Eletromiografia do reto femoral e gastrocnêmio durante vibração de todo corpo e agachamento com e sem plantiflexão

Alexandre Carvalho Barbosa, Fernanda Coelho Pereira, Amanda Roberta Gonçalves, Fábio Luiz Mendonça Martins, Débora Fernandes de Melo Vitorino, Michelle Cristina Sales Almeida Barbosa

Resumo


Objetivo: Comparar a atividade eletromiográfica do reto femoral (RF) e gastrocnêmio medial (GM), submetidos à vibração corporal (VTC), ausência de VTC e plantiflexão de 25o, separada ou conjuntamente. Métodos: Dez voluntários foram submetidos ao agachamento: sem VTC (S1), sem VTC e com plantiflexão (S2), com VTC (S3), com VTC e plantiflexão (S4), monitorados por eletromiografia. O teste Kruskall Wallis foi usado para localizar diferenças, e o coeficiente Spearman, para correlações entre dados (p<0,05). Resultados: Ocorreram diferenças entre S1 e S2, S1 e S4, para RF; e entre S4 e as demais situações, para GM. Correlações para RF entre S1 e S2, S2 e S3, S2 e S4, S3 e S4 foram notadas. Para GM não foram encontradas correlações significativas, exceto em S2. Conclusão: A VTC com plantiflexão aumenta a atividade mioelétrica do RF e GM, podendo ser utilizada terapeuticamente nos parâmetros estudados (40 Hz – 2 mm).

Palavras-chave


Articulação do tornozelo; Exercício; Reabilitação; Vibração.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v13n2.4762

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.