Atuação da fisioterapia nas emergências neurológicas na Unidade de Urgência e Emergência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/22.2023.23445

Palavras-chave:

Pronto-Socorro, Fisioterapia, Neurologia, Acidente Vascular Encefálico

Resumo

Introdução: O Pronto Socorro é destinado a prestar assistência cujos agravos à saúde necessitam de atendimento imediato. Uma estratégia para atender as demandas desse serviço é a formação de equipes interdisciplinares.
Objetivos: Analisar a atuação fisioterapêutica nos pacientes com emergências neurológicas internados, identificar os recursos fisioterapêuticos utilizados e associar com o desfecho clínico do paciente.
Métodos: Estudo retrospectivo observacional descritivo. A coleta de dados foi realizada por meio de análises dos prontuários fisioterapêuticos.
Resultados: O diagnóstico clínico mais prevalente foi de Acidente Vascular Encefálico isquêmico. As principais intervenções realizadas foram mobilização passiva e alongamentos. A comparação de proporções entre mobilização precoce e desfecho foi significante, assim como entre desfecho e extubação.
Conclusões: A atuação do fisioterapeuta no Pronto Socorro é ampla, sendo realizada por meio de diversos recursos, principalmente mobilização precoce e manejo ventilatório, levando ao favorecimento do desfecho clínico do paciente. Contudo, mais pesquisas nessa área são necessárias.

CROSSMARK_Color_horizontal.svg

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Aniceto França, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

 Fisioterapeuta Residente do eixo Saúde do Adulto da Residência Integrada Multiprofissional em Saúde da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

 

Mayara Simões, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Fisioterapeuta da Unidade de Terapia Intensiva Adulto e Coronariana e do Pronto Socorro Adulto do Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Isabel Aparecida Porcatti de Walsh, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Professora Associada no Departamento de Fisioterapia Aplicada e do Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM).
Tutora da Residência Integrada Multiprofissional em Saúde UFTM.

Sérgio Antônio Zullo, Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Analista administrativo da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) na filial do Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM).

Luciana Duarte Novais Silva, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Professora Associada no Departamento de Fisioterapia Aplicada da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). Tutora da Residência Integrada Multiprofissional em Saúde UFTM.

Raquel Annoni, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Professora Adjunta no Departamento de Fisioterapia Aplicada da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). Tutora da Residência Integrada Multiprofissional em Saúde

Vitoria Helena Maciel Coelho, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Professora Associada no Departamento de Fisioterapia Aplicada da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). 

Tutora da Residência Integrada Multiprofissional em Saúde
UFTM.

Marilita Falangola Accioly, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Professora Associada no Departamento de Fisioterapia Aplicada da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). Tutora da Residência Integrada Multiprofissional em Saúde UFTM.

Referências

Ministério da Saúde. Terminologia básica em saúde [Internet]. 2 ed. Centro de Documentação do Ministério da Saúde, 1985 [acesso em 18 de set de 2020]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/0112terminologia1.pdf.

Unidade de Urgência e Emergência [Internet]. Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro [acesso em 18 de set de 2020]. Disponível em: http://www2.ebserh.gov.br/web/hc-uftm/pronto-socorro

Cassarino M, Robinson K, Quinn R, Naddy B, O'Regan A, Ryan D, et al. Effectiveness of early assessment and intervention by interdisciplinary teams including health and social care professionals in the emergency department: protocol for a systematic review. BMJ open, 2018 Jul 16;8(7):e023464. https://doi.org/10.1136/bmjopen-2018-023464

Silva CCM, Santos IM. A importância da fisioterapia no setor de urgência e emergência: uma revisão de literatura. Brazilian Journal of Development [Internet]. 2019 Oct 8;5(10):18335–43. https://doi.org/10.34117/bjdv5n10-092

Resolução n°501 de 26 de dezembro de 2018 – Reconhece a atuação do Fisioterapeuta na assistência à Saúde nas Unidades de Emergência e Urgência [Internet]. Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional – COFFITO [acesso em 18 de set de 2020]. Disponível em: https://www.coffito.gov.br/nsite/?p=10570.

Mastroantonio EM, Moraes Junior SL. O Fisioterapeuta como Membro da Equipe Multidisciplinar no Pronto Socorro. Journal of Health Sciences. 2018 Mar;20(1):34. https://doi.org/10.17921/2447-8938.2018v20n1p34-39

Boulanger J, Lindsay M, Gubitz G, Smith E, Stotts G, Foley N, et al. Canadian Stroke Best Practice Recommendations for Acute Stroke Management: Prehospital, Emergency Department, and Acute Inpatient Stroke Car. International Journal of Stroke. 2018 Jul 18;13(9):949–84. https://doi: 10.1177/1747493018786616.

Roth GA, Mensah GA, Johnson CO, Addolorato G, Ammirati E, Baddour LM, et al. Global Burden of Cardiovascular Diseases and Risk Factors, 1990-2019: Update From the GBD 2019 Study. Journal of the American College of Cardiology. 2020 Dec 22;76(25):2982–302. https://doi: 10.1016/j.jacc.2020.11.010.

Lobo PGGA, Zanon VB, Lara D, Freire VB, Freire CA, Andrade JVB et al. Epidemiologia do acidente vascular cerebral isquêmico no Brasil no ano de 2019, uma análise sob a perspectiva da faixa etária. Brazilian Journal of Health Review. 2021 Fev;4(1):3498-505. https://doi:10.34119/bjhrv4n1-272

Robba C, Poole D, McNett M, Asehnoune K, Bösel J, Bruder N, et al. Mechanical ventilation in patients with acute brain injury: recommendations of the European Society of Intensive Care Medicine consensus. Intensive Care Medicine. 2020 Nov 11;46(12):2397–410. https://doi:10.1007/s00134-020-06283-0.

Einstad MS, Saltvedt I, Lydersen S, Ursin MH, Munthe-Kaas R, Ihle-Hansen H, et al. Associations between post-stroke motor and cognitive function: a cross-sectional study. BMC Geriatrics. 2021 Feb 5;21(1). https://doi:10.1186/s12877-021-02055-7

Ferreira GE, Traeger AC, Maher CG. Review article: A scoping review of physiotherapists in the adult emergency department. Emerg Med Australas. 2019 Feb;31(1):43-57. https://doi.org /10.1111/1742-6723.12987

Lotz RC, Welter CS, Ramos SA, Ferreira LE, Cabral NL, França PHC. ABO blood group system and occurrence of ischemic stroke. Arquivos de Neuro-Psiquiatria. 2021 Dec;79(12):1070–5. https://doi.org/10.1590/0004-282X-ANP-2020-0219

Souza CDF de, Oliveira DJ de, Silva LF da, Santos CD dos, Pereira MC, Paiva JPS de, et al. Tendência da Mortalidade por Doenças Cerebrovasculares no Brasil (1996-2015) e Associação com Desenvolvimento Humano e Vulnerabilidade Social. Arq Bras Cardiol [Internet]. 2021 Jan;116(1):89–99. https://doi.org/10.36660/abc.20190532

Morais JA de, Almeida IT, Perdigão FSO, Silva FAR de, Fagundes RR, Prudente COM. Melhora da independência funcional após internação para reabilitação de pacientes com sequela de Acidente Vascular Cerebral. Revista Neurociências. 2022 Jan 25; 30:1–20. https://doi.org/10.34024/rnc.2022. v30.12363

Carneiro VSM, Ajuto RNP, Alves KAP. Saúde do homem: identificação e análise dos fatores relacionados à procura, ou não, dos serviços de atenção primária. Arq. Ciênc. Saúde Unipar. 2019 Fev; 23(1). https://doi.org/10.25110/arqsaude.v23i1.2019.6521

Battaglini D, Gieroba DS, Brunetti I, Patroniti N, Bonatti G, Rocco PRM, et al. Mechanical ventilation in neurocritical care setting: A clinical approach. Best Pract Res Clin Anaesthesiol. 2021 Jul;35(2):207-220. https://doi.org/10.1016/j.bpa.2020.09.001

Piccoli A, Werle RW, Kutchak F, Rieder MM. Indicações para inserção do profissional fisioterapeuta em uma unidade de emergência. Assobrafir Cienc. 2013 Abr;4(1):33-41. https://doi.org/10.47066/2177-9333/ac.1341222.

