Ação da glucana in vivo sobre a atividade de células inflamatórias peritoniais de camundongos balb/c

Renata Maria Rocha Ribeiro, Tânia Aguiar Passeti, Terezinha Regina Prúpere Ogata

Resumo


O conceito de inflamação como fenômeno localizado para neutralizar o agente agressor tem adquirido sentido mais amplo. Nesse contexto, ressalte-se o papel fundamental das células macrofágicas, por sua alta capacidade fagocítica e de destruição do agente fagocitado. Devido à importância do macrófago no desenrolar do processo inflamatório, muitos estimulantes têm sido propostos para aumentar sua ativação, independentemente do sistema linfocitário. A glucana, polissacarídeo derivado de fragmentos de parede de Saccharomyces cerevisiae, é um desses compostos e tem-se mostrado eficiente em experimentos in vivo. Neste trabalho, avaliamos a influência dessa molécula sobre células inflamatórias na cavidade peritonial. Os resultados obtidos mostraram que a glucana aumentou a capacidade de espraiamento e fagocitose dessas células ante a Klebsiella pneumoniae, em relação ao seu controle. Não foi observado um aumento significativo do número de células na cavidade peritonial comparativamente às células não tratadas. Os resultados demonstram que a glucana é capaz de ativar as células inflamatórias na cavidade peritonial e, com isso, facilitar a destruição de qualquer agente que nela penetre.

Palavras-chave


Células infl amatórias. Fagocitose. Glucana. Macrófago.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v4i0.395

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2005 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.