Turismo de futebol: uma revisão sistemática da literatura

João Victor Hortencio

Resumo


Objetivo do estudo: investigar a produção científica sobre a literatura de turismo de futebol, desenvolvendo um panorama sobre as pesquisas acadêmicas relacionadas à temática.
Metodologia/abordagem: revisão sistemática da literatura, de abordagem qualitativa e natureza exploratória-descritiva. Posto isso, após a pesquisa em três bases de dados, selecionaram-se 16 artigos publicados entre os anos de 2015 e 2020.
Originalidade/Relevância: apesar do turismo de futebol ter ganhado notoriedade nos últimos anos, tanto no âmbito das publicações científicas quanto no aumento das viagens motivadas pelo interesse futebolístico, a análise dos avanços teóricos e metodológicos surge como inédito e indispensável.
Principais resultados: observou-se que estes estudos buscam analisar o perfil e comportamento dos visitantes, as significações e motivações dos deslocamentos, os serviços ofertados pelos tours, os impactos decorrentes dos megaeventos esportivos e da Covid-19. No que diz respeito à metodologia, constatou-se um equilíbrio entre abordagens qualitativas e quantitativas, e um menor percentual (12,5%) de pesquisas com métodos mistos. Dessa forma, como destaque dos estudos qualitativos, citam-se as pesquisas de base etnográficas na área do turismo de futebol. Enquanto nas abordagens quantitativas, percebe-se uma inovação no modo de analisar os dados, com o uso dos métodos de Monte Carlo, da regressão quantílica incondicional, da análise fatorial confirmatória e da matriz de contabilidade social.
Contribuições teóricas/metodológicas: a partir de uma análise das contribuições teóricas e metodológicas desses artigos, elaborou-se uma síntese para relatar como tais estudos abordam o deslocamento dos torcedores e a atratividade turística dos estádios, além dos procedimentos metodológicos aplicados nas pesquisas.


Palavras-chave


Turismo futebolístico; estádio; torcedor; revisão sistemática; turismo esportivo.

Texto completo:

PDF

Referências


Amador, L., Campoy-Muñoz, P., Cardenete, M. A., & Delgado, M. C. (2017). Economic impact assessment of small-scale sporting events using Social Accounting Matrices: an application to the Spanish Football League. Journal of Policy Research in Tourism, Leisure and Events, 9(3), 230-246. https://doi.org/10.1080/19407963.2016.1269114.

Bauer, M. W., & Gaskell, G. (2017). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Editora Vozes Limitada.

Beck, D. & Storopoli, J. (2021). Cities through the lens of Stakeholder Theory: a literature review. Cities, 118, 103377. https://doi.org/10.1016/j.cities.2021.103377.

Beni, M. C. (2001). Análise estrutural do turismo (5ª ed.). São Paulo: SENAC.

Bezerra, M. F., Curvello, P. H., & Zouain, D. M. (2019). Turismo esportivo de experiência em museus e tours em estádios de futebol. Caderno Virtual de Turismo, 19(3). https://doi.org/10.18472/cvt.19n3.2019.1516.

Cardoso, G. de L., Bezerra, M. F., Zouain, D., & Lohmann, P. B. (2018). A oferta de ferramentas web 2.0 em sites de clubes e estádios de futebol com visitação. Cultur, 12(1), 118–147. https://periodicos.uesc.br/index.php/cultur/article/view/2019.

Carvalhedo, A. (2003). Tourism as a cultural legacy of the Olympic Games 1984-2000. The legacy of the Olympic Games, 195-204.

Carvalho, P. G. De & Lourenço, R. (2008). Turismo de prática desportiva: um segmento do mercado do turismo desportivo. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 9(2), 122-132. https://doi.org/10.5628/rpcd.09.02S1.122.

César, F. S., Mazzei, L. C., Rocco Jr, A. J. & Oliveira, L. M. R. (2013). Sustentabilidade econômica em arenas e estádios: estudo sobre as instalações da Copa do Mundo de Futebol 2014. Revista Intercontinental de Gestão Desportiva, 3(1), 184-196.

Chimento, M. R. (2016). A retórica da perda e a questão do patrimônio no futebol padrão FIFA: o caso do maracanã. Geosaberes, 7(12), 104–118. https://doi.org/10.26895/geosaberes.v7i12.283.

Cho, H., Koh, E. C., & Lee, H.-W. (2019). Nostalgia, motivation, and intention for international football stadium tourism. Asia Pacific Journal of Tourism Research, 24(9), 912–923. https://doi.org/10.1080/10941665.2019.1653339.

