Municipalização das políticas públicas de esporte e lazer: reflexões sobre o legado do programa esporte e lazer da cidade

Bruno Ocelli Ungheri, Hélder Ferreira Isayama

Resumo


Objetivo do estudo: O presente estudo se estabelece no campo das políticas públicas de esporte e do lazer, tendo como objetivo analisar o cenário institucional dos municípios que implementaram o PELC entre 2013 e 2017.
Metodologia: Para isso, foi aplicado um questionário digital para 105 prefeituras, obtendo 19 respostas que apontaram para dois eixos de análise: administrativo e gerencial.
Relevância: Ao analisar o legado de um programa nacional de esporte e lazer ancorado pelos princípios da municipalização, a pesquisa em tela oferece um lastro de dados que possibilita avaliar as políticas públicas sob a ótica do federalismo e da descentralização.
Principais resultados: Dentre os dados encontrados, destaca-se que a presença de órgãos próprios gestores do esporte e do lazer aumenta a possibilidade de institucionalização das ações nessas áreas, pois pode ampliar os mecanismos de participação, a perenidade das políticas, sua avaliação e monitoramento, assim como a criação e manutenção de quadros profissionais próprios. Sobre isso, notou-se a valorização das práticas de formação continuada e o enfrentamento de práticas hegemônicas, como as físico-esportivas.
Contribuições teóricas: Dentre as contribuições teóricas da pesquisa, destaca-se que no contexto analisado, o princípio de indução à municipalização, materializado por projetos e programas federais de esporte e lazer, configura-se como estratégia eficaz para a descentralização executiva dos serviços públicos. Todavia, a continuidade das ofertas se condiciona pelo fortalecimento do cenário institucional local, ensejando investigações futuras em caráter longitudinal.


Palavras-chave


Municipalização; Política pública; Esporte; Lazer

Texto completo:

PDF

Referências


Abrúcio, F. L. (2007). Trajetória recente da gestão pública brasileira: um balanço crítico e a renovação da agenda de reformas. Revista de Administração Pública – RAP, 41(Edição Especial), 67 - 86. https://doi.org/10.1590/S0034-76122007000700005.

Aretche, M. T. S. (1999). Políticas sociais no Brasil: descentralização em um Estado federativo. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 14 (40), 111 – 141. https://doi.org/10.1590/S0102-69091999000200009.

Brasil (2017). Programa Esporte e Lazer da Cidade: diretrizes. Brasília, 18 p.

Búrigo, F., Cazella, A., & Oganauskas Filho, V. (2018). Descentralização, Políticas Públicas e Desenvolvimento Rural: estudo de caso no território meio oeste contestado de Santa Catarina. Imprensa Universitária, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ed. 1.

Cançado, A., Tenório, F., & Pereira, J. (2011). Gestão Social: reflexões teóricas e conceituais. Cadernos EBAPE.BR, 9(3), setembro, 681 – 703. https://doi.org/10.1590/S1679-39512011000300002

Capi, A. H. C. (2016). Uma análise sobre a trajetória e a formação de formadores do Programa Esporte e Lazer da Cidade (PELC). Tese de Doutorado em Estudos do Lazer, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Cesar, M. J. (2008). Empresa-cidadã: uma estratégia de hegemonia. v.1. São Paulo: Cortez.

Chaves, E. (2018). Panorama Geral Ead PELC / VS: Material de apoio. Universidade Federal de Minas Gerais: evento de avaliação das formações do PELC / VS.

Dagnino, E. (Org.). (2002). Sociedad civil, espacios públicos y democratización. México: Fondo de Cultura Económica.

Dagnino, E. (2004). Construção democrática, neoliberalismo e participação: os dilemas da confluência perversa. Revista Política e Sociedade, n. 5, outubro, 139-164. https://doi.org/10.5007/%25x.

Dallabrida, V. R. (2013). Governança: debates recorrentes nas abordagens do tema e relações com sua prática. Canoinhas, Universidade do Contestado.

Davoudi, S. (2008). Territorial Governance in the Making: approaches, methodologies, practices. Boletín de la AGE, n. 46, 33 – 52.

