Efeito da estimulação elétrica neuromuscular em pacientes com acidente vascular encefálico

Ariela Torres Cruz, Priscila de Oliveira Januário, Geiziane Campbell Martins, Lauro Boechat Batista, Alderico Rodrigues de Paula Júnior, Paulo Roberto Garcia Lucareli, Mário Oliveira Lima

Resumo


Introdução: A espasticidade é uma das complicações do acidente vascular encefálico, podendo causar contraturas, rigidez, luxações, dor e deformidade, diminuindo a independência. A estimulação elétrica neuromuscular é um dos recursos fisioterápicos utilizados para tratamento da espasticidade. Objetivos: Analisar os efeitos da estimulação elétrica neuromuscular em relação à amplitude dos movimentos de flexão e extensão de punho de pacientes crônicos com sequela de acidente vascular encefálico. Métodos: Participaram deste estudo 20 pacientes que foram submetidos a 16 atendimentos, sendo avaliados antes, depois e um mês após a alta do tratamento. Resultados: Observou-se um aumento da amplitude de movimento de extensão de punho (p=0,0100) com manutenção, após a alta do tratamento (p=0,1978). Conclusão: O tratamento mostrou-se eficaz para o ganho de amplitude de movimento de extensão de punho para a população estudada.

Palavras-chave


Acidente vascular encefálico; Estimulação elétrica; Espasticidade muscular; Goniometria articular; Hemiparesia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v10i4.2782

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2011 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.