Biótipo da criança com osteogênese imperfeita

Elis de Oliveira Alves, Maica Fernanda Pagamisse Maximiano, Zaide Silva Frazão

Resumo


Este trabalho foi desenvolvido em um ambulatório especializado no tratamento de pessoas com Osteogênese Imperfeita (OI), por meio do levantamento de dados obtidos nos prontuários de pacientes nascidos entre 1995 e 2005. Foram selecionados 15 prontuários de crianças com idade média de 8,2 anos. Como resultado, obtiveram-se 11 do sexo feminino e quatro do masculino, seis portadoras de OI tipo I, cinco do tipo III e quatro do tipo IV. Foram encontrados antecedentes de OI em diferentes graus de parentesco. Em sete casos, houve maior incidência de fraturas até os três anos. Seis deambulam e nove o fazem com auxílio ou não. Observaram-se 13 deformidades com esclera azulada, nove com dentinogênese imperfeita, uma alteração visual e cinco sem deformidades físicas.

Palavras-chave


Biotipo; Criança; Enfermagem;Osteogênese imperfeita.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v7i1.703

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2008 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.