Debortolli, J. A., Silva, L. P., & Bonalume, C. R. (2018). Evento de formação da equipe do programa de acompanhamento e avaliação dos programas de esporte e lazer do Ministério do Esporte – equipe de formação. Material de Apoio. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/180376.

Echer, S. R. (2017). A formação de agentes sociais do Programa Esporte e Lazer da Cidade (PELC): a visão dos formadores. Dissertação de mestrado em Educação. Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil.

Franzese, C. (2010). Federalismo cooperativo no Brasil: da constituição de 1988 aos sistemas de políticas públicas. Tese de doutorado em Transformações do Estado e Políticas Públicas. Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, SP, Brasil.

Guinmarães, M. C. L. (2002). O debate sobre a descentralização de políticas públicas: um balanço bibliográfico. Organização Social, Salvador, 9(23), 1-17. https://doi.org/10.1590/S1984-92302002000100003.

Mainwaring, S., & Torcal, M. (2005). Teoria e institucionalização dos sistemas partidários após a terceira onda de democratização. Revista Opinião Pública, 11(2), outubro, p. 249 – 286. https://doi.org/10.1590/S0104-62762005000200001.

Marcellino, N. C. (2011). Lazer e Esporte: políticas públicas. Autores Associados, Campinas.

May, T. (2004). Pesquisa Social: Questões, métodos e processos. Artmed, Porto Alegre.

Moraes, P., Nicolau, P., Melo, F., Carneiro, K., Paes, R., & Reverdito, R. (2017). O Programa Segundo Tempo na Região Centro-Oeste: continuidade e estrutura burocrática do esporte nos municípios. Revista Brasileira Ciência e Movimento, 25(1), 129 – 140. https://doi.org/10.31501/rbcm.v25i1.

Pintos, A. E. (2018). O Ministério do Esporte, os Programas PELC e Vida Saudável e os primórdios do sistema MIMBOÉ. In: M.Soares, H. Isayama, A. Pintos. Monitorando e avaliando políticas de esporte e lazer no Brasil: a experiência dos Programas Esporte e Lazer da Cidade (PELC) e Vida Saudável (VS) (pp. 73 – 104). Campinas: Autores Associados.

Reis, F. W. (1995). Governabilidade, instituições e partidos. Novos Estudos: CEBRAP. Disponível em: https://books.scielo.org/id/v7ywf/pdf/reis-9788599662793-14.pdf.

Silva, J. A. F. (2017). Descentralização e Orçamento Municipal. Encontro Internacional de Política Social, Vitória, 1(1). Disponível em: https://periodicos.ufes.br/einps/article/view/16437/11300.

Soares, M. M., & Guadanini, A. S. (2018). Resultados de monitoramento e avaliação dos programas Esporte e Lazer da Cidade (PELC) e Vida Saudável (VS). Revista Licere, Belo Horizonte, 21, 379 – 404. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2018.1946.

Starepravo, F., de Souza, J., Barnabé, A., & Marchi Junior, W. (2018). Programa “Esporte e Lazer da Cidade”: onde o político-burocrático e o científico-acadêmico se encontram? Revista Movimento, 24(1), 23 – 34. https://doi.org/10.22456/1982-8918.63125.

Teixeira, E. C. (2002) O papel das políticas públicas no desenvolvimento local e na transformação da realidade. Belém, Pará, Brasil.

Tenório, F. G. (2008). Tem razão a administração? Ijuí, Unijuí, 3 ed.

Ungheri, B. O., & Isayama, H. F. (2017). Os saberes e a formação profissional em lazer: uma análise no campo das políticas públicas. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 98(249), 389 – 409. https://doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.98i249.2842.

Ungheri, B. O., & Isayama, H. F. (2019). Esporte, lazer e descentralização: reflexões no campo das políticas públicas. Revista Licere, 22(3), 537 – 578. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2019.15349.

Ungheri, B. O. (2019). Políticas sociais de esporte e lazer: institucionalização e municipalização no contexto do Programa Esporte e Lazer da Cidade. Tese de doutorado em Estudos do Lazer. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.




DOI: https://doi.org/10.5585/podium.v11i3.20204

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review

e-ISSN: 2316-932X
www.podiumreview.org.br

PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional