Atividade ulcerogênica do celecoxibe, piroxicam e piroxicam associado a sulfato de zinco em modelo de granuloma em ratos

Janaina do Amaral Bueno, Raphael Fernando Boiati, Fabiana Gatti de Menezes, Jorge Willian Leandro Nascimento

Resumo


OBJETIVOS: Objetivou-se neste estudo, avaliar a atividade ulcerogênica do celecoxibe (seletivo para COX-2), do piroxicam e piroxicam+sulfato de zinco (AINEs não seletivos). MÉTODO: Utilizou-se a implantação de pellets de algodão na região abdominal de ratos, além da avaliação da formação de lesão gástrica promovida pelo próprio modelo. RESULTADOS: Os resultados obtidos mostraram que a formação do granuloma não induziu maior gravidade na lesão gástrica. CONCLUSÃO: Dentre os fármacos estudados, houve uma maior incidência de lesões na mucosa gástrica causada pelo piroxicam, quando comparado ao celecoxibe, enquanto a associação piroxicam+sulfato de zinco apresentou menor incidência de lesões gástricas, quando comparado ao piroxicam.

Palavras-chave


Antiinflamatórios não esteróides; Celecoxibe; Piroxicam; Úlcera; Zinco.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v9i1.2059

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2010 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.