A utilização de método contraceptivo de barreira na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis em um município de São Paulo

Andrea Mayumi Loureiro Hayashi, Josefa Pio dos Santos, Valnice de Oliveira Nogueira

Resumo


Neste estudo, procurou-se identificar, em uma Unidade Básica de Saúde, o perfil da população que participa do Planejamento Familiar e relacionar a utilização dos métodos contraceptivos de barreira na prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs). Para isso, realizouse uma pesquisa de campo exploratória, no município de Guarulhos (SP), sobre a utilização desses métodos, aplicando- se um questionário a 22 participantes de um grupo de planejamento familiar. Com relação à amostra, 96% eram do sexo feminino, 37% estavam na faixa etária de 21 a 30 anos e 51 % não tinham concluído o ensino fundamental. A pesquisa revelou também que 60% dos entrevistados não utilizavam método de contracepção de barreira (preservativos) para a prevenção de DSTs. As principais razões da não-utilização desse método foram a fidelidade ao parceiro e o descaso com a prevenção de DSTs, observando-se maior preocupação com a contracepção e não com a prática do sexo seguro. Concluiu-se que ainda há muita falta de informação e de orientação a respeito da conjugação entre contracepção e sexo seguro e que existe a necessidade de criar estratégias para reverter esse quadro.

Palavras-chave


Doenças sexualmente transmissíveis. Enfermagem. Prevenção primária.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v6i1.917

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2007 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.