Coutinho, R. S (2014). Um Flamengo grande, um brasil maior: o Clube de Regatas do Flamengo e a construção do imaginário político nacionalista popular (1933-1955) (1ª ed.). Rio de Janeiro: 7 letras.

De Paula, C. L., & Uvinha, R. R. (2016). FIFA World Cup 2014 in Sao Paulo and your heritage: stadium Corinthians as equipment of leisure. Pasos-Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, 14(5), 1241–1251. https://doi.org/10.25145/j.pasos.2016.14.083.

Erdogru, B. B. & Yazici, H. N. T. (2013). Advantages af football tourism within Framework of Sustainable Tourism (model study, a Mediterranean City, Antalya). International Journal of Trade, Economics and Finance, 4 (6), 372-375. https://doi.org/10.7763/IJTEF.2013.V4.319.

Ferreira, B. R. T., & Leão, A. L. M. de S. (2016). Uma mudança em andamento: a troca de “casa” da torcida do Clube Náutico Capibaribe sob o olhar da casa e da rua de Roberto Damatta. Podium-Sport Leisure and Tourism review, 5(1), 61–77. https://doi.org/10.5585/podium.v5i1.135.

Ferreira, E. A. M., & Silva, L. P. da. (2019). O futebol e o “novo” Mineirão como atrações turísticas de Belo Horizonte-MG. Podium-Sport Leisure and Tourism review, 8(1), 57–80. https://doi.org/10.5585/podium.v8i1.279.

Ferreira, E. A. M., & Silva, L. P. da. (2017). Turismo futebolístico: perfil e motivações do torcedor viajante que frequenta o “novo” Mineirão. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 39(3), 268–275. https://doi.org/10.1016/j.rbce.2017.02.014.

Flecha, A. C., & Pontello, M. L. (2015). Comportamento do Torcedor do Futebol. Podium-Sport Leisure and Tourism review, 4(2), 72–87. https://doi.org/10.5585/podium.v4i2.117.

Hall, C. M. (2001). Planejamento turístico: políticas, processos e relacionamentos. São Paulo: Contexto.

Karadag, T. F., & Karakuş, M. (2020). Investigation of Effect of Pandemic Process (Covid-19) on Football-Camp Tourism in Turkey. International Journal of Applied Exercise Physiology, 9(10), 268-274. https://doi.org/10.26655/IJAEP.2020.10.1.

Manas Viniegra, L. (2019). The international contribution of the Real Madrid brand to the city of Madrid (Spain) as a tourist destination for sporting events. Anuario Turismo y Sociedad, 24, 129–148. https://doi.org/10.18601/01207555.n24.06.

Mascarenhas, G. (2005). A mutante dimensão espacial do futebol: forma simbólica e identidade. Espaço e cultura, 0(19-20), 61-70. https://doi.org/10.12957/espacoecultura.2005.3492.

Mascarenhas, G. (2014). Cidade mercadoria, cidade-vitrine, cidade turística: a espetacularização do urbano nos megaeventos esportivos. Caderno Virtual de Turismo, 14(1), 52-65. http://www.ivt.coppe.ufrj.br/caderno/index.php/caderno/article/view/1021/406.

McManus, J. (2020). Football tourist trips: a new analytic for tourism studies. Annals of Tourism Research, 84. https://doi.org/10.1016/j.annals.2020.102985.

Moesch, M. (2013). O lugar da experiência e da razão na origem do conhecimento do turismo. Revista Cenário, 1(1), 8-28. https://doi.org/10.26512/revistacenario.v1i1.15206.

Nascimento, C., & Barreto, T. V. (2013). ‘Habitus’ dos torcedores brasileiros e adoção do ‘padrão Fifa’ nos estádios da Copa do Mundo de futebol 2014. Estudos de Sociologia, 2(19). https://periodicos.ufpe.br/revistas/revsocio/article/view/235573/28531.

Oliveira, J. R. De, & Capraro, A. M. (2020). As implicações da pandemia do COVID-19 em um atrativo turístico esportivo: um Estudo de Caso sobre o Fútbol Club Barcelona. RITUR-Revista Iberoamericana de Turismo, 10(2), 165-186. https://www.seer.ufal.br/index.php/ritur/article/view/10538.

