; Laser; Reparação; Ultra-som.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v7i4.1372

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2008 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.