Aletreby WT, Brindley PG, Balshi AN, Huwait BM, Alharthy AM, Madi AF, et al. Retardo na transferência do pronto-socorro para a unidade de terapia intensiva: impacto nos desfechos do paciente. Um estudo retrospectivo. Rev Bras Ter Intensiva. 2021 Jan;33(1):125–37. https://doi.org/10.5935/0103-507X.20210014

Santos FRQ, Machado MN, Lobo SMA. Resultados adversos de admissões tardias à unidade de terapia intensiva a partir do pronto-socorro. Rev Bras Ter Intensiva. 2020 Jan;32(1):92-98. https://doi.org/10.5935/0103-507X.20200014

Xu T, Yu X, Ou S, Liu X, Yuan J, Chen Y. Efficacy and Safety of Very Early Mobilization in Patients with Acute Stroke: A Systematic Review and Meta-analysis. Sci Rep. 2017 Jul 26;7(1):6550. https://doi.org/10.1038/s41598-017-06871-z.

Zang K, Chen B, Wang M, Chen D, Hui L, Guo S, Ji T, Shang F. The effect of early mobilization in critically ill patients: A meta-analysis. Nurs Crit Care. 2020 Nov;25(6):360-367. https://doi.org/10.1111/nicc.12455.

Teasell R, Salbach NM, Foley N, Mountain A, Cameron JI, Jong A, et al. Canadian Stroke Best Practice Recommendations: Rehabilitation, Recovery, and Community Participation following Stroke. Part One: Rehabilitation and Recovery Following Stroke; 6th Edition Update 2019. Int J Stroke. 2020 Oct;15(7):763-788. https://doi:10.1177/1747493019897843

Matilde INE, Eid RAC, Nunes AF, Ambrozin ARP, Moura RH, Carnieli-Cazati D, et al. Bronchial hygiene techniques in patients on mechanical ventilation: what are used and why? Einstein (São Paulo) [Internet]. 2018;16(1):eAO3856. https://doi.org/10.1590/S1679-45082018AO3856

Cinotti R, Pelosi P, Schultz MJ, Aikaterini I, Alvarez P, Badenes R et al. Extubation strategies in neuro-intensive care unit patients and associations with outcomes: the ENIO multicentre international observational study. Ann Transl Med. 2020 Apr;8(7):503. https://doi.org/10.21037/atm.2020.03.160

Premraj L, Camarda C, White N, Godoy DA, Cuthbertson BH, Rocco PRM, et al. Tracheostomy timing and outcome in critically ill patients with stroke: a meta-analysis and meta-regression. Crit Care. 2023 Apr 1;27(1):132. https://doi:10.1186/s13054-023-04417-6

Shen Y, Cao Q, Zhuo H, Hu M, Chen S. Early Versus Late Tracheostomy in Stroke Patients: A Retrospective Analysis. Neuropsychiatr Dis Treat. 2022 Nov 17;18:2713-2723. https://doi: 10.2147/NDT.S388062.

Paz LP, Melo NM de, Picharsky CC, Motter AA. Papel do fisioterapeuta em unidade de pronto atendimento. Braz. J. Hea. Rev. 2019 Aug; 2(4):3762-73. https://doi.org/10.34119/bjhrv2n4-137

Todt SC, Palmeira IP, Dantas LRCF, Lyra CAM, Figueiredo MBG de A, Jesus CVF de, Lima SO. Instrumento para avaliação da qualidade de prontuários de admissão em unidades de urgência e emergência. REAS. 2020 Ago 12(11):e4071. https://doi.org/10.25248/reas.e4071.2020

Downloads

Publicado

20.10.2023

Como Citar

1.
França RA, Simões M, Walsh IAP de, Zullo SA, Silva LDN, Annoni R, et al. Atuação da fisioterapia nas emergências neurológicas na Unidade de Urgência e Emergência. Cons. Saúde [Internet]. 20º de outubro de 2023 [citado 25º de junho de 2024];22(1):e23445. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/saude/article/view/23445

Edição

Seção

Artigos