Influência da superfície instável no padrão da marcha de pacientes com doença de Parkinson

Gabriela Dias Silva, Sandra Maria Sbeghen Ferreira de Freitas, Ana Maria Agulhon, Ludmila Costa Toni de Oliveira Silva, Leia Bernardi Bagesteiro, Sandra Regina Alouche

Resumo


Introdução: Pacientes com a doença de Parkinson (DP) apresentam alterações no controle postural e na marcha. No entanto, as adaptações na marcha desses sujeitos devido às condições do ambiente (i.e., superfícies instáveis) não são muito conhecidas. Objetivo: Analisar o padrão cinemático da marcha de pacientes com DP quando andando no solo instável. Método: Os ângulos articulares do quadril, joelho e tornozelo no plano sagital foram comparados em três condições: no solo estável, no instável e retorno ao estável, além disso, a velocidade e o comprimento da passada também foram analisados. Resultados: Os participantes aumentaram as amplitudes de tornozelo, joelho e quadril e reduziram a velocidade da marcha, quando andando no solo instável. Conclusão: Pacientes com DP reduzem a velocidade e aumentam as amplitudes de movimento dos membros inferiores durante a marcha em superfície instável. Após essa exposição, houve um aumento do comprimento da passada no solo estável.

Palavras-chave


Ambiente; Cinemática; Doença de Parkinson; Marcha.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v10i2.2496

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2011 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.