Avaliação do conhecimento da abordagem de trauma dental pelos profissionais de creches

Maurício Bacarin Silva, Andrea Melo Moutinho da Costa, Maria Eliana Cruz de Almeida, Savana Alencar Maia, Cíntia Iara Oda Carvalhal, Gimol Benchimol de Resende

Resumo


O trauma dental na infância ocorre em locais de assistência a essa fase. O tempo entre o acidente e a intervenção do odontólogo interfere no prognóstico. Avaliou-se o conhecimento de trinta profissionais de duas creches sobre manejo de trauma dental. Por meio de pesquisa descritiva transversal, foi aplicado um questionário para avaliar o perfil dos sujeitos, exemplificando situações de trauma dental e quais seriam os primeiros socorros. Apenas 3,3% foram treinados para tratar desse tipo de trauma, e 26,7% tinham curso de primeiros socorros. Os sujeitos eram do sexo feminino. 83,3% dos pesquisados já cursava ou haviam concluído o nível superior; 60% tinham de 5 a 20 anos de experiência profissional, e 47%, de 30 a 39 anos. Na média, 30% acertaram as respostas do questionário. Foi aplicado o teste Qui-quadrado. Não houve relação entre conhecimento sobre trauma dental e experiência profissional ou formação dos sujeitos. Concluiu-se que a maioria dos sujeitos não está preparada para lidar com trauma dental.

Palavras-chave


Creches; Odontopediatria; Qualificação profissional; Traumatismos dentários.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v8i1.1438

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2009 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.