Incidência de alterações sistêmicas e uso de medicamentos em pacientes atendidos em clínica odontológica

Maricy Oricchio Fedri de Souza, Amanda Rafaelly Honorio Sanches Perez, Thaís Oricchio Fedri de Souza, Marco Antonio Trevizani Martins, Sandra Kalil Bussadori, Kristianne Porta Santos Fernandes, Manoela Domingues Martins

Resumo


Existem pacientes portadores de alterações sistêmicas e usuários de alguns medicamentos, tidos como especiais do ponto de vista odontológico, que, na maioria das vezes, levam o cirurgião-dentista a alterar sua conduta durante o tratamento odontológico. Com a finalidade de conhecer a incidência dessas alterações na clínica odontológica, foi realizado um levantamento epidemiológico com 445 prontuários, na clínica odontológica do Centro Universitário Nove de Julho. Nos arquivos dos pacientes, observou-se que 209 eram do sexo masculino e 236 do sexo feminino. Desse total, 23,8% apresentaram alteração sistêmica, enquanto 26,06% faziam uso de algum tipo de medicamento. A hipertensão foi a doença sistêmica mais freqüente, e os anti-hipertensivos, os medicamentos mais utilizados. Concluiu-se que tanto as doenças sistêmicas quanto o uso de medicamentos para controlá-las são relativamente comuns na clínica odontológica, portanto os cirurgiões-dentistas e alunos devem estar preparados para modificar o planejamento e a execução do tratamento odontológico diante de tais situações, visando sempre ao bem-estar e à saúde do paciente.

Palavras-chave


Doenças sistêmicas. Hipertensão. Medicamentos. Pacientes especiais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v6i2.1117

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2007 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.