Organização Mundial do Turismo [OMT] (2016). Nota ténica. UNWTO International Conference on Tourism and Sports. Vietnã, Da Nang. Disponível em: https://webunwto.s3-eu-west-1.amazonaws.com/imported_images/45930/technical_note_8.pdf. Acesso em 4 jul. 2021.

Paz, S. M. (2009) Turismo Futebolístico: campo aberto para novas conquistas brasileiras. In Ansarah, M & Panosso Netto, A. (Org.). Segmentação do Mercado Turístico. São Paulo: Ed. Manole.

Pinheiro, P. M. De S., Alberton, A. & Cancellier, E. L. P. De L. (2012). Turismo em estádios esportivos: estudo de caso do estádio Beira-Rio. Anais do Seminário em Turismo do Mercosul, Caxias do Sul, 7.

Porto, N., Dowbley, V., & Garcia, C. I. (2020). Tácticas para el juego turístico en grupos de municipios de la Provincia de Buenos Aires: una clasificación para el desarrollo del turismo de deportes. Revista Brasileira de Pesquisa Em Turismo, 14(3), 134–157. https://doi.org/10.7784/rbtur.v14i3.1915.

Rocco Jr, A. J., Giglio, S. S. & Mazzei, L. C. (2014). Patrocínio Esportivo e evolução histórica da relação fornecedor-clube de futebol no Brasil e na Europa. Revista Pretexto, 15(2), 77-92. https://doi.org/10.21714/pretexto.v15i2.2328.

Romano, F. S. (2018). Atratividade turística em estádios de futebol: visitação no estádio Arena Corinthians. Dissertação de Mestrado, Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, São Paulo. https://doi.org/10.11606/d.100.2019.tde-12122018-202316.

Romano, F. S. & Uvinha, R. R. (2021). Turismo Esportivo e Patrimônio Cultural: o Museu do Futebol no Brasil como atrativo temático. Museologia e Patrimônio. 14(1), 182-211. https://doi.org/10.52192/1984-3917.2021v14n1p182-211.

Rudkin, S., & Sharma, A. (2020). Live football and tourism expenditure: match attendance effects in the UK. European Sport Management Quarterly, 20(3), 276–299. https://doi.org/10.1080/16184742.2019.1604783.

Sampaio, R. F., & Mancini, M. C. (2007). Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Brazilian Journal of Physical Therapy, 11(1), 83-89. https://doi.org/10.1590/S1413-35552007000100013.

Scharf, E. R., & Pacheco, G. da S. (2018). O consumo de bens e serviços de marcas patrocinadoras de clubes de futebol. Gestão. Org, 16(2), 167-181. https://doi.org/10.21714/1679-18272018v16n2.p167-181.

Serra, L. S., & Alfinito, S. (2020). Comportamento do consumidor de turismo: Uma revisão sistemática da produção científica brasileira. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, São Paulo, 14(3), p. 109-133, set./dez. https://doi.org/10.7784/rbtur.v14i3.1913.

Silva, C. V. D. G. F., & Campos Filho, L. A. N. (2006). Gestão de clubes de futebol brasileiros: fontes alternativas de receita. Sistemas & Gestão, 1(3), 195-209. https://doi.org/10.7177/sg.2006.SGV1N3A2.

Smaniotto, L., & Bandeira, M. B. (2013). Turismo e futebol: O caso do tour tricolor. Anais do SEMINTUR JR. Caxias do Sul, 4.

Stevens, T. (2007). Sport and urban tourism destinations: the evolving sport, tourism and leisure functions of the modern stadium. In Sport tourism destinations. Londres: Routledge, 221-236.

Sousa, B. M., & Vieira, C. B. (2018). Um estudo sobre a afetividade aplicada ao fenómeno do futebol: abordagem na ótica dos consumidores. Podium-Sport Leisure and Tourism review, 7(2), 293–312. https://doi.org/10.5585/podium.v7i2.282.

Vico, R. P., Uvinha, R. R., & Gustavo, N. (2019). Sports mega-events in the perception of the local community: the case of Itaquera region in São Paulo at the 2014 FIFA World Cup Brazil. Soccer and Society, 20(6), 810–823. https://doi.org/10.1080/14660970.2017.1419471.

Vieira, S. F. A., Costa, B. K. & Cintra, R. F. (2012). Stakeholders Analysis: um novo campo de pesquisa no turismo. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 6(2), 147-159. https://doi.org/10.7784/rbtur.v6i2.498




DOI: https://doi.org/10.5585/podium.v11i3.20842

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

e-ISSN: 2316-932X
www.podiumreview.org.br

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional