Produção de pesquisa em políticas públicas locais de desporto no Brasil e em Portugal: agenda em formação

Edmilson Santos dos Santos, Maria José Carvalho

Resumo


Objetivo: O presente trabalho buscou identificar se há uma agenda de pesquisa de policy analysis no âmbito dos estudos que tratam das políticas locais de desporto no Brasil e Portugal.

Método: De caráter descritivo, a pesquisa se efetivou, num primeiro momento, através de revisão sistemática que identificou 70 trabalhos sobre políticas locais de desporto nos dois países. Após o levantamento bibliográfico, elaboramos um banco de dados contemplando três critérios de classificação dos trabalhos: caracterização da agenda de pesquisa, modelo teórico e modelo metodológico.

Originalidade/Relevância: No Brasil e em Portugal, o poder público local tem sido um promotor importante de políticas públicas de desporto. No entanto, essa realidade ainda foi não explorada no sentido de identificar a existência de uma agenda de pesquisa no âmbito da policy analysis.

Resultados: Considerando que os estudos legítimos da policy analysis buscam explicar a existência das políticas e as variáveis que afetam sua formação, implementação e desempenho, os trabalhos não foram capazes ainda de constituírem uma agenda de pesquisa. A utilização de metodologias descritivas na totalidade das análises evidencia que os estudos compõem ainda a primeira geração de trabalhos.

Contribuições teóricas/metodológicas: O estudo indica a necessidade de os trabalhos que analisam as políticas locais de desporto nos dois países superarem o aspecto descritivo (1ª geração) e passarem a identificar as variáveis que afetam seus resultados.


Palavras-chave


Desporto; Políticas Públicas; Agenda de Pesquisa; Governo Local.

Referências


Almeida, B. S., & Mezzadri, F. M. (2017). Quadros conceituais em políticas públicas: aplicações e possibilidades para a área do desporto. Caderno de Educação Física e Desporto, 15(1), 41-52.

Amaral, S. C. F., & Pereira, A. P. C. (2009). Reflexões sobre a produção em políticas públicas de educação física, esporte e lazer. Revista brasileira de ciências do esporte, 31(1), 41-56.

Amaral, S. C. F., Ribeiro, O. C. F., & Silva, D. S. (2014). Produção científico-acadêmica em Políticas Públicas de Esporte e Lazer no Brasil. Motrivivência, 26(42), 27-40.

Arretche, M. Dossiê agenda de pesquisa em políticas públicas. Revista Brasileira de Ciências Sociai, 18 (51), 7-10.

Bueno, L. (2008). Políticas Públicas do Esporte no Brasil: razões para o alto rendimento. (Tese de Doutorado). Escola de Administração de Empresas de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Capella, A. C. N. (2006). Perspectivas Te ricas sobre o Processo de Formula o de políticas públicas. BIB, 61.

Capes. Portal.periódicos.capes. Disponível em: . Acesso em: 18 nov. 2019.

Carvalho, C. M. (2013). Esporte como política pública: um estudo sobre o processo de formulação da política de esporte no Brasil. (Dissertação de Mestrado), Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, Brasil.

Carvalho, J. M. (2014). Os jogos olímpicos, a cooperação descentralizada e a aplicação de políticas públicas: o modelo de Barcelona 92 para o Rio de Janeiro 2016. Revista de Estudos Universitários, 40, 259-274.

Castro, S.B.E. de et al., (2012). O estado da arte em políticas sociais de esporte e lazer no Brasil (2000-2009). Pensar a Prática, 15(2), 272–550.

Donaldson, T. & Preston, L.E. (1995). The stakeholder theory of the corporation: concepts, evidence, and implications. The Academy of Management Review, 20(1), 65-91.

Frey, K. (2000). Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil. Planejamento e Políticas Públicas, (21), 211-259.

Giustini D, B. A (2005). Look at Google Scholar, PubMed, and Scirus: comparisons and recommendations. Journal of the Canadian Health Libraries Association, 26(3), 85-9.

Starepravo, F. A., Afonso, G., & Ferreira, A. L. P. Produção do GTT de políticas públicas no XV Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte: possibilidades teóricas de análise das políticas públicas de esporte e lazer. In Anais 1º Encontro da ALESDE (pp 1-8). Curitiba.

Godoy, L. & Vendruscolo, R. (2011). Desafios da produção de conhecimentos sobre políticas públicas para o esporte e o lazer no Brasil. In Anais Congresso Brasileiro de Sociologia. Curitiba.

Goodin, R. E., Rein, M., & Moran, M. (2009). Overview of Public Policy: the public and its policies. In R. E. Goodin (Ed.), The Oxford Handbook or Political 235 Science (pp. 885–918). Oxford University Press.

Houlihan, B. (2005). Public sector sport policy: developing a framework for analysis. International Review for the Sociology of Sport, 40(2), 163-185.

Howlett, M., Ramesh, M. & Perl, A. (2009). Studying public: policy cycles and policy subsystems. Oxford University Press. Ontario.

Kocian, R. C., & da Silva, C. L. (2016). Políticas públicas e os equipamentos esportivos de lazer: produção acadêmica de 2008 a 2014. Licere, 19(3), 185-206.

Kuhn, Thomas. (1976), A estrutura das revoluções científicas. São Paulo, Perspectiva.

Lorenzo, M. C. (2008) Análise das práticas de participação em conselhos deliberativos de política: o caso do Conselho Nacional do Esporte. (Dissertação de Mestrado), Universidade de Brasília, Brasília, Brasil.

Maciel, T. B., dos Reis, H. K., de Melo Rail, R., & de Oliveira Correa, P. H. (2014). Em tempos de megaeventos: as políticas públicas de esportes em uma cidade do interior de Minas Gerais. Motrivivência, 26(42), 72-85.

Melo, M. A. (1999). Estado, governo e políticas públicas. In: Miceli, S. (Org.). O que ler na ciência social brasileira. São Paulo/Sumaré: Anpocs/Capes, pp. 59‑99.

Mendes, A. (2013). Política pública de esporte: considerações sobre gestão, instituições políticas e método de pesquisa no brasil. Revista Intercontinental de Gestão Desportiva, 3. 1-19.

Rijo, V. A. (2018). Investigação científica em gestão do desporto: análise das dissertações de mestrado em Direção e Gestão Desportiva a partir de três universidades públicas nacionais (Master's thesis), Universidade de Évora, Évora, Portugal.

Rojo, J. R., Mezzadri, F. M., & Moraes, M. (2019). A Produção do Conhecimento sobre Políticas Públicas para o Esporte e Lazer no Brasil: Uma Análise dos Pesquisadores e Instituições. PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review, 8(1), 128-139.

Sampaio, R. F., & Mancini, M. C. (2007). Systematic review studies: a guide for careful synthesis of the scientific evidence. Brazilian Journal of Physical Therapy, 11(1), 83-89.

Santos, A. L. F., Batista, M. C. A. & Araújo, A. V. (2007). A produção do conhecimento em política pública para educação física, esporte e lazer: o GTT 10 em Pernambuco. In Anais do XV Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte (pp 1-10). Recife.

Santos, E. S. (2013). Ambiente Institucional e difusão do Programa Segundo Tempo: uma análise do desempenho de 2005 a 2010. Pensar a Prática, 16(1), 35-53.

Santos, E. S. (2012). As coalizões e os partidos políticos na difusão do Programa Segundo Tempo. Licere, 15(3), 1-26.

Santos, E. S., & Starepravo, F. A. (2018). Análise da capacidade fiscal per capita na descentralização do Programa Segundo Tempo/ME junto aos municípios. Movimento, 24(4), 1097-1110.

Santos, E. S., & Starepravo, F. A. (2018). Estrutura político-administrativa dos governos municipais do Piauí e investimento no esporte e no lazer. Licere, 21(4), 166-183

Secchi. L. (2022). Políticas Públicas: Conceitos, Esquemas de Análise, Casos Práticos. Cengage Learning. 2011.

Shultz, M. (2007). Comparing test searches in PubMed and Google Scholar. Journal of the Medical Library Association, 95(4), 442.

Sousa, D. P., Gabriel, B. J., Antunes, A. C., Pedroso, B., Oliveira Junior, C. R., & de Freitas Jr, M. A. (2016). As produções do periódico “Pensar a Prática” que relacionaram os seus objetos às políticas públicas de esporte e lazer (1998-2015). Pensar a Prática, 19(3), 612-626

Sousa, E. S. D., Noronha, V., Ribeiro, C. A., Teixeira, D. M. D., Fernandes, D. M., & Venâncio, M. A. D. (2010). Sistema de monitoramento & avaliação dos programas Esporte e Lazer da Cidade e Segundo Tempo do Ministério do Esporte.

Souza, C. (2003). " Estado do campo" da pesquisa em políticas públicas no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 18(51), 15-20.

Souza, C. (2006). Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, 8 (16), 20-45.

Starepravo, F. A., Afonso, G., & Ferreira, A. L. P. Produção do GTT de políticas públicas no XV Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte: possibilidades teóricas de análise das políticas públicas de esporte e lazer. In Anais 1º Encontro da ALESDE (pp 1-8). Curitiba.

Starepravo, F. A., de Souza, J., & Junior, W. M. (2011). Políticas públicas de esporte e lazer no Brasil: uma proposta teórico-metodológica de análise. Movimento, 17(3), 233-251.

Starepravo, F. A., Nunes, R. J. S., & Marchi Jr, W. (2009). Agenda de pesquisa em políticas públicas de esporte e lazer: uma leitura a partir do GTT de Políticas Públicas no XV Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte. In Anais do XVI Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte [e] III Congresso Internacional de Ciências do Esporte (pp 1-14). Salvador.




DOI: https://doi.org/10.5585/podium.v9i2.16567

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

e-ISSN: 2316-932X
www.podiumreview.org.br

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review ©2020 Todos os direitos reservados.