Prevalência de sinais sugestivos de litíase urinária em trabalhadores do serviço de teleatendimento

Pâmela Thais de Souza, Rogério Barbosa de Deus, William Malagutti, Renata Nunes da Silva, Francisco Sandro Menezes Rodrigues, Renato Ribeiro Nogueira Ferraz

Resumo


Introdução: Funcionários de serviços de teleatendimento ficam por até 6 horas sentados, com acesso difícil à água e com pausas pré-determinadas para urinar. Objetivos: Quantificar a existência de sinais sugestivos de litíase poderia fornecer indícios de uma maior predisposição à calculose nesse grupo de trabalhadores. Método: Sexo, idade, peso, altura, etnia, cheiro e coloração da urina, presença de espumúria, histórico regresso de cólica renal e nível de ingestão hídrica foram obtidos através de questionário fechado. Resultados: Dos 66 avaliados (25M/41F, 26±7 anos), 12 (18%) eram litiásicos. Observou-se elevado Índice de Massa Corpórea (IMC) em 50% dos litiásicos e reduzida ingestão hídrica também em 50%. Conclusão: A prevalência de litíase nesta amostra populacional está acima da prevalência mundial, provavelmente associada a elevado IMC e baixa ingestão hídrica. Programas de incentivo à redução do IMC e aumento da ingestão hídrica devem ser elaborados com o intuito de reduzir a incidência de episódios calculosos nesse grupo específico de trabalhadores.

Palavras-chave


prevalência, teleatendimento, litíase urinária, volume urinário, IMC.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v8i4.2051

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2009 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.