Os efeitos da estimulação elétrica aplicada nos músculos dorsiflexores em pacientes pós-AVE: uma revisão sistemática

Maria Talita dos Santos Guimarães, Richard Eloin Liebano

Resumo


Introdução: A estimulação elétrica (EE) é muito utilizada nos programas de reabilitação para produzir contração dos músculos paréticos e/ou plégicos de pacientes que sofreram um AVE. Objetivo: Identificar os efeitos da estimulação elétrica aplicada nos músculos dorsiflexores de pacientes pós-AVE. Métodos: Realizou-se uma busca nas bases de dados Medline, Lilacs e SciELO, utilizando os seguintes descritores: fisioterapia, pé equino, paresia, acidente vascular cerebral e estimulação elétrica. Resultados: Foram analisados cinco artigos, que apontaram os seguintes efeitos: redução da espasticidade de flexores plantares, aumento da força muscular de dorsiflexores, aumento da ADM de dorsiflexão, melhora da simetria da marcha e da mobilidade da extremidade inferior e, consequentemente, do padrão da marcha. Conclusão: A estimulação elétrica mostrou-se eficaz no tratamento de pacientes pós-AVE, porém deve ser associada a outras terapias, com o objetivo de potencializar os resultados do programa de reabilitação.

Palavras-chave


Acidente vascular cerebral; Estimulação elétrica; Revisão sistemática; Tornozelo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v12n2.4050

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.