Treinamento físico militar modifica parâmetros antropométricos e funcionais

Brunno Lemes, Stella S. Vieira, José Antônio Silva Jr., Paulo de Tarso Camillo de Carvalho, Wellington Oliveira Costa, Danilo Sales Bocalini, Andrey Jorge Serra

Resumo


Introdução: O treinamento físico militar (TFM) é utilizado em muitos países. Todavia, há achados discordantes sobre seus efeitos na biometria corporal e aptidão funcional. Assim, estudos novos são necessários para validá-lo. Objetivo: Analisar os efeitos de 21 semanas de TFM adotado pela Polícia Militar de São Paulo na composição corporal, resistência muscular localizada, potência de corrida anaeróbia e aeróbia. Métodos: O TFM foi conduzido em 88 homens por 21 semanas (2xsemana; 120 min/sessão). Avaliações foram conduzidas antes e ao final do treinamento. Resultados: Houve redução significativa da massa corporal e da plicatura tricipital, após treino. Verificou-se aumento de 34%, 16% e 13% no desempenho no teste de barra fixa, flexão abdominal e VO2máx, respectivamente, também observou-se redução de 20% na frequência cardíaca de repouso. Conclusão: O TFM modificou positivamente a composição corporal e induziu expressivo aumento da resistência muscular localizada e aptidão aeróbia.

Palavras-chave


Aptidão física; Composição corporal; Militares; Treinamento.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v13n1.4744

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.